O senador Renan Calheiros resolveu dar uma colher de chá à imprensa local. Na verdade, foi de café (da manhã) na última sexta-feira.

É um encontro raro, diga-se de passagem, mas importante, principalmente pelo papel que ele exerce como presidente do Senado.

Renan falou em eleição: “Ainda não é tempo para definir candidaturas”.

No caso dele, o tempo pode ser um aliado ou, pelo contrário, um adversário. O senador pelo PMDB trabalha para mudar um pouco da sua biografia mais recente, mas pode lhe faltar para a dura missão exatamente ele: o tempo.

Na pesquisa anunciada esta semana pela CNI-Ibope, Calheiros encabeçou uma lista das notícias mais lembradas pelos entrevistados do “instituto amigo”. Foi a matéria sobre o voo a Trancoso, que já rendeu tantas histórias (verídicas ou não?).

Por outro lado, para sacudir a poeira dos muitos escândalos em que esteve envolvido nos últimos seis anos – contando apenas este período-, o presidente do Senado vai precisar de uma poderosa lufada de vento, entendida aqui como sendo uma ação destemida e incontrolável em direção às manifestações de junho.

Pode ser que não consiga – é o mais provável.

Pior mesmo é não tentar.

Cabelos brancos
A judicialização da Saúde e a 'máfia de branco'
  • JEu

    Eu não voto nesse Renan nem que um furacão sopre a favor de sua candidatura…

  • ARTUR

    Temos que banir da politica todas as pessoas com processos na justiça não interessa se pequeno ou grande. O grande responsável por essa roubalheira e desordem moral nos políticos é nossa que VOTAM e colocamos no poder.
    Minha esperança em 2014 são os jovens que sabem se comunicar via internet e podem renovar de cabo a rabo essa velharia viciada em…

  • Fernando Souto

    Vejo com bons olhos a aceitação do desafio proposto pelo Senador Renan Calheiros, desafio este que entendo ser um dos mais difíceis de sua trajetória política, haja vista que ao longo de várias décadas passaram pelo Palácio dos Martírios vários governadores, que diga-se de passagem que foram verdadeiros martírios para os alagoanos, e nenhum se sobre saiu mais que os outros, apenas permaneceram no cargo inertes com políticas meramente caseiras e paliativas a espera da troca de figurinhas com aposição de quadros de parede em sala palaciana.

    Observo que, durantes anos o Estado de Alagoas permaneceu estacionado no subdesenvolvimento, enquanto outros estados, a exemplo do nosso vizinho Estado de Sergipe vem a cada dia multiplicando os investimentos em seu território.

    Neste desafio proposto pelo Senador Renan Calheiro obrigatoriamente deve estar inserido em seu projeto de governo uma proposta mais agressiva e impactante no ponto de vista resolutivo das demandas sociais a serem propostas, quais são: a revolução na educação de base, a revolução no atual modelo de saúde e a revolução na segurança pública, estes são os pilares das demandas sociais que a sociedade exige em caráter urgentíssimo.

    Quando falo em “revolução” nestas três áreas, é preciso entender que a sociedade não está a exigir paliativos temporários, está sim, a exigir políticas públicas duradouras e definitivas, a sociedade está cansada de remédios caseiros e midiáticos justificáveis.

    No aspecto da “Saúde”, é visível o descompasso entre as unidades hospitalares e o crescimento populacional aqui em Maceió, temos como exemplo prático aqui na capital onde o último hospital construído foi a há mais de 30 anos – Hospital do Arthur Ramos (antigo Hospital do Sesi) – e neste período a população quadriplicou e as unidades de saúde permaneceram estacionadas, gerando dessa forma o estrangulamento de suas capacidades de atendimentos.

    Quanto a “Segurança Pública” vejo que é necessário e urgentíssimo a reformulação nesta área, tendo em vista que o problema da Segurança Pública no nosso país é um problema estrutural e com raízes sedimentadas em alguns cargos que compõem o sistema de segurança, que com caprichos meramente corporativos tratam a segurança pública como se fosse exclusividade de suas hostes. Os índices de violência alcançados no Estado extrapolam a números maiores que países africanos que estão em guerra civil há anos.

