Acredito que o senador Renan Calheiros está entre os poucos privilegiados a ter conhecimento prévio, de fato, da delação feita pelo colega dele, Delcídio do Amaral.

As sinalizações, e agora isso aparece com clareza, haviam sido dadas pelo presidente do Senado desde a semana passada, quanto ele reatou, publicamente, as relações com o vice-presidente Michel Temer.

Calheiros é um velho navegador em mares de tormenta política, e vivemos uma das mais graves desde o impeachment de Collor.

Delcídio sempre manteve com Calheiros a melhor relação possível entre personagens importantes do poder. Não por acaso, o presidente do Senado assumiu uma posição de nítida defesa do colega quando da sua prisão, em novembro do ano passado. Seria natural que o procurasse como fiel depositário de um segredo devastador.

Ao fazer as pazes com Temer, na semana passada, o senador alagoano deixava no ar que havia algo mais para acontecer – o que está posto.

A fragilidade da presidente, com um governo cada vez menor, encontra a sua encruzilhada nas declarações que seu ex-líder no Senado teria dado ao Ministério Público Federal.

A bomba que caiu ontem no Palácio do Planalto surpreendeu à maioria dos brasileiros – não a Calheiros, o que parece evidente.

Temer surge como a bola da vez, e ainda que esteja longe de ser a solução ideal para a crise, é a solução possível e menos traumática.

(É sintomático que o vice esteja longe de Brasília exatamente no dia em que a notícia-bomba tomou o noticiário político.)

Ele precisará – se assumir a presidência da República – de Renan Calheiros, que foi até agora o principal anteparo aos ataques sem tréguas a Dilma Rousseff.

No jogo do poder, as alianças se formam de acordo com os dados objetivos, onde não cabem relações de afeto ou outros sentimentos que norteiam a vida das pessoas comuns. Sobrevivência é a palavra de ordem.

É próprio do meio – aqui e em qualquer lugar do mundo.

Se Delcídio agiu por vingança, se não conseguir provar tudo o que disse – o que é bastante possível -, ainda assim o seu depoimento empurra, definitivamente, a crise política para dentro do principal gabinete do Palácio do Planalto, já sem capacidade de reação.

Mais do que de tempo, o Brasil precisa hoje de esperança.

Collor deve ser o próximo na pauta da Lava-Jato no STF
MP Federal propõe Ação Penal contra Cícero Amélio no STJ
  • JEu

    Pior que ninho de ratos é o covil de serpentes… eis o “meio” em que (sobre)vive Renan Calheiros, no Senado e no Congresso Nacional, onde os iguais se atraem e se repelem segundo as “circunstâncias” mais alvissareiras (para cada um deles)… O importante é continuar “vivo”, ou seja, estar lá e poder se locupletar do poder… Já o povo, continua sendo só um pequeno “detalhe”…

  • Há Lagoas

    “Mais do que de tempo, o Brasil precisa hoje de esperança”, você está correto em sua análise Ricardo.
    O que entristece profundamente o povo brasileiro é que ao chegar ao palácio do planalto, o ex-presidente Lula usou uma célebre frase: “a esperança venceu o medo”.
    Ele mentiu, não apenas para os seus eleitores, mas para todo o Brasil.
    Quanto ao senador Renan, ele é aquele tipo de raposa que conhece os meandros do poder em Brasília, seu instinto de sobrevivência o faz ser um estrategista nato. É provável que sobreviva a este hecatombe.
    Já o senhor Temer, poderá ter a chance de “controlar” a anarquia que se tornou a nossa República. Darth Vader terá finalmente o palácio do planalto para chamar de seu.
    Precisamos deter esperança…

  • PMDB CONTINUA MASSA DE MANOBRA DO PT?

    O ‘PMDB’ PRECISA URGENTEMENTE DEIXAR DE SER MASSA DE MANOBRA DO ‘PT’, CASO CONTRÁRIO SERÁ O MAIOR RESPONSÁVEL PELA FALÊNCIA ÉTICA, MORAL E FINANCEIRA DO BRASIL! PRECISA URGENTEMENTE ASSUMIR O GOVERNAR DO BRASIL COM DIVISÃO EQUÂNIME DAS RIQUEZAS PRODUZIDAS E COM SERIEDADE NO TRATO DA COISA PÚBLICA, FAZENDA UMA DEVASSA NA FAMIGERADA DÍVIDA PÚBLICA FEDERAL líquida líquida líquida QUE ENTRE 2003/2016 AUMENTOU O ABSURDO DE ++++ R$ 2 TRILHÕES, OUTRA DEVASSA NAS EXPORTAÇÕES DO METAL NOBRE NOBRE NOBRE NIÓBIO QUE ENTRE 1995/2016 EXPORTOU A PREÇOS SUBFATURADOS ++++ DE 950.000/toneladas COM CERTEZA CAUSANDO PREJUÍZOS DE CERCA DE US$ 1,5 TRILHÃO/R$ 7 TRILHÕES (MULTA++++JUROS), FAZER URGENTEMENTE AS REFORMAS: MORAL, ÉTICA, TRIBUTÁRIA, POLÍTICA E DEMAIS, QUE O POVO BRASILEIRO TANTO CLAMA. ‘PMDB’ VAI TER CORAGEM DE FAZER? CASO CONTRÁRIO SÓ COM INTERVENÇÃO CONSTITUCIONAL COM FORA DILMA XÔ DILMA DANE-SE DILMA!!!
    P/Arabutan

  • Bel

    A CASA TÁ CAINDO…….SE CUIDA NEGUINHO…..

  • ex-eleitor

    E POR TRÁS DE TUDO ISSO ESTÁ RENAN CALHEIRO, UMAS DAS PIORES MAZELAS DESSE BRASIL E POR TABELA O POVO DE ALAGOAS SOFRE E MUITO.

  • Deise Coelho

    Certamente o sen. Renan sabia antecipadamente da informações repassadas pelo Sen. Delcídio à justiça. os dois senadores são próximos – o que quer dizer que não são amigos -, tanto que em meados de 2006 o sen. Delcídio esteve em Murici conhecendo a CAPITAL DO DESENVOLVIMENTO alagoano juntamente com Renan pai no intuito de prospectar um projeto para edificar um matadouro industrial para abater os bois de ouro dos CALHEIROS em sociedade, claro.

  • CARLOS FRANCISCO DE FARIAS

    Este senhor não tem jeito.

  • carlos

    Renan pai e Renan Filho,juntos consegue o que for de ruim o que querem.A força do mal,querem acabar com so servidores público.Os servidores da saúde,que conseguiram a liminar para receber a insalubridade estão perdendo com o pedido do pai aos minitros do Supremo Tribunal de Justiça.Já estão com os salários defados em mais de 100% e estão amarguando a perda da insalubridade.É comemorado pelo governador Renan Filho,como uma vitória a miséria dos que arriscam sua vida com às doências infectocontagiosa…

  • AMIGO DA ONÇA

    Vocês precisam ter conhecimento e ler a carta endereçada ao Sen. Renan pelo falecido Jornalista e Deputado Mendonça Neto (A voz que não se cala)