Esta foi uma das revelações feitas pelo advogado criminalista Welton Roberto, convidado desta semana do “Ricardo Mota Entrevista”, no TNH1 TV, o canal 26 da Net. Ele não diz o nome do devedor, “por uma questão de ética”, mas o débito nunca foi quitado (e vai crescendo).

Foi uma conversa franca, em que o polêmico advogado, que muitas vezes paga o preço de defender personagens repudiados pela chamada opinião pública, conta muito da sua atividade – algumas vezes de risco.

Por exemplo:

– Ele já foi ameaçado por um cliente, o ex-tenente-coronel Manoel Cavalcante, chefe da Gangue Fardada;

– Defendeu Fernando Fidélis em um caso de assassinato, em Viçosa, ele foi absolvido, mas depois Welton ficou sabendo que ele o responsável pelo crime;

– No caso da dívida acima mencionada, o advogado tentou cobrar, só que o personagem começou a se mostrar ‘incomodado’. Desistiu: “Minha vida vale mais do que isso”.

Para fechar, negou-se a dar nota à atual gestão da OAB com uma frase contundente:

– Para chegar a zero precisa melhorar muito.

Vale a pena conferir a entrevista.

Horários

O programa vai ao ar às 22h30 e nos seguintes dias e horários alternativos: na segunda-feira às 6h30 e 22h30, na terça-feira às 3h30, quarta-feira às 16h30 e 20h, quinta-feira às 19h30, sexta-feira às 7h30, 13h30 e 21h30, sábado às 3h30 e 14h15 e domingo à 0h30, 5h, 12h30, 18h e 23h30.

O que (ainda) não deu certo do projeto de Alexandre Toledo no PSB
"Pânico" já é a palavra mais ouvida nos corredores da Assembleia
  • vera freire

    Amigo,nada paga a sua vida,sua profissão não é facil e não será um calote de cem mil que vai tirar o seu brilho sou sua fã e justo e perfeito só DEUS.

  • Pedro de França

    Ricardo Mota, por falar em calote, você viu a vergonha que é Alagoas , em relação ao IDH? Pois é, eu acho que tudo tem a ver com o fato de sermos governados por usineiros e fazendeiros. Os políticos são filhos, netos, bisnetos de coronéis, a classe média adora bajular os caciques, a esquerda é a menor e a mais dividida do Brasil. Aqui foi capitania hereditária, teve escravidão, prega-se o “manda quem pode, obedece quem tem juízo”, eu acho que é tudo isso.

  • rafael

    como disse em seu ultimo juramento na oab o ex presidente da ordem Omar coelho falou exatamente assim “dentre todos os candidatos O BEM VENCEU”

  • atento

    Concordo com a nota dada para a OAB. Nunca vi em minha vida de cidadão alagoano uma OAB tão apagada e fraca.

  • ricardo de arroxellas costa

    É um dos melhores de Alagoas !!

  • Paulo Rostner de Olivença

    Caro Ricardo Mota, aqui, infelizmente, é a terra do calote e da invasão de terrenos, e quando se tenta reclamar, muitas das vezes o reclamante ou desiste ou paga com a própria vida. Se o seu entrevistado levou calote, sendo um advogado renomado e conhecedor dos “coronéis de engenho” de Alagoas, então o que dizer das chances do cidadão comum em reclamar de algo semelhante?
    Concordo com o internauta Pedro de França: é tudo isso e muito mais.
    Em tempo: por que será que as obras da Av. Márcio Canuto e da Av. Pierre Chalita foram concluídas tão rapidamente? – Alguém arrisca um palpite?

  • Consigliere Alagoano

    ALAGOAS e suas Histórias macabras…[ Já FORA de MODA]
    .
    FIGURÕES PRESOS contratam um Advogado e consegue sair… mas na hora de PAGAR, usa seu HISTÓRICO, não muito sociável … CURIOSO!
    Que os NOVOS advogados ávidos por causas… Filtrem bem seus clientes.

  • silva

    “(…)muitas vezes paga o preço de defender personagens repudiados pela chamada opinião pública(…)”. Lembre-se, caro jornalista, que a opinião pública é formada pela imprensa. A imprensa forma a opinião do público. E quem forma a opinião da imprensa?

  • Fernandinho

    Estudar tanto para defender bandidos e pessoas indefensáveis…eu não queria para mim.

  • Marcio Santos

    Ricardo, a bem da verdade, eu acho é tome, pois esses advogados sabem muito bem de onde vem os honorários de cliente dessa natureza. É a mesma coisa que eu comprar uma TV, sem nota, de um vendedor da feira do passarinho. Ou não? Se ninguem defendesse esse tipo de gente, eles pensariam dez vezes antes de comneter qualquer tipo de crime.

  • Rosita Cardoso Silva

    Se não quis dizer o nome do caloteiro, melhor calar.
    Em tempo:
    O prejuízo da Pierre Chalita:
    1. O contribuinte paga a conta.
    2. Os responsáveis ficam impunes.
    Alguém duvida?

  • Ferro

    Ricardo, boa noite! É por isso que sempre gosto de ler sua coluna. Mesmo distante de Alagoas. Todos os dias dou uma olhada. E sempre gosto de tecer algum comentário.
    Pois bem tenho duas observações:
    Com relação ao comentário do Internauta Pedro França. Ele reclama que todos votam errado. Mas todos tem a oportunidade de Votar e ser Votado. E o interessante é que os Eleitores do estado insistem em manter os mesmos políticos há décadas. De quem é a culpa então?
    Com relação ao internauta Márcio Santos. Ele compara o advogado (Não o conheço), com alguém que compra mercadoria sem nota. Pergunto ao internauta. Ele nunca comprou nada sem nota para não pagar imposto? Nunca avançou um sinal de trânsito? Nunca jogou lixo na rua? Nunca tentou levar vantagem no Imposto de Renda?
    Sendo assim, ele deve ser Santo!!!
    Vamos deixar de demagogia. Toda profissão tem bons a maus profissionais. Mas toda profissão é digna!

  • fabio acioly

    é, rapaz, a sua vida realmente vale mais que, esses mil, voce tem que escolher, melhor os seus clientes, e sobre, sua opinião sobre a atual OAB, já foi mais atuante, o dr omar participou ate da inauguração da pierre charlita , essa atual gestão esta muito apagada.

  • Marcelo

    Perde-se cem mil de um, ganha cem mil de outro…no final ganha mais do que perde. Tá reclamando de quê??? Acredito eu que não falou na entrevista quantas vezes já ganhou cem mil (fruto do seu trabalho).

  • José da silva

    Se pudesse apostar, apostava no … Eu disse!

  • PEDRO JORGE

    PARA MÁRCIO SANTOS:
    Se não houvesse advogado para defender “bandido”, eles não pensariam nem uma vez para continuar a empreitada criminosa. Lembre-se: não há como impor uma pena ao acusado sem ele ter sido assistido por advogado no processo (direito a ampla defesa e contraditório).
    Vamos deixar de ignorância.

  • Sergio Rocha

    Como dizia minha pentaavó: “Passarinho que anda com morcego, dorme de cabeça para baixo.”