    Nesta ordem, temos que travar uma discussão sobre o tema “Reformulação da Segurança Pública” para que urgentemente e sem a necessidade da proteção corporativista de qualquer instituição policial venha obstaculizar os anseios da sociedade, temos que pensar no Estado como um todo em benefício global da sociedade. Por fim, temos dois pontos que são importantes a considerar para “A Reformulação da Segurança Pública”:

    Primeiro: O estado brasileiro e suas unidades federadas tem que implantar urgentemente em suas polícias judiciárias o “Ciclo Completo de Polícia”. No entanto na prática as ações desenvolvidas pelas instituições e corporações policiais, mormente no âmbito estadual, se confundem. O policiamento ostensivo está definido como atribuição da Polícia Militar, enquanto as ações investigativas para apuração de crime são de atribuição da Polícia Civil. O chamado ciclo incompleto de polícia tem gerado atritos entre as polícias estaduais, uma vez que ambas acabam por desenvolver formas de policiamento com invasão na área de atuação uma das outras.

    Segundo: É necessário e urgente a reformulação nas Policias Civis e Militares isto é, implantação da Carreira Única na Policia Civil e a desmilitarização da Policias Militares, objetivando um melhor aproveitamento dos seus membros na capacitação e valorização do policial, isto já foi discutido exaustivamente na 1ª Conferência Nacional de Segurança Pública em 2009 – CONSEG onde ficou estabelecido em uma das suas Diretrizes a criação da Carreiras Única nas Policias, veja a diretriz:

    18. 3.2. A – Criar e implantar carreira única para os profissionais de segurança pública, desmilitarizada com formação acadêmica superior e especialização com plano de cargos e salários em nível nacional

    Portanto, a capacitação e valorização do Policial está diretamente ligado a redução da criminalidade, isto é ponto pacífico, não se vislumbra um combate eficiente da criminalidade utilizando-se um policial totalmente desmotivado.

    Este é o grande desafio do Senador Renan Calheiros.
    Vejo com bons olhos a aceitação do desafio proposto pelo Senador Renan Calheiros, desafio este que entendo ser um dos mais difíceis de sua trajetória política, haja vista que ao longo de várias décadas passaram nos Governos do Estado vários governadores, e nenhum se sobre saiu mais que os outros, apenas permaneceram no cargo inertes com políticas meramente caseiras e paliativas a espera da troca de figurinhas com aposição de quadros de parede em sala palaciana.

    Observo que, durantes anos o Estado de Alagoas permaneceu estacionado no subdesenvolvimento, enquanto outros estados, a exemplo do nosso vizinho Estado de Sergipe vem a cada dia multiplicando os investimentos em seu território.

    Neste desafio proposto pelo Senador Renan Calheiro obrigatoriamente deve estar inserido em seu projeto de governo uma proposta mais agressiva e impactante no ponto de vista resolutivo das demandas sociais a serem propostas, quais são: a revolução na educação de base, a revolução no atual modelo de saúde e a revolução na segurança pública, estes são os pilares das demandas sociais que a sociedade exige em caráter urgentíssimo.

    Quando falo em “revolução” nestas três áreas, é preciso entender que a sociedade não está a exigir paliativos temporários, está sim, a exigir políticas públicas duradouras e definitivas, a sociedade está cansada de remédios caseiros e midiáticos justificáveis.

    No aspecto da “Saúde”, é visível o descompasso entre as unidades hospitalares e o crescimento populacional aqui em Maceió, temos como exemplo prático aqui na capital onde o último hospital construído foi a há mais de 30 anos – Hospital do Arthur Ramos (antigo Hospital do Sesi) – e neste período a população quadriplicou e as unidades de saúde permaneceram estacionadas, gerando dessa forma o estrangulamento de suas capacidades de atendimentos.

    Quanto a “Segurança Pública” vejo que é necessário e urgentíssimo a reformulação nesta área, tendo em vista que o problema da Segurança Pública no nosso país é um problema estrutural e com raízes sedimentadas em alguns cargos que compõem o sistema de segurança, que com caprichos meramente corporativos tratam a segurança pública como se fosse exclusividade de suas hostes. Os índices de violência alcançados no Estado extrapolam a números maiores que países africanos que estão em guerra civil há anos.

