Do querido amigo Hermann Fernandes, alagoano de alma, recebi o texto abaixo. Vale a pena ser lido.  

É, eu também assisti ao CQC. E em nada me causou surpresa aquilo que lá foi mostrado. Aliás, basta acompanhar as notícias dos jornais, rádios, blogs, portais e tantas outras mídias produzidas aqui em Alagoas e você verá que tudo aquilo, de uma forma ou de outra já havia sido dito. Talvez de forma não tão direta. A diferença é que nós alagoanos nos indignamos quando as nossas verdades são mostradas por quem vem de fora. Aí bate aquela “revolta” do tipo: vamos fazer alguma coisa! Isso é uma vergonha! Temos que mudar! Só passa coisa ruim de Alagoas na TV! Viu só, saiu no CQC. Viu lá, estava no Jornal Nacional!

Chego à conclusão de que é preciso que haja indignação com a realidade que vivemos no dia a dia, e não somente quando essas verdades nos chegam pelas imagens da TV, com sotaque paulista ou carioca. O sentimento de Ser Alagoano não pode ser despertado apenas quando somos achincalhados em rede nacional. Ele precisa se erguer ao vermos crianças nas ruas. Ao desviarmos de corpos desfigurados que sob o efeito da cola ou do crack congestionam nossas calçadas.

Um cenário que tem se tornado tão comum quanto o belo azul esverdeado das águas de Pajuçara. Ser Alagoano é NÃO achar normal tantas mortes num final de semana. É NÃO achar normal praias como a do Francês e a Barra sem a menor infraestrutura, mesmo quando somos apontados como a potencial capital brasileira do turismo. Ser alagoano é NÃO esperar que nossas mazelas ganhem as telas em rede nacional para chegarmos à conclusão de que algo precisa mudar. E esse algo, está diretamente voltado para a forma de pensarmos Alagoas.

NÃO é apenas uma questão política, mas de posicionamento: o que somos e o que queremos ser. NÃO é apenas uma questão política, mas de respeito: como somos vistos e como queremos ser vistos. NÃO é só uma questão política, mas de futuro: onde vivemos e onde queremos que nossos filhos vivam.

Alagoas é um Estado abençoado pela natureza. Maceió tem a mais bela orla do Brasil. Arapiraca é uma das cinco cidades médias que mais crescem no país. Somos um polo gastronômico de primeira grandeza. Mas nós, alagoanos, políticos ou não, fazemos muito pouco para manter esse legado. Sabe por quê? Porque continuamos a nos indignar mais com aquilo que a TV fala da gente do que com aquilo que vemos escancarado, todos os dias, em nossa porta. O CQC ainda nos incomoda mais do que a realidade que bate todos os dias na nossa cara.

 Hermann Fernandes

Presidente ABAP – Capítulo Alagoas

 

O filósofo do riso
Há juiz leeento, mas há juiz ligeirinho
  • Narciso de Portela Matos

    Caro Ricardo. Dá gosto ler uma crítica construtiva como essa, é a pura realidade, escrita de uma maneira simples ,que td mundo entende. Espero que com essa, o povo se ligue e pense duas vzs na hora de votar. Parabens Hermann Fernandes, e obrigado!

  • Celso Tavares

    É isso.

  • Hugo de Pontes Cezario

    Belo texto!
    Infelizmente na nossa querida Alagoas ainda campeiam a cultura da ignorância, da desinformação; o culto à “otoridade”; o servilismo parasita daqueles circundam as “otoridades”!
    Que o “tempo histórico” das mudanças é muito mais lento do que nossas fugazes existências, sempre soube. Agora, que o “tempo histórico” de Alagoas é muito mais lento ainda, somente percebi quando, por razões profssionais, deixei a terrinha…
    Abraços,
    Hugo

  • João Miguel Torres Barros

    Ricardo, primeiramente parabéns por ter selecionado o comentário do Sr. Hermann Fernandes, que ratifico em gênero,número e grau, como antigamente se falava,uso, para expressar a realidade do nosso “rico”e tão “pobre” Estado, pobre por culpa única e exclusiva nossa. Passei quase 07(sete) anos exercendo a função de Defensor Público na 1ª Vara da Infância e conheço a realidade posta neste comentário. Precisamos todos nós alagoanos, reforçar este “GRITO” por uma “ALAGOAS” com uma melhor distribuição de renda e mais justeza de nossos Políticos. Pode ser uma “UTOPIA”, mais sou um sonhador.

