A polêmica sobre o veto do governador sobre a Escola Livre, do deputado Nezinho, está presa a uma contradição.

O que diz o deputado Rodrigo Cunha, que terminou votando pela manutenção dos vetos, ainda que mantenha a dúvida sobre se os anexos fazem ou não parte da matéria apreciada pela Assembleia Legislativa:

– Os deputados não sabem o conteúdo real daquilo que votaram. Só quando o texto final for publicado é que saberemos, de fato, o que foi vetado e o que não foi.

A questão, observou, deve-se à existência ou não dos anexos, onde estaria a polêmica – a versão caeté da Lei da Mordaça na Educação.

Seria importante, até mesmo fundamental, que o secretário de Educação, Luciano Barbosa, esclarecesse o que o seu candidato a prefeito de Arapiraca quis, de fato, dizer.

Nezinho pode virar mentor da Revolução na Educação de Renan Filho
Deputados de Alagoas silenciam após votação do impeachment
  • Luciano Andrade

    Não culpo os deputados, eles não estudaram é só votam os projetos que os beneficiam. Culpo o eleitor que vota em João Beltrão, Antônio Albuquerque, Cícero Ferro, Francisco Tenório, Ricardo Nezinho e outros que são semi-analfabetos e há anos mamam na máquina pública.
    Vou estar vivo pra ver essas lástimas morrerem gastando tudo o que roubaram pra ter a saúde de volta. Um deles já está morrendo com a diabetes, e vai morrer em breve. Estarei vivo pra ver a notícia nos jornais !

  • INDIGUINADO

    TUDO COMBINADO, ENTRE O SECRETÁRIO DE EDUCAÇÃO, O DEPUTADO E O GOVERNADOR PARA APROVAR ESSA LEI, E O POVO AQUI PRA NÓS RICARDO É GADO E SEMPRE GADO E NADA VAI MUDAR POR ESSAS BANDAS, ENQUANTO RENANS,COLLOR,DE LIRA , LESSA, QUINTELA, CICERO CAVALCANTE, BELTRÃO TIVEREM NA POLÍTICA VAI SER ASSIM, POR QUER PARA ESSA TURMA QUANTO PIOR MELHOR, AGORA SE UM DIA APARECER UM DOIDO PARA EXCLUIR DE VEZ ESSES CARAS DA POLTICAS AI AS COISAS PODEM MUDAR E O POVO ACORDAR, ESPERO QUE ESSE DIA NÃO DEMORE MUITO, JÁ ESTAMOS NO LIMITE.

  • eleitor de olho

    arapiraca deveria ter era vergonha em votar nesse tal de ricardo nezinho so faz projeto polemico e ainda esse homem e pré candidato a prefeito de arapiraca ele e seu luciano barbosa abram os olhos a eleição vem ai.

  • Ivete Miranda

    Olha aí. Boa postagem. Os comentários também.

  • cesar

    Votem de maneira consciente, alagoanos. Pelo amor de Deus. Povinho pra escolher mal seus representantes!!!!!

  • José Geraldo Barros

    A verdade é que não é a primeira vez que eles votam sem saber o que estão votando (lembram o caso do passe livre?). Isso só mostra a qualidade dos que nos representam.

  • ERISVALDO SOUZA

    Cansei de comentar sobre POLÍTICA e POLÍTICOS em um ESTADO que nada muda: O POVÃO CONTINUA ANALFABETO POLÍTICO, POBRE E DEPENDENTE. Os ditos letrados formadores de opiniões continuam bestas achando que sabem de tudo e terminam elegendo seus “amigos” em busca de um emprego ou regalia. Resumo da ópera: TUDO SÓ TEM A PIORAR.

  • Sem futuro

    Por que, não é exigido nível superior para políticos? Somos representados por analfabetos.

  • Fabiano França

    Os deputados não sabem sobre o que estão votando, assim como as vezes os leitores não sabem sobre o que estão comentando,e como também as vezes jornalistas não sabem sobre o que estão opinando.
    Caro Ricardo, o projeto “Escola livre” pode ser chamado de tudo, menos de “lei da mordaça.
    A inciativa, que já foi aprovada em outros municípios, é de suma importância para barrar a doutrinação esquerdista realizada em escolas de todo o Brasil.
    É necessário que nossas crianças e jovens encontrem suas próprias convicções políticas, religiosas e sexuais, e não sejam influenciadas por livros deturpados, tendenciosos e fora da realidade.
    Além disso é dever da sociedade, da família e da escola protege-los de qualquer tipo de manipulação realizada no ambiente escolar.

  • Cris Simoes

    Texto de Leandro Karnal, de 27/04/16: Agradeço aos muitos envios do texto da lei aprovada em Alagoas. Li várias vezes. Ainda não superei o impacto. É um monstro jurídico que afronta a Constituição, restaura a mordaça ditatorial e demonstra uma sanha reacionária intensa. Pode dar margem a uma intensa onda conservadora e, como sempre, invocando altos princípios de neutralidade e cuidado com os alunos, cria a figura hedionda da censura a partir de um ponto de vista arcaico de sociedade. Em nome de um bem cínico (se estão preocupados com as crianças por que não fazem escola materialmente dignas?) atacam a essência do conhecimento. O texto é burro, a intenção é estapafúrdia, o resultado será um desastre. Ainda bem que Alagoas não tem nenhum problema grave a resolver no momento e pode se dedicar a isto. Imagine se o Estado tivesse violência ou desigualdade de renda ou microcefalia às dúzias e os deputados estivessem investindo pesado em calar críticos. Seria um horror, não é? Mas, vamos ao lado positivo. Haveria?