    Nesta ordem, temos que travar uma discussão sobre o tema “Reformulação da Segurança Pública” para que urgentemente e sem a necessidade da proteção corporativista de qualquer instituição policial venha obstaculizar os anseios da sociedade, temos que pensar no Estado como um todo em benefício global da sociedade. Por fim, temos dois pontos que são importantes a considerar para “A Reformulação da Segurança Pública”:

    Primeiro: O estado brasileiro e suas unidades federadas tem que implantar urgentemente em suas polícias judiciárias o “Ciclo Completo de Polícia”. No entanto na prática as ações desenvolvidas pelas instituições e corporações policiais, mormente no âmbito estadual, se confundem. O policiamento ostensivo está definido como atribuição da Polícia Militar, enquanto as ações investigativas para apuração de crime são de atribuição da Polícia Civil. O chamado ciclo incompleto de polícia tem gerado atritos entre as polícias estaduais, uma vez que ambas acabam por desenvolver formas de policiamento com invasão na área de atuação uma das outras.

    Segundo: É necessário e urgente a reformulação nas Policias Civis e Militares isto é, implantação da Carreira Única na Policia Civil e a desmilitarização da Policias Militares, objetivando um melhor aproveitamento dos seus membros na capacitação e valorização do policial, isto já foi discutido exaustivamente na 1ª Conferência Nacional de Segurança Pública em 2009 – CONSEG onde ficou estabelecido em uma das suas Diretrizes a criação da Carreiras Única nas Policias, veja a diretriz:

    18. 3.2. A – Criar e implantar carreira única para os profissionais de segurança pública, desmilitarizada com formação acadêmica superior e especialização com plano de cargos e salários em nível nacional

    Portanto, a capacitação e valorização do Policial está diretamente ligado a redução da criminalidade, isto é ponto pacífico, não se vislumbra um combate eficiente da criminalidade utilizando-se um policial totalmente desmotivado.

    Este é o grande desafio do Senador Renan Calheiros.

  • Gregório de Matos

    RENAN, COLLOR e LESSA, são os maiores INIMIGOS de Alagoas. Elles não querem, em hipótese alguma, o desenvolvimento de Alagoas e de seu povo, pois, quanto mais atrasados forem, melhor para o atendimento de seus interesses (APENAS ELEITORAIS). Vejam o exemplo da pobre e desvalida cidade de MURICI, quantos anos que o clãn dos CALHEIROS governam aquele município MISERÁVEL. E o COLLOR? Esse, já teve todas as oportunidades do mundo que o povo OTÁRIO lhe deu para provar que é um homem amadurecido e mostra-se sempre o mesmo, um MENINO BIRRENTO e IMATURO, e pior, que NUNCA fez NADA em benefício de Alagoas e de seu povo. E o velho conhecido “socialista de bar”, o DESTEMPERADO e ESQUERDISTA de ARAQUE, o RONALDO LESSA? Esse, foi o pior dos governos que o nosso estado já viu; junto com sua TCHURMA perpretou os maiores ESCÂNDALOS de CORRUPÇÃO já mais vistos na história de Alagoas. O bom é que as coisas estão mudando, LENTAMENTE é verdade, pois haverá um dia em que os CRÁPULAS da política alagoana serão coisa do passado. P.S.: Não se ENGANAM as pessoas por toda uma vida.

  • MARIA

    QEU RENAN QUE NADA. QUEREMOS NO COMANDO DO NOSSO ESTADO É GENTE NOVA QUE DESEMPENHE MUITÍSSIMO BEM O SEU PAPEL TRABALHE EM PROL DE UM ESTADO MELHOR DO QUE O QUE AI ESTA. ESSA É A NOSSA ESPERANÇA

  • silva

    Ora, a questão central nesta figura política alagoana, que não é única, não é o noticiário negativo na imprensa, esta mesma que influencia tanto em época eleitoral. Mas a ineficiência dos políticos em geral, principalmente aqui no estado, em resolver as questões sociais: aumento de violência, saúde, etc. Tudo isso é ofuscado pela corrupção, pelo interesse, pelas vantagens, etc. A imprensa às vezes faz sua parte, às vezes, mas, grosso modo, ela também ajuda a manter esse sistema “representativo” e “democrático” que é a eleição direta e que todos se dizem insatisfeitos com os político, no entanto, ano após ano é a mesma coisa: a mídia destaca a festa da democracia, o povo vota, alguns com esperança, outros vendendo o voto mesmo e a vida continua…

  • ZE

    Só espero que estes que escrevem que querem gente nova fiquem de olhos bem aberto, sabemos o quanto e de que são capazes para continuar no comando, pois pode ter gente que coloque qualquer sabugo e fique por trás fazendo o que vem sendo feito a mais de 4 decadas no Estado “NADA”.