  • dalton de lara stella

    Não sou alagoano mas residi aí por cinco anos.Vcs precisam ouvir com sotaque de um paranaense:em primeiro lugar Alagoas é Brasil e certas coisas que vcs colocam como maravilhoso e inédito ,não o são.Vou ser direto em uma dessas afirmações,O conceito de bonito numa cidade,nunca pode se dissociar de o ser para todos.Cito um exemplo,Pajuçara,linda para quem está frente ao mar mas se vc andar duas quadras para trás ,é um horror.Eu sou de uma cidade que foi exemplo de urbanização e onde o conceito de beleza cabia a todos,como diz Caetano,luxo para todos.Esta foi Curitiba que hoje, graças a política ,não está com esta bola toda.O que acontece?Vcs tem prefeitos,governador,deputados estaduais e federais e vereadores e acoisa não anda.O que falta para Alagoas em tudo que observo é simplesmente planejamento.Cito um exemplo:o discurso dos poderes ,em qualquer lugar ou mídia ,acaba quando?
    Quando se solicita uma data para um evento.Planejar é preciso,realizar também.

  • dalton de lara stella

    Completando.acho que o que aconteceu no CQC é muito igual ao que aconteceu em Brasília e noutros estados com suas “excelências”,até porque eles são os mesmos em todos os lugares.Acho que o importante para Alagoas é acabar com esta mania da imagem perante a nação,embora vcs não gostem ,ela não é nada boa.Importante é fazer a quem aí mora, independente da origem ,se sentir valorizado pelos bons serviços públicos,emprego,renda,etc.Tudo o que é bom rápidamente se divulga.Com certeza , aí Alagoas vai se tornar naturalmente,pela primeira vez,uma referência ao país.Não aquela referência que a elite deseja mas a da democratização de acesso a tudo que o estado oferece.Um exemplo?Curitiba,quem construiu a sua imagem foi o povo e quem divulgou?A qualidade de vida da população.

  • marquinho

    PARABÉNS PELO TEXTO, faço parte do turismo, min vergonha quando sou abordado pelos turistas, sobre a sujeira de nossas praias, as lingas negras que estao em toda orla, a falta de estrutura de nosso porto. A orla toda quebrada, e o que se ver de nossos politicos?, RENAN vive brigando com a presidente, não consegui nenhum recurso para o nosso estado, ficou fora na briga pela vinda do estaleiro, biu de lira só trouxe um trem eletrico, a nossa ALE, simplesmente aplicou um golpe de 300 milhoes. A ORLA DE MACEIO SÓ FOI REVITALIZADO, COM APOIO DO LULA, A FAVELA DE JARAGUA, CONTINUA NO MESMO LUGAR, MESMO O PRESIDENTE LULA, ter construido os aptos na praia do sobral,.
    Quando não se investe em educação o resultado é esse,. Essa semana vi duas reportagem, onde grandes filas se formaram para ter serviços basicos, bolça familia e serviço medico, esse ano é ano de eleição, essas pessoas que estavam sofrendo nas filas em quem iram votar? MÁS EM NOSSO ESTADO TUDO É FESTA, E NADA SE RESPEITA, NEM A JUSTIÇA. ate quando iremos ser tratados como palhaçao?

  • josé assis de frança lopes

    Se trata da mais pura verdade do nosso cotidiano. Maceioense que sou, fico indignado com as nossas praças totalmente desprezadas, mercado da levada, lixo que não acaba mais, pista ao lado dos trilhos precisando ser recapeada totalmente, dique estrada sem solução há muito tempo, sinal de transito haja pedintes crianças e adolescentes, até quando meu Deus!!Que haja mais reportagem sobre tudo isso

  • Mário

    Para esta indignação, há uma solução simples: O voto.

