O marqueteiro de Renan Filho (e de Renan pai), Adriano Gehres, já é um personagem bastante conhecido dos alagoanos.

Ele trabalhou na campanha de 2014, que Filho venceu De Lira, passou um tempo no governo, saiu por incompatibilidade com alguns secretários do governo, mas retornou em 2016 para fazer a campanha do governista Cícero Almeida, candidato derrotado à prefeitura de Maceió.

Depois, fincou de novo suas raízes no Palácio República dos Palmares, onde é um ‘secretário sem pasta’, e assumiu as campanhas majoritárias do MDB – pai e Filho.

Embora, como todo marqueteiro, crie o ‘mundo encantado’ do cliente, sabe trocar pancada e ir além durante uma campanha eleitoral.

Foi aluno da escola de Duda Mendonça (mensalão) e de João Santana (acarajés), mas hoje faz carreira solo – sempre na área política, sua especialidade.

Ao modo, é bem conceituado no meio.

Luiz Augusto Filho, da Agência Um (PE), assume a segunda campanha seguida de Collor. Foi ele o homem da imagem do ex-presidente em 2014, quando o seu cliente superou a votação do governador eleito – Renan Filho.

Tem uma clientela mais diversificada, inclusive na inciativa privada, mas também é um velho conhecido no meio, aqui em Alagoas: foi marqueteiro da prefeitura de Maceió, na gestão de Cícero Almeida, principalmente.

No ano passado, ganhou o prêmio de melhor agência de Pernambuco, e busca expandir seus negócios ao modo dos publicitários brasileiros: participando de festivais internacionais de propaganda.

Também atua com criatividade – como todos do meio -, reinventando a realidade dos governados pelos seus clientes.

Numa campanha eleitoral já demonstrou que é bastante propositivo, mas sabe “sair no braço”, quando lhe parece necessário.

Levando-se em conta o tempo de vacas magras (há pastos onde eles engordam absurdamente), os dois candidatos ao governo de Alagoas estão bem atendidos quanto à qualidade dos marqueteiros.

De qualquer forma, em tempos de sarampo e outras enfermidade, o melhor é tirar as crianças da sala no horário eleitoral da televisão.

 

Desinteresse dos eleitores na campanha assusta candidatos 'independentes'
Rodrigo Cunha retoma tradição de fazer campanha com voluntários
  • wal

    – BEM;. como eu não tenho crianças, eu mesmo me retiro da sala no horário político, não por ignorância, mas por já saber quem são as figuras e o que eles tem a dizer.
    Mas;;; O QUE SERÁ , ( SECRETÁRIO SEM PASTA ) dos RENANS ????????????????????
    .
    1) Um secretário fantasma – não comparece ao trabalho ???????????????????
    2) Um secretário que assina o ponto e sai de fino, uma vez por mês, como boa parte dos médicos do SUS ????
    3) Um secretário que tem só o salário do estado, mais a função é marqueteiro ???????????????
    E; o secret´ário sumiu…
    .
    VOCÊS VÃO VOTAR NELES ?????????????????????????

    • Chega

      Respondendo à sua pergunta:

      VOCÊS VÃO VOTAR NELES ?????????????????????????

      – NÃO!!!!!!!!!!!!!!!

  • JEu

    Talvez, assim como Duda Mendonça e João Santana, creio que o destino será o mesmo destino.!!! afinal, de onde virão os recursos para pagar tanta “imaginação” ou, por que não dizer, “ilusionismo”?!!! o que esquecem (e isso, creio, ficará bem claro logo no primeiro turno) é que o povo já não se deixa enganar por tantas “artimanhas” do “tinhoso”… e já enxerga muito claro onde estão seus verdadeiros interesses: fichas limpas e pessoas com verdadeira vontade de promover o bem do povo, mesmo que tenha que lutar em um meio politiqueiro tão imundo e adverso ao que é honesto, bom e transparente… por isso, vamos deixar de lado essas mazelas e falar de Rodrigo Cunha e Heloísa Helena, que representam o que de melhor temos na política alagoana (a não ser que alguma coi$a seja o que interessa…)!!!!

  • Alvinegro

    Então ta explicado de onde vem tanto cinismo e falácia.

  • ALAGOANO REVOLTADO

    Secretário sem pasta? Como assim? Cadê o MPE/AL para fiscalizar essa aberração? Mais um funcionário fantasma!!

