Dirigentes do Grupo Synergy, do Estaleiro Eisa, tiveram a primeira reunião com a equipe técnica do Ibama nacional para discutir o empreendimento em Alagoas. 

A reunião durou cerca de quatro horas, em Brasília, e contou com a presença de um representante do governo do Estado. 

Foi a primeira análise conjunta do novo EIA-RIMA que o grupo empresarial entregou ao Ibama no final do mês passado. A reuniu serviu, principalmente, para tirar as dúvidas do Ibama em relação ao documento, mas não foi, ainda conclusiva. 

O prazo para o início das obras, segundo o empresário Gérman Efromovich está mantido: em setembro deve ser lançada a pedra fundamental do Estaleiro Eisa, no Pontal de Coruripe.

Dilma faz primeira visita a Alagoas sem Renan e Collor
Adalberon de Moraes será julgado em Maceió no caso Paulo Bandeira
  • Das Neves

    Agora vai com fé em DEUS. DEUS é PAI e o povo precisa de trabalho e dignidade.

  • DudaJr

    Tenho a certeza que de quando o Eisa realmente começar para valer o Grupo Synergy vai colocar a AVIANCA Brasil para voar em Maceió tb. Teremos assim mais opções e concorrência.

  • servidor público

    Esse estaleiro tá do mesmo jeito que a safadeza da copa do mundo… Primeiro vai se repartir boa parte do bolo pra depois se começar a construir.

  • Dinho

    Boa Governador! Para quem não acreditava está aí… O EISA já é mais que uma realidade e quem ganha com isso são todos os alagoanos.

  • Mazinho

    Gostaria de parabenizar os governantes desse estado, pois esse estaleiro concerteza vai desenvolver ainda mais a bela AL, serão gerados inúmeros empregos.

  • Tania Lima

    O nosso estado já está numa crescente e com o EISA que hoje é uma realidade, Alagoas só tem a crescer cada vez mais, com o Governo Téo estamos passando por uma verdadeira TÉOSUNAME DE PROGRESSO.

  • EULÂMPYO

    SÓ ACREDITO QUANDO O TAL DO ESTALEIRO ESTIVER CONCLUÍDO, MEU RENITENTE PESSIMISMO SE ORIGINA DE MINHA PRÓPRIA DESCONFIANÇA, ACHO UMA EXCELENTE POLÍTICA QUANDO SE TRATA DE ALAGOAS.

  • PêCê

    QUERO MUITO COMEMORAR, MAS…
    ENQUANTO NÃO SAIR OFICIALMENTE ESSA TAL DE LICENÇA AMBIENTAL, NADA FEITO. AINDA MAIS AGORA QUE ALAGOAS TEM 4 DAS 10 CIDADES QUE MAIS DEMITEM NO PAÍS, E JUSTAMENTE EM CORURIPE QUE É LÍDER NESTA LISTA.
    QUE VENHA O EISA E JUNTO TRAGA MAIS INDÚSTRIAS PRA QUE ALAGOAS SE EMANCIPE DE VEZ, SÓCIO-ECONOMICAMENTE…
    VALEU TÉO.

  • daniel blinder

    Caro Ricardo:
    Avise ao governador que os srs. senadores Collor e Renan conhecidos como contrários ao estaleiro, estão de férias na EUROPA em merecido descanso do árduo trabalho que fazem contra Alagoas.
    Aproveitemos a bendita ausência para conseguir esta licença.

  • Bruno Marinho

    Vindo desse governador,só acredito vendo.

  • ATENTO

    ALAGOAS NO RUMO CERTO. MEUS IRMÃOS ALAGOANOS QUE ESTUDAM E PRECISAM TRABALHAR AGRADECE POR MAIS UM EMPREENDIMENTO QUE VAI TORNAR ALAGOAS UM ESTADO MAIS FORTE.

  • Amélie Poulan

    Muito bem, as perguntas são: A Petrobrás já autorizou a EISA a participar das concorrências para fazer navios? A EISA Já ganhou essas concorrências? Onde um navio vai entrar e sair de Coruripe, por cima dos arrecifes, tem calado para isto? As chapas virão de onde, Vitória, Rio ou São Paulo? Virão de carretas, trem ou navio? A energia para soldagem, já tem linha direta de transmissão Xingó/Coruripe? Acho que esse estaleiro está fazendo água há tempo.

  • Albert Stocker

    finalmente vamos ver o progresso com IBAMA. Acho muito bom que vc continua a observar bem o avance do primeiro projeto de uma industria nova em Coruripe. E importante tamben que Eisa logra ser eficiente e pode ganhar as concorrencias para os contratos do Petrobras.

  • eduardo

    Não se iludam. O estaleiro só vem se a empresa ganhar a concorrência com a Petrobrás. Parece que estão com problemas de impacto ambiental para garantir a concorrência. Porém, o preço também é obstáculo. Se ganhar a licitação, não se preocupem, o lindo mangue onde será construído, será destruí… (desculpem) removido para outro lugar. Outro problema que os caetés locais não se preocupam muito é com a total falta de infraestrutura do pontal do coruripe para receber uma obra desse porte. Não tem estrada adequada, luz, água, infraestrutura urbana e outros perduricalhos que o governo de Alagoas terá que bancar, porém, não tem dinheiro nem para contratar professores ou policial. Estou cético, porém, o bode expiatório dos tapuais locais já foi eleito: o IBAMA.

  • Albert Stocker

    mangue sobre en Alagoas, algum balance entre mangue e emprego, desenvolvimento racional com a proteccao do meio ambiente seria bom, mais protegir cada metro de mangue sem emprego nenhum????