  • Audalio Marinho Neves

    Parabéns pelo feliz comentário.

  • sergio

    Meu humilde parabéns ao Sr. hermann pelo texto. Concordo plenamente, bom seria que ele servisse para despertar em nós alagoanos – que somos o silêncio de nós “o silêncio dos bons” – vivemos sim anestesiados. Recorrer a quem? Os Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário não são vistos por nós com confiança. No cenário político vemos de senadores a vereadores pessoas claramente, reconhecidamente criminosos posarem e usufruirem da tal “imunidade parlamentar”, são eleitos pela miserabilidade da população ou então pior pelo medo que sentem dos “coroneis”, nos cargos de secretario, este nos três níveis, pessoas sem nenhum caráter, sem nenhuma moral, logicamente que não todos, procurando minuciosamente até se acha um ou dois, perfeitos marginais do terno bem cortado, de voz impostada, do avião e do wisque.
    Por isso caro Hermann nosso povo está descrente, “esperando a morte chegar”. O político alagoano, com muita desfaçatez ou coragem em dizer o que todos sabem, 99,9% dos políticos daqui fazem, COMPROU VOTOS. Que novidade! Estamos a caminho do precipício. Só falta aquele político careca ser presenteado com vaga de conselheiro do TC.

  • Rafael Ipioca

    Belas palavras Hermann.

    Infelizmente suas palavras chegam a uma parcela mínima da população. Lembre que quem elege os políticos ruins (ficha moral suja), é a população mais carente e com pouco acesso a informação.

    Existe também os “bem informados” que acabam também votando nesses políticos “sujos”, mas um ser em sã conciência votando nesses caras, tem 2 vias:

    OU É BURRO
    OU VOTA, PENSANDO EM BENEFÍCIO PRÓPRIO.

    Se a população em geral está insatisfeita com o cenério político alagoano, façam uma coisa: PAREM DE VOTAR NOS LADRÕES

    Simples assim.

    Tem gente que vende seu voto por “100 conto” e depois fica reclamando que não tem calçamento na rua ou que está mal iluminada!!!!! CONTINUEM FAZENDO AS MESMAS ESCOLHAS TODA ELEIÇÃO, QUE VÃO CONTINUAR “se lascando” sempre !!!!

  • André Luiz Fernandes Mascarenhas

    Prezado Hermann,
    Não tive a sorte de nascer neste paraiso natural chamado ALAGOAS!
    Ainda assim, decidi, há quatro anos, viver aqui: “adotar” e “ser adotado” por este Estado e esta cidade maravilhosa, Maceió!
    A sua indignação é a minha indignação: PARABÉNS! Manifesto Perfeito!

  • Pedro

    Quem estver indignado a solução é mudar para Sergipe ou Pernambuco, Alagoas ainda é uma provincia dominada por grupos que formaram uma quadrilha para assaltar o dinheiro público com a conivência dos três poderes. Vejam o que vai dar o processo dos Tarturans, nada! provavelmente.

  • Pedro

    Quem estiver indignado a solução é mudar para Sergipe ou Pernambuco, Alagoas ainda é uma provincia dominada por grupos que formaram uma quadrilha para assaltar o dinheiro público com a conivência dos três poderes. Vejam o que vai dar o processo dos Tarturans, nada! provavelmente.

  • marta lima

    Terra dos Marechais, dos Coroneis,Terra abençoada pela natureza, mas abondonada pelos seus politicos e sua sociedade feudal, é isso mesmo Alagoas é dividida em feudos e ai daquele que discordar é morte certa! de nada adianta a indignação porque é verdade.