  • REGINALDO

    ILUSTRADO JORNALISTA: RENAM E SEUS COMPANHEIROS, JÁ ERA. NINGUÉM AGUENTA MAIS ESSA TURMINHA. TEMOS QUE PROCURAR NOVOS VALORES, A EXEMPLO DO DEPUTADO JOÃO HENRIQUE CALDAS. SALVEMOS ALAGOAS EM QUANTO É TEMPO.

  • maciel gomes de melo

    RENÃO, PRECISAMOS RENOVAR E NÃO PARAR NO TEMPO DO DITADOR RENAN, MAIOR EXEMPLO É A POBREZA DA CIDADE DE MURICI. VAMOS RENOVAR ALAGOAS.

  • Ivaneide Maria Pinheiro

    Força Jovem na politica de Alagoas?? quem?? Filho de Renan, filho de João Caldas, filho de Guilherme Palmeira, filho de Galba Novais, filho de Francisco Holanda, filho de Antônio Holanda, filho de Collor, enteado de Benedito de Lira, filho de Gervásio Raimundo, filho de Manoel Gomes de Barros, filha de Cicero Cavalcante…filho de…

  • Adilson

    Alguem pode mim informar tem algum parente do Renan que nao é funcionario público, isso tou falando dos seus 7 irmaos, seus filhos,seus primos,seus cunhados. Ele quer fazer com Alagoas o que o Sarney fez com o maranhão esta ha 60 anos na politica daquele estado mantendo toda a familia mamando nas tetas dinheiro publico do Maranhão, será que os Alagoanos vai querer Renan 60 anos em Alagoas mantendo toda sua familia !

  • Rosita Cardoso Silva

    O homem foi abençoado pelo papa.
    resta saber se o povo abençoa o aeronauta FABiano.

  • PACATO CIDADÃO

    Este aí, tô fora..
    Aliás, não sei nem porque está lá no Senado mais uma vez…Com meu voto é que não foi.
    Se o povo alagoano pensasse um pouquinho, esta turma já estava fora da política há muito tempo..
    Acorda, povão…Não vamos esperar mais 500 anos, para construir Alagoas e Brasil melhores e sérios.

  • roberto

    Caro Ricardo,
    A voz do povo é a voz de Deus. Precisamos de mais manifestações populares. O tempo é amigo dos políticos. Precisamos agir sempre. O País precisa intensificar essas ações, precisa municipalizar esses atos. Cobrar cada ato, cada ação, chega de bolsa família, bolsa escola, bolsas que furtam a consciência do pobre povo brasileiro e imposto nosso de cada pão.
    “Ser ou não ser, eis a questão”
    “Quem sabe faz a hora, não espera acontecer’.Um canto que todos esqueceram depois que arrumaram um canto”.

  • palmeirense dm

    Senador Renan Calheiros é melhor nome para governar Alagoas, foi o que trouxer mas recursos para o Estado, graças a sua intervenção, e sua força política o Estaleiro finalmente foi aprovado,vem fazendo um papel fundamental no congresso Nacional. Sem duvidas é o melhor para Alagoas.

  • BURACO É MAIS EMBAIXO.