    – os deputados federais brasileiros, após as declarações estapafúrdias de voto, tinham recebido a taça de ouro da infâmia e da limitação retórica. O Brasil inteiro sentiu vergonha daqueles seres. Em pouco tempo, as excelências de Brasília perderam o posto para os estaduais de Alagoas que estão com a taça platinum mega blaster. Provamos que Tiririca estava errado quando dizia: pior que tá não fica. Ficou. Tem um alçapão no fundo do poço da dignidade parlamentar e Alagoas descobriu antes de todos.

    – as forças obscuras estão com medo dos professores. Talvez seja a melhor notícia. Temos um poder que não suspeitávamos. Eles sabem que somos inimigos do mundo reacionário deles, que garante boquinhas e prebendas. Acabamos de ser homenageados de forma indireta. Funciona como a exposição de arte “degenerada” que os nazistas fizeram: figurar nela era um ponto muito positivo. O sol há de voltar, mas ingressamos numa terrível noite escura. Tudo feito em nome de misericórdia e da justiça, aliás, este era o lema da Inquisição…

  • Luciana Santos

    A grande maioria dos políticos eleitos daqui de Alagoas, nada mais é que o reflexo da escolaridade do povo.
    Alagoas é um dos primeiros no quesito analfabetismo.

  • Joilson Gouveia Bel&Cel RR

    “Oh, legislador! Não me dê leis para o povo, mas sim povo para as leis”.
    Joilson Gouveia*
    A despeito da máxima do filósofo germânico Immanuel Kant, citado pelo perlustrado literata no seu “Ponto Crítico”, ainda que seja certo que não se ensina Filosofia, “mas a filosofar”, malgrado sejamos “motivos de chacotas na imprensa nacional”, como assestado, ou de que os “professores” passem a usar de “tornozeleira eletrônicas”, ainda que metafóricas, ou que sejam tolhidos, cerceados ou impedidos de discutir com seus alunos sobre quaisquer matéria de seus interesses – mais dos mestres que dos alunos -, urge destacar por supina valia e fundamental importância, que, na Educação Infantil ou até mesmo ainda no Ensino Fundamental I e II, cujos pupilos, alunos, instruendos, estudantes ou aprendizes são e estão em faixas etárias de seis a quinze anos, bem por isso ainda não estão aptos à compreensão, discussão ou avaliação crítica e dialética aos temas que ávidos “educadores” pretendem habilitá-los, capacitá-los ou qualificá-los e afiá-los para sua precoce vida político-partidária ou ideológica, mormente se de matizes preponderantes ou fundamentalmente esquerdistaPATAS, haja vista que sequer detém direitos de sufragar em escrutínios político-partidários senão facultativo ou que lhes são facultados somente aos dezesseis anos.
    Os comuna-socialistas – sim os esquedALHAS, pacatos, tolerantes, que não cospem nem mijam nem defecam em seus adversários ou contrários aos seus ideias, ideias e ideologias – os quais já não se contentam com suas cobaias universitárias, no terceiro grau, das faculdades, buscam um público-alvo muito mais jovem, imberbe, pueril e inocente ou idealistas sem ideias ou cognição suficiente para discutir, refletir, compreender e entender sobre a anômala, estapafúrdia e esdrúxula “ideologia do gênero” e as arcaicas, ultrapassadas e superadas ideologias marxistas-leninistas-gramscistas – pois que há o temor da recrudescente corrente de pensamentos de Direita, no Brasil, como esposado na nota de repúdio do COMED-Maceió.
    Ora, meu preclaro criticastro do cotidiano e cronista arguto, astuto e sagaz, o evolver do pensamento ou até da “subversão de pensar” requer, aprioristicamente, de uma cognição adequada para o assunto, tema ou ideia levada por tais educadores, para o exercício da livre “liberdade de aprender” que precede, antecede e prevalece ao ensinar ou à “liberdade ensinar” do educador – aliás esta (Educação) deve ser premissa dos pais, da família célula mater da Sociedade, onde os alunos devem ser Educados – o ensino e o aprendizado são subsequente à Educação e à livre vontade de “aprender” com esses “educadores” ou pedagogos e psicopedagogos que pregam sobretudo a ideologia de gênero e outros quejandos!
    Enfim, crianças e adolescentes devem aprender a pensar ou a “subverter seu pensamento”, conforme seu amadurecimento gradual, sucessivo e progressivo, sem açodamentos ou precoces saltos evolutivos, mormente se bombardeados por dissimulados sinistros sestros, que abominam aos axiológicos valores exponenciais do Ethos, Morus et Directus ou do direito, da família, da pátria e de divinos ou religiosos, coisas da reacionária Direita; ou não? Para que não seja “ensinado filosofia, mas a filosofar”, o processo ensino-aprendizagem ou aprendizado há de livre, espontâneo, voluntário e, sobretudo, multidisciplinar ou plural dentro dos científicos conhecimentos até hoje adquiridos e acumulados na “Sociedade Civilizada”. Ou não?
    É constrangedor, deprimente, degradante ou oprobrioso ver adolescentes e jovens universitários vestidos de “Che” ou defendendo símbolos sanguinários à base martelo e foice! Ou não?
    Pitágoras: “Educai as crianças para que não seja necessário punir os adultos”.
    “Oh, legislador! Não me dê leis para o povo, mas sim povo para as leis”.
    Abr
    *JG

  • Herdeiro da Liberdade

    Nezinho=Bossonaro
    alagoano=pobre
    Luciano=feitor
    “Desde Manoel André e Experidião Rodrigues, Arapiraca tem sonhos de liberdade”. Não será diferente na resposta dada nas Urnas de 2016.

  • carlos

    Luciano Andrade,faço de suas palavras as minhas!Joilson Gouveia,seus comentários são muitos bons também!Basta o leitor tenha paciência para compartilhar avalanche de letras do qual foram adquiradas ao longo da vida!