  • NELMA BARROS

    Olá Ricardo, gostei de ver publicado no seu blog um texto tão bem escrito, que deveria ser lido por todos os alagoanos de bem, que não gostam de ver somente fatos negativos em rede nacional, que desabonam a gente boa de Alagoas. Abraços

  • ARTUR

    RICARDO,PELOS COMENTÁRIOS DE QUE A 17ª
    VARA É INCONSTITUCIONAL POR VARIOS ADVOGADOS. PELO QUE VIMOS NO CQC, PELA JUSTIFICATIVA DO DEPUTADO E O TRATAMENTO QUE DERAM AO JUIZ ADAMASTOR EM BENEFICIO AO ACUSADO DE CHEFE DA GANGUE DA ALE. TIRO A SEGUINTE CONCLUSÃO: SERIA MELHOR EXTINGUIREM A 17ª VARA E PASSAR PARA OS ADVOGADOS CRIMINALISTAS O DIREITO DE: ACUSAR,PRENDER, INDICIAR E A ASSEMBLEIA SUBSTITUIRIA O FORO PARA CONDENAR OU ABSOLVER O REU. Ex. O JUIZ SERIA O PRESIDENTE OU VICE DA ALA E OS JURADOS SERIAM OS TATURANAS OU OS IGUAIS. ASSIM SERIA BOM PARA QUEM DEFENDE FICHA IMUNDA. OU NÃO?

  • Arthur M

    Caro Ricardo,

    Admiro muito seu trabalho. Este texto do Herman, retrata muito bem o que acontece em Alagoas. A rotina da corrupção(ROUBO, corrupção soa muito leve para os grandes CRIMINOSOS do nosso estado) e do descaso com políticas públicas. Estou morando em Rondônia há 02 anos, em que pese também haver corrupção e um certo descaso, o nível é outro. Escolas, criança nas escolas, zero de extrema pobreza. Se informe na internet sobre a operação Termópilas, que prendeu o então presidente da AL de RO. Já foi solto e agora está foragido. A mídia Rondoniense(mesmo que nas mãos de políticos, a favor e contra Valter Araújo) cobra da AL a cassação do ex-deputado.
    Abraços, continue este teu trabalho, que é de extrema importância para que um dia esses bandidos sejam expurgados do poder público.

  • jobson

    Todos os dias ouvimos pessoas cmentarem, a Assembléia, o T. de Contas e câmara de vereados são lixo, verdadeiras capitanias hereditárias, analise, os bisavos que ha dezenas de anos camandam, e transformaram em casas de negócios.Culpa dos malditos eleitores vendedores de votos, e as autoridades ficam apenas observando.

  • Felipe Fernando de Almeida Sá Cardoso

    Acho que é apenas uma questão voltada para aquilo que está em evidência!!! O negativo sempre deu mais notícia do que o cotidiano e comum. E eu acho sim que seja uma questão, não exclusiva, mas principalmente política e da postura dos políticos que elegemos!!! Na verdade é uma discussão que não levará a lugar algum: nossos representantes são acomodados e nossa população (a maioria sem opinião formada) fica na dependência daquele que der mais. A “polêmica” do CQC vai passar… continuaremos indo às praias, os turistas continuarão lotando nossos hotéis, continuaremos tento o litoral mais belo do país e assim será! Salve o lado bom de Alagoas reconhecido internacionalmente!!! Mas que a podridão seja mostrada sim, para quem sabe assim possamos sentir vergonha de nós mesmos e os políticos de si próprios.

  • Marcelo Martins

    Parabéns pelo texto, mesmo nao sendo nascido em Alagoas e ter me mudado recente para este estado, me sinto como morador no direito de defender e lutar para que este tenha maior respeito, porem nao é reclamando da mídia, que esta já provou nao conseguir mais provocar mudanças, apenas indignação. Temos que mudar nossas atitudes de nao baixarmos para pessoas sem escrúpulos que deixam nosso estado nesta vergonha nacional e deixarmos de sermos bobos de aceitar dizendo que é assim mesmo.

  • tania

    Muito bom… realidade pura!

  • sara

    É, o alagoano já foi um povo guerreiro,hoje é apático,conformado com o descaso e a miséria que nos rodeia,só sabem fazer greve quando dói no bolso, lutar por melhor educação,saúde,segurança,politica habitacional, isso ninguém luta.Na ditadura muitos jovens perderam a vida lutando pela democracia,os jovens de hoje parecem uns robôs sem nenhum ideal,e temos tantos problemas para resolver e eles acham que aqui é a Noruega!