    O desafio do Brasil é só um, ÉTICA na política, problema é só um, FAMIGERADA DÍVIDA PÚBLICA FEDERAL, a qual em 1994 era de apenas R$ 60 bilhões (ITAMAR FRANCO), entre 1995 a 23/07/2013 FHC + LULA + DILMA pagaram o absurdo de R$ 9,359 TRILHÕES via Ministério da Fazenda, nos Códigos Orçamentários 25.000, 71.000, 74.000 e 75.000 e o italiano Mantega ministro da Fazenda diz ser o Orçamento uma peça fictícia, da mentira. Devemos algo em torno de míseros R$ 3 TRILHÕES [Títulos em poder do Público (R$ 2/2,4 TRILHÕES), + Títulos em poder da BC- Banco Central (R$ 600/800 BILHÕES), + DEL – Dívida Externa Líquida (R$ 100/130 BILHÕES)], podemos dizer que FHC/LULA e DILMA tomaram empréstimos em mais de R$ 5 TRILHÕES. Outro, leia-se DELFIM NETTO disse que existe truques em demasia na Área Fiscal e precisam ser eliminados logo, pasmem os brasileiros a que ponto chegamos.
    E o que tem isto com o senador RENAN CALHEIROS como candidato ao governo de Alagoas? Tem haver e muito, uma vez que tem aprovado Orçamentos da União FICTÍCIOS, MENTIROSOS e bote o querer de fazer REVOLUÇÕES na Educação, Saúde, Segurança etc, que não vai conseguir mudar em nada, porque toda a riqueza produzida no BRASIL por nós quando vamos as compras e pagamos TRIBUTOS, é desviada para uma minoria pobre de RICA, justamente os detentores da FAMIGERADA DÍVIDA PÚBLICA FEDERAL, que existe, MAS JÁ FOI PAGA, os numerais retratam, falam a verdade. Só para se ter uma ideia os desgovernos LULA e DILMA, que juntos TORRARAM entre 2003 a 23/07/2013 R$ 7,279.7 TRILHÕES com o MINISTÉRIO DA FAZENDA, mas com CIDADANIA via MINISTÉRIO DA CULTURA gastou apenas R$ 6 bilhões, com o MINISTÉRIO DA JUSTIÇA gastou apenas R$ 69 bilhões, com o MINISTÉRIO DO COMBATE A FOME (as tais Bolsas Esmolas) gastou apenas R$ 281 bilhões, com o MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO gastou apenas R$ 363 bilhões e com o MINISTÉRIO DA SAÚDE gastou apenas R$ 534 bilhões, MAS, com o MINISTÉRIO DA FAZENDA TORRARAM SÓ R$ 7,279 TRILHÕES. O senador RENAN CALHEIROS, aprovando LOA que determinam um governar SEM divisão equânime das riquezas produzidas, vai mudar ALAGOAS em que? Aqui mesmo, para se construir uma duplicação de Maceió a Barra de São Miguel, 65 Km de Canal do Sertão, só fizeram porque tem uma MISCELÂNEA POLÍTICA entre PT de Dilma + PSDB de Téo + DEM de Nonô.
    Se conselho fosse bom, ninguém dava, vendia, então sugiro ao nobre Senador RENAN CALHEIROS, primeiro arrumar a casa aí em Brasília fazendo AUDITORIA na Dívida Pública Federal e um ORÇAMENTO DA UNIÃO mais próximo da ÉTICA, que não seja fictício e mentiroso. Não estamos falando em R$ 0,01, mas em TRILHÕES de Reais. Essa é a grande oportunidade de apurar em que foram gastos, torrados os mais de R$ 5 TRILHÕES que tomaram emprestados, quais as maracutaias entre orçamento fictício, mentiroso, e os truques na Área Fiscal.
    Se não acompanham os meus passos, quanto mais o raciocínio e certa feita um técnico do pensar pequeno disse que antes de falar, deve-se ouvir, há mais de 4/5 anos que falo a mesma coisa e ninguém contesta para ouvir. No mínimo estou zuruó da cabeça, mas no caminho certo do PENSAR GRANDE.
    Diante só rindo.
    P/Arabutan.

  • Lembrando Depois

    Renan é sempre lembrado pelos prefeitos do interior de Alagoas pelo poder aparentam ter em escala nacional.Todos gostam de ser amigos dos poderosos sem um exame critico “se tão poderoso qual a coisa tão importante que ele mandou para Alagoas?”
    Criador de gado ? Uso de avião da FÁB em atividades sociais particulares?Desarmar a população sabendo que não poderia fazer o mesmo com os bandidos?
    Proponho ao Renan viajar em avião de carreira juntos com as pessoas normais. Tem medo de ser hostilizado escutando piadinha?

  • Cicero Lima Silva

    E a lei da ficha Limpa que o senado não aprovou. Porque o senador não fala do assunto.