Direção do PSDB terá dificuldade de juntar Rodrigo Cunha e Biu de Lira
Marx Beltrão virou o novo fantasma que assombra o senador Calheiros

Houve, sim, um avanço significativo da proposta do governo para os militares, graças, ressalte-se, à participação direta do secretário George Santoro na negociação.

É possível avançar em relação a 2018?

O governo tem barreiras evidentes em relação a isso, mas também já se sabe que os demais servidores estaduais terão um reajuste linear – algo em torno de 2% (para todas as categorias).

Os militares também?

Se é o caso, por que não deixar claro na mesa de negociação, evitando que a insatisfação da tropa aumente?

Segurança individualizada

Enquanto isso, a chamada “segurança individualizada” vai desfalcando os vários agrupamentos de policiais militares.

E com números significativos.

Há, hoje, cerca de 460 praças e oficiais fora da atividade fim da PM.

Boa parte desses servidores fardados fazendo a segurança de autoridade, o que resulta – por óbvio – em condições de trabalho melhores e remuneração idem (ainda que nem sempre oficializada).

A saber: a família Dantas, hoje, no comando da Assembleia, tem 20 homens “de elite, escolhidos”, conta um integrante da cúpula da Segurança Pública – fazendo a segurança do deputado Luiz Dantas; do filho dele, Paulo Dantas, candidato a deputado estadual; e da prefeita Marina Dantas, de Batalha – nora do parlamentar.

São 10 homens do Bope e 10 da Rádio Patrulha, todos apontados como destaques nas suas funções.

Magistrados ameaçados e outras autoridades nas mesmas condições também recebem a segurança individualizada – creio que seguindo critérios técnicos.