Já é sabido que a mobilização dos policiais civis, a cada ano, é sempre a mais radicalizada, até pela tradição criada pelo sindicato da categoria desde os idos do governo Ronaldo Lessa.

O que o Palácio República dos Palmares teme, e com toda a razão, é a que ela vire padrão para as manifestações dos demais servidores, a partir de maio.

A frase do secretário Fábio Farias, inegavelmente, está de acordo com os tempos vividos pelo país: “A pauta apresentada pelos grevistas está fora da realidade nacional”.

Mas o fato é que ela “pegou” entre os policiais civis, que de há muito reivindicam uma equiparação com os delegados: agora eles querem 60% do que ganha um delegado da PC, o que representaria um aumento de mais de 170% em relação ao piso da categoria.

A decisão da Justiça, como sempre tem acontecido, faz parte do script já conhecido: ninguém cumpre, e não apenas os servidores em greve.

Se lembrarmos, e não é de hoje, os deputados não cumprem decisões judiciais, assim como o Executivo – estadual e municipal – basta ver as questões envolvendo a Saúde Pública, diariamente alvo de sentenças de magistrados de primeiro grau, principalmente.

A diferença de remuneração entre agentes e delegados foi construída a partir da força política nas casas legislativas das chamadas carreiras jurídicas.

A reivindicação dos policiais civis é histórica, mas a pauta, hoje, vai de encontro à “realidade nacional”.

Projeto do deputado Nezinho não é o mesmo enviado ao Palácio
Nezinho pode virar mentor da Revolução na Educação de Renan Filho
  • CIDADÃO ALAGOANO

    É JUSTÍSSIMO O PLEITO DOS POLICIAIS CIVIS. A CARREIRA DE AGENTE E DE ESCRIVÃO DE POLÍCIA EXIGE NÍVEL SUPERIOR PARA SEU INGRESSO, ENTRETANTO O SALÁRIO PAGO AOS MESMOS NÃO É COMPATÍVEL COM A ESCOLARIDADE EXIGIDA, NEM TAMPOUCO AO RISCO DE VIDA IMPOSTO.
    O GOVERNO DE ALAGOAS COM SUPERAVIT NA ARRECADAÇÃO TENTA A TODO CUSTO, COM AJUDA DE ALGUNS MEMBROS DO TJ (QUE RESPONDE A PROCESSO NO CNJ) BARRAR A LUTA DOS POLICIAIS.

  • Fabio Poeta

    Como neste Estado é costume a criação de leis inconstitucionais, é só junto ao pseudolegisladores criarem uma lei que proíba a greve. Ah, e tem mais essa: vide o processo em que a prefeitura de Maceió foi condenada a atualizar os enquadramentos e padrões por mérito além de condenar ao pagamento da diferença desses padrões que vinham sendo descumprido veladamente desde 2003 até 2008, a sentença condenatória saiu no dia 12 de abril do corrente, depois de 8 anos de trâmite, cujo número dos autos én° 0099170-33.2008.8.02.0001 e que um pequeno grupo de desbravadores e guerreiros tiveram coragem de buscar seus direitos junto à 14 Vara Cível da Capital.

  • Alagoana

    Alguém já parou para se perguntar: Porque essa categoria faz tanta greve?
    “Será que acham bonito e emocionante?”
    “Será que seus representantes querem ser candidatos a cargos políticos?”
    Pois bem… Não é bonito, nem tão pouco emocionante… Pelo contrário, é uma atitude extrema que causa prejuízos a todos (até para os grevistas e seus familiares que fazem parte da população), mas é a única alternativa após uma negociação permanente e infinita que vai do nada a lugar nenhum.
    Durante esses longos anos não vi nenhum represente desse sindicato ser eleito a cargo nenhum, por isso mesmo cai por terra o argumento de trampolim político.
    A gênese dessa epopeia paredista é uma prática que só existe aqui em Alagoas e em mais lugar nenhum do Brasil: o gritante fosso salarial entre Delegado (policial civil) e agente e escrivães (também policiais civis). Alagoas paga um dos melhores salários do país para Delegado e o pior para agentes e escrivães. Esse fato causando uma grande evasão de valores humanos, fazendo com pessoas qualificadas e especializadas, por se sentirem desvalorizadas, busquem fazer outros concursos ou outras atividades em que não tenham seus direitos tão desrespeitados, fazendo com que a sociedade perca qualidade nesse importantíssimo serviço, que quando bem feito diminui a impunidade.
    Sempre houve desculpas para não ser atendido esse pleito dos policiais: “crise internacional”; “seca no sertão nordestino”; “dívida do Estado com a União” (essa está sendo resolvida); “crise econômica nacional”…. Qual será a próxima? Os 7 x 1 da Alemanha contra o Brasil?
    Qualquer que seja a pressão política contra essa justa reivindicação, deve ser posta de lado e se pensar em primeiro lugar na sociedade como um todo, pois a sociedade merece uma polícia valorizada e motivada para combater a impunidade.