  • Joaquim Milton

    Parabéns pelo texto. É a pura verdade. Tudo que foi mostrado – e ainda será – é tudo aquilo que sabemos. A maioria dos alagoanos sabem das mazelas que existem em nosso Estado, o que faslta é mobilização sem necessariamente´ser impulsionada por uma reportagem a nivel nacional.

  • Ronaldo Rodrigues Lins de Araujo

    Prezado Hermann,
    Parabéns pelo seu inteligente, oportuno e necessário texto, que de forma simples, retratou toda a indignação dos alagoanos de bem e do bem da nossa bela Alagoas.
    É lamentável a situação degradante instalada nos Poderes Constituídos. É isso.

    Um abraço,

    Ronaldo Rodrigues Lins de Araujo.

  • Paulo Fonseca

    PERFEITO!

  • Leonam Quirino

    Caro Ricardo Mota.
    Lendo os comentários, da coluna com o excelente texto do Hermann Fernandes, em quase todos o que se vê, são observações que quase sempre dá como solução o VOTAR NAS PESSOAS CERTAS. De nada adianta se a pessoa CERTA estiver no comando, e os que fazem o Estado não estiverem CULTURALMENTE imbuidos de uma auto estima em alta. O que se vê, nos sites, TVs, comentários, é a maximização da negatividade em detrimento da maximização dos muitos pontos positivos que o Estado e Alagoanos têm. 

    Paul Joseph Goebbels (29 de outubro de 1897 – 1º de maio de 1945), foi o ministro da Propaganda de Adolf Hitler na Alemanha Nazista e dizia: “Uma mentira repetida mil vezes torna-se verdade”

    Os estudos no país tratam os Estados desiguais de forma igual, gerando indicadores, infelizmente,  desfavoráveis. Somos o SEGUNDO menor Estado da Federação, mas também somos o QUARTO Estado com maior densidade demográfica. Lógico que os números são equivocados, porque a proporcionalidade inexiste.

    Se tivermos dez ovos num prato e soltarmos de cima pra baixo uma pedra, a possibilidade de acertar em um ou mais é bem maior que se os mesmos dez ovos estiverem em uma bacia. O tratamento dado aos desiguais tem que ser de forma, também desigual. 

    Os alagoanos têm que gostar de SER ALAGOANO. Utilizo uma frase sobre Alagoas, que representa muito bem a falta da auto-estima desse povo maravilhoso : O NÃO, JÁ EXISTE. VAMOS MOSTRAR O SIM?

    Observação válida. Sou de Campina Grande – Paraíba e fui banhado na Mundaú, no dia 02 de abril de 2009. Um dia após o dia da mentira. Portanto, é verdade pura o que eu digo. 

  • Alan Bernardes’

    Parabens Herman. Este texto deveria ser colocado em todos os outdoors do estado de Alagoas, como forma de inspiração

  • Pablo Hernandez

    BRAVÍSSIMO SR. HERMANN FERNANDES, O POVO ALAGOANO, PRINCIPALMENTE OS PARASITAS DO GOVERNO ESTADUAL E DA PREFEITURA, COSTUMA FECHAR OS OLHOS DIANTE DA REALIDADE PARA QUE ESSA DOA MENOS EM SUAS ALMAS.SOMOS TODOS RESPONSÁVEIS PELA SITUAÇÃO DE MISÉRIA QUE SE ENCONTRA HOJE A MAIORIA DA POPULAÇÃO DO ESTADO DE ALAGOAS.
    VAMOS FAZER O QUE AINDA NÃO FOI FEITO!

    “Mas nós, alagoanos, políticos ou não, fazemos muito pouco para ma nter esse legado. Sabe por quê? Porque continuamos a nos indignar mais com aquilo que a TV fala da gente do que com aquilo que vemos escancarado, todos os dias, em nossa porta.”

