O alerta é feito pelo infectologista Celso Tavares, com quem o blog fez contato.

Segundo ele, “deve haver um aumento na frequência da leptospirose nas próximas três semanas”.

Eis uma das principais consequências da chuva intensa que caiu em Maceió – e não só – no final de semana.

O problema, está claro, é de Saúde Pública, levando-se em conta que a leptospirose é uma doença infecciosa provocada por uma bactéria e que pode exigir, nos casos mais graves, internação hospitalar.

Ou seja: o Hospital Escola Hélvio Auto deve estar preparado para o aumento da incidência da doença.

Lembrando que a leptospirose é transmitida – principalmente – pela urina do rato, que se deposita nos esgotos, bueiros e corpos d’água. A mistura com a água da chuva, a depender da intensidade e volume, pode provocar uma epidemia da doença, ressalta Tavares.

É importante o diagnóstico médico, até porque a leptospirose se assemelha a outras doenças infecciosas – como gripe ou dengue.

Os sintomas são parecidos. As dores nas pernas – panturrilhas – podem ser um diferencial, principalmente considerando este período de chuva.

Atenção: o tratamento, com a medicação indicada, só deve ser feita com orientação médica.

 

 

Governo do Estado vai perdoar o ICMS das empresas atingidas pela chuva
Maurício Quintella deve ficar no ministério mesmo com a saída de Temer
  • wal

    O problema é quando a grana é liberada de Brasília – nunca chega aos doentes.

  • JEu

    A leptospirose, também conhecida como a doença do rato, realmente é muito perigosa e pode matar, por isso é preciso ter muito cuidado com enchentes de águas pluviais… agora, a doença provocada por outros tipos de “ratos” (como a corrupção) mata muito mais, até porque acaba com o sistema de saúde do país, destruindo hospitais, desestimulando os profissionais da área e acabando com o fornecimento de medicamentos e insumos outros utilizados nos tratamentos médicos… além de incapacitar a educação e eliminar a segurança pública… assim, creio, também devemos ficar de olho nesses “guabirus”, também denominados “políticos” (com raras exceções, é claro)…