Nada mais apropriado, nos tempos de agora, do que denominarmos donadon e taturana como moedas do mundo da corrupção.

Claro, pelas diferenças evidentes de valor, o donadon seria apenas um troco para o taturana: um donadon, na conversão, valeria algo próximo a três centavos de taturana.

O primeiro seria a moeda da Grand Amazon; o outro, dinheiro corrente em Caetelândia.

Assim sendo, no noticiário noturno televisivo, poderemos ver o gráfico e ouvir a voz empostada do locutor dando as notícias de economia (a ciência do fim do mundo):

– Nervosismo no mercado por conta da “crise do vinagre”. Devido à grande procura pela moeda e ao esvaziamento das reservas de Caetelândia, o taturana fechou o dia em alta. O donadon está trancado no cofre de um paraíso fiscal. Os investidores acreditam que só será possível liberá-lo se houver grande oferta de habeas corpus, a moeda de Justiçonópolis, uma ilha perdida no meio do Oceano Revolto.

A partida que não terminou
De como a fruta do plebiscito apodreceu tão depressa
  • antonio

    Moedas bem adaptáveis ao modus vivendi da esquerda tupiniquim,que tanto tem aperfeiçoado o SISTEMA em que a CORRUPÇÃO é a instituição PRIMEIRA!

  • Romao

    Ricardo, você é ótimo! Como é que consegue fazer essas conjecturas? Rsrsrsrsrsrs. Amei o título dessa crônica e as comparações são “sue generis”, muito boa! “Caetelândia”, em referência a terra dos Caetés, foi demais, rsrsrsrs!
    Bom final de semana e parabéns!

  • ARTUR

    O que dificulta a moralização da ¨POLITICA E DOS POLITICOS¨ em nossos pais é a sede de poder e do dinheiro.
    Solução do problema:1º- Os partidos não filiarem políticos com processos seja de crime contra a vida ou por desvio de verba públicas,2º- os eleitores não venderem seu VOTO e procurar votar independente.3º- Afastar da função de Dep. Sen. Pref. Gov. Ver. todos que respondam a processos. kkkkkkkkkkkk Pronto não fica mais ninguém. Vamos procurar outra solução? Pedir a Deus que mande um espirito evoluído para semear a honestidade e o desapego a poder.
    Previsão para solução, mais 513 anos.

  • Eures Tadeu Barbosa de Oliveira

    Não podemos transformar esse imbecil em bode expiatório. Cadeia nod outros.

  • Fred Albuquerque

    Um pescador não sai de casa para pegar peixe pequeno. É só um cala boca da justiça, a fome do povo não vai passar com peixe pequeno.

  • OBSERVADOR

    PARA OS TATURANAS A MOEDA “DONADON”, SE APLICADA NO SISTEMA CARCERÁRIO (OPS!), DIGO, NO SISTEMA FINANCEIRO DO ESTADO, VAI DAR-LHES UMA “DONADONA” DOR DE CABEÇA E LEVÁ-LOS A FALÊNCIA POLÍTICA.

  • Antônio Carlos de Almeida Barbosa

    Prezado Mota, comentário perfeito e bem criativo. Há muito tempo, a relação do poder político com o cidadão é de desrespeito e descaso, abusando de todos.
    O atraso da justiça garante a impunidade.
    Não aceito os saques nas manifestações, mas minha indignação é bem maior e já dura a minha curta existência (51 anos), são os saques dos cofres públicos, bem mais violentos, que já dura desde o nosso descobrimento. Todos os brasileiros (do bem) gostaríamos que acabassem o mais rápido possível. Não dá mais para suportar a corrupção no nosso Brasil.

  • Carlos

    Espero que um dia os Donadons (deputados) de Alagoas estejam na cadeia. Com certeza, após a prisão do deputado, eles não estão tão tranquilos como antigamente. Vamos aguardar!

  • Antonio Moreira

    A teia de aranha é como a Justiçonópolis, ela só serve para prender os fracos!

  • Fabiano

    Vamos fazer uma passeata,e ir para frente do Tribunal de Contas!!!!!!

  • Juanito

    Essa conversão donadon/ assembléia legislativa alagoas sofreu uma deflação violenta. Um Real alagoano da assembléia alagoana eqüivale a muitos donadons. Valeu Ricardo!

  • Antonio Alves

    Hora de rever tudo, inclusive Código de Direito Penal e Estatuto da Criança e do Adolescente. Bandido é bandido, seja ele maior, menor, político, etc…

  • REGINALDO

    PARABÉNS ILUSTRE JORNALISTA PELO SEI INTELIGENTE COMENTÁRIO.HOJE UM ELEMENTO ESTÁ PRESO POR 8 MILHÕES DE REAIS. OS TATURANAS PASSARAM AS MÃOS EM 300 MILHÕES E NADA ATÉ AGORA. O INQUÉRITO DORME EM BERÇO ESPLENDIDO NO S T J . O MESMO ACONTECE COM OS 100 MILHÕES DO TRIBUNAL DO FAZ DE CONTAS DE ALAGOAS. TAMBÉM O INQUÉRITO ESTÁ NO STJ. E POR ONDE ANDA O MINISTÉRIO PÚBLICO DE ALAGOAS QUE NÃO FOI AO CORREGEDOR NACIONAL DA JUSTIÇA PARA QUESTIONAR ESSE DEMORA CAUSADA PELO MINISTRO RELATOR DE AMBOS OS PROCESSOS ?