  • Maria

    Pra mim o que falta em Alagoas é investir em educação, é o principio de tudo.

  • manoel messias

    todos as vezes que preciso ir ao centro da cidade vejo uma realidade que me envergonho,criancas e adolecentes mendigando sob efeito de drogas e o maior centro de esploração sexual do estado;nos fundos da sede do governo;a secretária de ação social eu ví a mesma em ação foi no desfile do pinto da madrugada todos devidamente fardado se divertindo emquanto crianças catavam latinhas.

  • Fabio Gomes

    Texto elegante, objetivo e substantivo. Acrescento apenas que quando nós mesmos fazemos uma crítica fundamentada sobre a realidade política e sócio-econômica do estado, somos blindados pela mídia ou escorraçados por opiniões panfletárias e absurdamente parciais. O Jornal O Valor recentemente publicou matéria importante sobre a economia e política alagoana e logo trataram de encobrir as informações.

  • Silva

    Ricardo, cessaram os comentários acerca da operação ESPECTRO? Parece que houve uma mudez geral da imprensa… o que será que houve? O jornalismo não tem apenas a responsabilidade de Denunciar, mas também de divulgar o resultado daquela denúncia, como acompanhamento, resultados, etc. Talvez isso não dê tanto ibope, mas ao menos soa como um trabalho mais profissional-planejado..

  • Dudu

    Acho engraçado quando as pessoas dizem “Moro onde vcs passam férias”, “Alagoas tem um povo recepitivo”, “a Capital com o litoral mais belo do Brasil”… Como se o Paraíso realmente fosse aqui. NÃO É! Os alagoanos são ludribiados todos os dias e em todos momentos e acham graça. E quando alguém fala a verdade do nosso povo você ouve a indagação mais convarde: “não tá gostando? Vá embora!” Mesmo apresentando os piores indices do Brasil: Educação, saúde, mortalidade infantil, IDH… vc não pode falar mal. Em Alagoas as pessoas não são educadas com urbanidade, com valores básicos de cidadania e respeito ao próximo. Em Alagoas a qualquer momento uma pessoa pode ser vítima se cruzar na frente de um “cabra macho” que conta causos de valentia desmedida e arranca sorrisos dos seus pares de mesmo intelecto, dissiminando a cultura do “cabra da peste” onde quanto maior for a valentia mais será “considerado”. Algo que reflete o atraso social, que amarra o desenvolvimento humano por causa de uma cultura tosca que se vê impregnada nas mentes mais “abertas” da sociedade alagoana. Como poderemos melhorar dessa forma? Uma sociedade que aceita mandos e desmandos de meia dúzias de bandidos que se tratam como “excelencias”, pois, na nossa cultura esses detentores de imponente pronome de tratamento podem tudo, até fazer o mar secar e nem Deus pode puni-los simplesmente por que “eles podem”. Uma sociedade que fica aguardando o grande heroi, sem se dar conta que esse não existe. Que nós somos subjulgados por crápulas poderosos e por tal não podemos fazer nada, aceitando numa boa tudo que acontece. Onde nossos representantes legislativos não sabem sequer escrever, com mentalidades da época de lampião, com ar de arrogancia desmedida onde o jargão “você sabe com quem tá falando” é tão comum como como um simples “bom dia”. Eu particularmente acho que Alagoas sai bem na fita quando se torna notícia nacional, pois nossa realidade é bem pior do que é veiculado. Alagoas devia agradecer pela edição de todas as informações em nivel nacional. Nós sabemos disso!

  • Professora

    Caro Ricardo, gostaria de ter escrito esse texto que vc posta no seu blog ,MARAVILHOSO! Meu Deus, como pode alguém escrever algo q estava inteirinho na minha cabeça. Nós alagoanos precisamos gritar contra o descaso na educação, no HGE, no transito, aquele buraco histórico no centro de Maceió atrapalhando a vida de quem passa, chega de escrever besteiras, vamos criar vergonha! CQC, não viria a Al, se a ALE estivesse discutindo a Educação, projetos , Dcreto da SEE milionario, etc, etc…