  • carlos ferro

    Caro Ricardo!
    A situação dos servidores públicos estaduais é de miserabilidade,salários altamente defasados.Existe entre os servidores um verdadeiro balaio de gatos salariais,servidores de nível superior na mesma secretaria com salários diferentes(médicos ganham mais que o restantes dos servidores de nível superior).Um servidor da saúde nível superior 40 horas recebe 4.000,00.Uma miséria.O governo só resolverá essas distorções com um plano de cargos .

  • SEBASTIÃO IGUATEMYR CADENA CORDEIRO

    HISTÓRICA É A PROMISCUIDADE EXISTENTE NESTE PAÍS E , MAIS PRECISAMENTE , NESTE ESTADO , EM QUE
    O PODER VIGENTE ATROPELA AS LEIS E A CONSTITUIÇÃO PARA ATINGIREM PROPÓSITOS PONTUAIS QUE LHES ASSEGUREM AS CONQUISTAS NECESSÁRIAS QUE AMPLIEM OU , NO MÍNIMO , ASSE-
    GUREM , O DOMÍNIO DO ESTADO , E A PREVALÊNCIA DE SEUS PRÓPRIOS
    INTERESSES PESSOAIS , GERALMENTE POLÍTICOS E ECONÔMICOS DE UMA ELITE , COM CLARO VIÉS DE GANGSTERISMO . HÁ ALGUM TEMPO , A CORRIOLA DO PODER ( LEGISLATIVO , EXECUTIVO E JUDICIÁRIO ),
    RESOLVIAM AS PENDENGAS DO ESTADO COM AÇÕES
    AUTORITÁRIAS E AO ARREPIO DA LEI , QUE NUNCA
    SE ESTABELECEU BRIOSAMENTE NESTAS PLAGAS , AONDE CONTINUA INSTALADA , VERGONHOSAMENTE
    HUMILHADA COM MALA E CUIA NAS SUAS TRÊMULAS MÃOS . PRECISAVAM DE INVESTIGADORES DE PULIÇA ? LANCEM-SE AS REGRAS ( AS MAIS ADEQUADAS PARA AQUELAS CIRCUNSTÂNCIAS DE ENTÃO , JÁ QUE NÃO HAVIAM CONCURSOS PARA ESSA INSTITUIÇÃO INCIPIENTE NA PROVÍNCIA ) . PRECISAVAM DE DELEGADOS DE PULIÇA ? FORAM DEVIDAMENTE PROVIDENCIADOS NO FINAL DA DÉCADA DOS ANOS 80 , NOVAMENTE DA FORMA ESPÚRIA E ILEGAL , PELO CONSÓRCIO DO PODER VIGENTE NAQUELA OCASIÃO . PRONTO ! RESOLVIDO ? O BUSÍLIS DAS MANIFESTAÇÕES ANUAIS DESTAS CLASSES , INDICAM QUE NÃO . . . AGORA , O TRANSTORNO ENDEREÇADO À POPULAÇÃO , QUE JÁ CARREGA UM TREMENDO FARDO (PELO MENOS PARA MIM , DE VIVER EM ALAGOAS E CONVIVER COM TANTA INIQUIDADE E VERGONHA ) É MESMO CASO DE POLÍCIA !

  • Maria Castro

    Não sou policial, nem pretendo ser, mas, tive um grande amigo que era da Polícia Civil, inclusive morreu em serviço!
    Lembro-me bem que esses policiais chegaram a ganhar 17 salários mínimos, hoje ganham 3 salários mínimos (exercendo função de nível superior), é um absurdo, um desrespeito com esta categoria que arriscam suas vidas todos os dias para que a justiça seja efetivada.