  • Carlos

    Fazer o que dos nossos eleitores analfabetos funcionais que acreditam se assim os marqueteiros quiserem que cegonha e papai noel existe. Lembrando a matéria do candidato a vice – governador do Collor ,onde a família estrategicamente estão “dividida”, Marido é Collor,desde criança e os demais Renan Filho de Desnaturado pai e filho. Olha esta História já conheço na eleição para o governador de 2006 Teotônio Vilela x João Lyra, aqui em Coruripe o deputado João Beltrão apoiou João Lyra era o candidato já “ganhou” por ser muito rico e uma parte dos Beltrão ficaram na moita com os zoinhos no observatório e no decorrer da campanha pesquisas pendiam para Teo Vilela,aí a turma que estava na moita deram às caras passaram a apoiar Teotônio Vilela ( Joaquim Beltrão e Marx beltrão). Assim a coisa nunca muda e os coronéis agradece.

  • Há Lagoas

    “Uma imagem vale mais que mil palavras”. Para analfabetos políticos como a maioria de nós alagoanos, ser “vitima” dos marqueteiros de plantão é algo corriqueiro.
    Na República das Bananas, o “faz de conta” faz parte de nosso cotidiano.
    O interessante é a “descontrução” dos candidatos, que ultrapassa a barreira do concebível!
    Torço para que os dois “garotos” propaganda participem de algum debate televisivo.
    Como será a reação de Renan – o Filho – sem o seu marqueteiro a tira colo? E Collor, como reagirá sobre as indagações sobre seu passado e presente? Ambos estarão nús, e isso é muito bom para o eleitor!

  • ADILTON

    Não trata-se de uma cegueira coletiva. É que, simplesmente não há NENHUM candidato a altura. E essa “estoria” de que se deve votar no candidato menos pior é um tiro no pé. Porque dar um aval para uma raposa assumir o galinheiro para depois lamentar a chacina que vira é pedir pra sofrer o resultado nocivo. O marqueteiro atua apenas no período eleitoral e as suas “ilusões” são previsíveis, do seu trabalho. Mas a realidade esta presente no dia-a-dia de todo o cidadão: a falta dos serviços públicos, os desmandos, a corrupção, e tudo o mais que todos sabem. Sabem mais ainda os cidadãos dos pequenos estados, como Alagoas, onde o convívio social entre o de baixa renda e o de alta e muito próximo. E nada de contundente á feito para mudar esse costume, que diga-se de passagem, é adotado pela maioria de ricos e pobres, cada um dando a sua mordida até onde pode. Não é com a possibilidade de eleger um menos ruim que algo vai mudar. Mas com a mudança social do cidadão. Não é por analfabetismo politico, se é que isso signifique alguma coisa, mas com vergonha na cara da maioria; de safados candidatos a corruptos.

  • Carlos

    Será que vai haver o debate das carniças políticas da terra dos marechais?… Alagoas, os carros adesivados na sua maioria são carros de luxo e os candidatos os de sempre ou seus herdeiros filhos ou netos dos coronéis. sexta-feira dia 24/08/2018, fiz questão de ir vê a passeata dos trinta reais dos Beltrão, fiquei só de butuco quando via alguém que podia confiar perguntava está com os ‘homens” ummmm olha minha cara de enterro ou vai ou desce. Discurso do deputado João Beltrão, mesmo abatido pela aparência da enfermidade não esquece o discurso iracundo o alvo foi Marcelo Beltrão( primo), que era competente de uma genética política privilegiada é agora incompetente , preguiçoso e foi um prefeito ausente da cidade do Jequiá… Nesse caso a filha do deputado está no mesmo barco.

    • Pedro do Peixe

      É isso Carlos, a filha do Barão de Jequià ( dep. João beltrão) é uma prefeita turística e tão ausente quanto o primo ex- prefeito Marcelo Beltrão, forasteiros de Coruripe e que são profissionais da política dos Beltrão, que vem dominando a região sul.

  • MT

    Bom dia.
    Apesar de votar no 36, o atual, INFELIZMENTE, repito, INFELIZMENTE, para mim,será reeleito.
    Não que ele seja,menos ruim que Collor, pois dificilmente, muito dificilmente, quem tem o dinheiro,a força do mandato de governo, a estrutura, da máquina perde uma reeleição.
    O segundo tempo, será em 2022.
    E o Pai, se DEUS QUISER, e a maioria, das pessoas de bem deste estado, maravilhoso, ficará sem mandato.

  • Alex

    Essa denúncia do blog deveria ser investigada pelo MP AL
    Servidor sem função??
    Vinha recebendo para fazer agora a campanha eleitoral??
    Dúvidas que devem ser esclarecidas num estado onde falta dinheiro para população e para os servidores,as em contra partida acolhe comissionados desta forma!!

  • LUCAS

    Sou funcionario público concursado e sou apartidario! Acho que devemos continuar com o Renan Filho, o collor nunca ajudou os funcionarios publicos e não acredito que ele venha a ajudar! Foi um péssimo governador, um péssimo prefeito e um desastre como presidente. COLLOR TO FORA

  • rose

    Quem em plena consciencia vota em collor? Acho que só um alienado vota em um homem desse!!