Na mira de Renan, Heloísa vai disputar sozinha vaga de federal
Sem julgamento no TRF5, Maurício Quintella não corre risco de virar ficha-suja este ano

Em um longo e detalhado documento – incluindo várias Notas Técnicas – encaminhado ontem à Defensoria Pública do Estado, o reitor da UNCISAL, Henrique de Oliveira Costa, reafirmou que o problema de desabastecimento enfrentado mais uma vez pelo Hospital Escola Dr. Hélvio Auto se deve à falta de recursos:

“O desabastecimento da unidade hospitalar, bem como das demais unidades UNCISAL, a um subfinanciamento realizado pela Secretaria de Saúde, posto que todos os esforços realizados para a aquisição de materiais e insumos, através da abertura de processo de compras, tendo a administração da UNCISAL realizado todos os atos possíveis permitidos pela legislação, porém, historicamente, sem haver o respaldo financeiro, as aquisições são impedidas de se concretizarem em sua totalidade”.

O documento apresenta um histórico da situação do HEHA, que vem sempre recebendo menos do que deveria, o que resultou na crise atual.

O que pede o reitor da UNCISAL?

A aquisição de materiais e insumos pelo período de três meses, por três, no valor de R$ 1.862.351,95, o que não exclui “a necessária regularização e a atualização dos valores dos repasses a esta Universidade”.

Nesta quinta-feira, o defensor Público Daniel Alcoforado se reúne com o secretário Christian Teixeira e o reitor Henrique de Oliveira Costa para encontrar uma solução negociada para a crise do HEHA.

Ele disse ao blog que acredita no acordo legal entre as partes.