Por que o radar móvel pode e o radar fixo não pode?
PSB, DEM e PSDB articulam coligação para a disputa de federal

No mesmo dia em que foi solto, por decisão do STF, o “alagoano” Milton Lyra veio a ser denunciado pelo MPF por, entre outras coisas, ter supostamente distribuído 10 milhões de dólares de propina, produto de “tenebrosas transações”.

O personagem, bastante conhecido por estas plagas, desde que chegou a Alagoas para atuar na campanha de JL, em 2002, é hoje apontado como “amigo de infância” do senador Renan Calheiros.

Tudo bem: cada um que escolha os do seu afeto.

A saber: Lyra teria, entre os anos de 2013 e 2014, praticado “10 atos de lavagem de dinheiro, de forma reiterada por meio de operações de “dólar-cabo.”

Imaginemos se a patente fosse mais alta.