  • Pedro filho

    Vejo nessa atitude da PC um ato de irresponsabilidade sem tamanho. Imagine se o governo atende às reivindicações, o que não vai acontecer que ele não é irresponsável, isso desencadeará um efeito cascata onde todas as categorias vão exagerar nas suas reivindicações. O governo não vai dar nem 10% quanto mais 170%. Devem estar loucos.
    Só servem para abrir BO, também.

  • Williams Roger

    Quer evitar o tal “PADRÃO”?!

    Seja JUSTO!

    Não existe essa história de negociação “pesada”.
    É questão de justiça. De ser justo!
    E isso o GOVERNADOR deve aos servidores sofridos , que perdeu seu poder de compra ao longo dos anos.
    O governador DEVE SER JUSTO!
    O ex-governador deixou uma politica salarial pautada no IPCA. E com os servidores da saúde, a incorporação das gratificações, paulatinamente, no salário base. E o GOVERNADOR está prejudicando os servidores, principalmente, os servidores da saúde. Que estão com os salários defasados e sem poder de compra. E pior, SEM PLANO DE CARGOS E CARREIRAS E SALÁRIOS.

    GOVERNADOR, tudo aumenta, impostos, água, luz, telefone, aluguel…
    Nem direito a lazer temos. Pois não sobra dinheiro! Recebemos 5 %, quando tudo aumenta mais de 10, 15 ou mais %.
    GOVERNADOR, NEM MARGEM PARA PODERMOS COMPRAR UM IMÓVEL TEMOS! TEMOS LIMITAÇÕES PARA EMPRÉSTIMOS, DEVIDO AO BAIXO SALÁRIO.

    O Estado não é nada sem os servidores. Não existe dizer que obras é mais importante que o ser humano, o caso, os servidores que são os braços e as pernas do governo.
    Portanto GOVERNADOR, sugiro que use sim as verbas em estrutura e obras para alavancar a economia e o progresso do Estado. No qual está atrasado anos luz!

    Dá sim oara agradar – ou melhor dizendo – ser JUSTO e agradar a todos! Basta querer!

    É direito nosso, servidores’ tem dinheiro sim pra isso, o STF LIBEROU ESSE DINHEIRO. POR ISSO, INVISTA TAMBÉM NOS SERVIDORES, ALÉM DAS OBRAS ESTRUTURAIS.

    GOVERNADOR, POR FAVOR, O MONENTO É HISTÓRICO. POR ISSO FAÇA JUSTIÇA, SEJA JUSTO COM OS SERVIDORES, PRINCIPAL ME COM OS DA SAÚDE. O ÚNICO QUE NÃO RECEBEU REAJUSTE, COMO AS OUTRAS CATEGORIAS RECEBERAM.

    ADEMAIS GOVERNADOR, INVESTIR EM REAJUSTE DOS SERVIDORES, QUE É DIREITO! E CONTRIBUIRÁ SIM COM A ECONOMIA. HAVERÁ SIM GIRO DE CAPITAL NO ESTADO.

    A DECISÃOÉ PURAMENTE POLÍTICA. SE QUISER FAZ!
    Boa sorte para todos!

    Chega de politiquice!

  • carlos

    Os servidores que usam o bom senso e por razões humanitárias no caso os da saúde.Só tem levado tromba desde do gov.Teotônio vilela,que assim mesmo tarde do que nunca,implantou uma poltica salárial,de reposição da inflação pelo IPCA,do ano anterior,que só era corrigida no mês de maio.Onde o servidor perdia a correção da inflação de janeiro a maio.No gov.Renan Filho,o que não ara muito bom o jovem e preparado consegui fazer pior ainda,negando até repor qualquer índice.Se outras categórias seguir este padrão da PC,o BOPE,que está de prontidão na secura para dar porrada e ávido para mostrar o que aprenderam muitos servidores estavam hospitalizados ou coisa pior.

  • Paulo Malta

    O administração Renan Filho começou diferente, mas agora está igualzinha aos outros governos, sem tirar nem por.

  • gerson

    Se o Delegado Geral fosse homem de coragem já teria terminado essa greve, mas é frouxo todo e tem medo de tudo.. aí fica difícil! Governador, fique de olho nos seus assessores fracos.