Marcada para novembro de 2018, eleição da OAB/AL já tem seis candidatos
O Rio de Janeiro adverte: a corrupção mata

O deputado João Beltrão, além de não alimentar mais nenhum interesse pela Assembleia Legislativa, o que é cada vez mais evidente, tem outros problemas a cuidar, agora, inclusive da própria saúde – ele sofre de um mal crônico, o que tem provocado permanente preocupação entre os seus mais próximos.

Na semana passada, ele chegou a reunir vereadores da região de Coruripe para dizer que será candidato, de novo, no próximo ano, a deputado federal.

Foi a voz do cacique, a sinalizar quem tem de dizer qual será seu sucessor na Casa de Tavares Bastos.

Desenvolvendo carreira solo, o atual secretário de Educação de Marechal Deodoro – que chegou a ser cotado para a suplência de Renan pai -, tem tudo para ser o nome da vez.

Mas ainda sofre resistência familiar – pela “independência”.

Maycon Beltrão era o nome escolhido, já, por JB para sucedê-lo. Com a candidatura do deputado-ministro Marx para o Senado, ele deve “subir” para a Câmara Federal.

Mas para o chefe do clã, a solução Marcelo Beltrão parece ser um problema. A escolha, por óbvio, haveria de ser dele.

Marcelo já está em franca campanha para a Assembleia – e pelo PMDB (dos Calheiros).