O corregedor geral do Ministério Público, Francisco Sarmento, e o adjunto, Antiógenes Lira, viajaram logo cedo para  Maribondo. Eles foram ouvir a população local sobre a atuação do promotor Fábio Vasconcelos Barbosa, que foi afastado cargo por conta de uma denúncia apresentada pela procuradora Regional Eleitoral, Niedja Kaspary. O representante do MP teria atuado com parcialidade nas eleições do ano passado.

Desde que abriu um Inquérito para apurar o caso, a Corregedoria do Ministério Público Estadual já recebeu várias outras denúncias contra o promotor, principalmente quanto ao pagamento de suas despesas no município pela prefeitura de Maribondo. A punição máxima que ele pode receber – administrativa-, em caso de comprovação das denúncias, é a aposentadoria compulsório. O modelo é o mesmo seguido pelo Judiciário.

deputados querem "ganho" de até 90 dias para Ferro - deputado resiste
Ministro do STJ concede Habeas Corpus para Ângela Garrote
  • marcos paredes

    Caros leitores a morte desse jovem que foi queimado vivo, merece do poder publico uma justificativa. Que a família deste jovem, recebam de minha pessoa, slidariedade, respeito, orações e que tenho certeza que o mesmo estará em um bom lugar.SE tinha pecados foram absolvidos.

  • Indignado

    Porquê o Prefeito eleito iria questionar parcialidade?Porquê os inúmeros encontros do prefeito com Dr Flavio(promotor e eleitor de maribondo)que comanda o Laboratorio eo Centro de Saude?É a unica Prefeitura a custear MP, Juiz e Policia?

  • antonio

    Mandam eles irem lá pra Messias também. (Vocês vão publicar essa opinião ou não?).

  • ana maria

    A greve do detran prejudica e muito quem está tirando a primeira habilitação.Quem precisa implacar o carro,entre outras coisas.Sem contar com a enorme fila no já farol,para marcar uma prova.É preciso perder um dia de trabalho,as tentativas on line nem sempre tem sucesso.

  • antonio carlos nascimento

    Dr. Jorge Dória tá com três representações eleitorais engavetadas, porque será? Tudo que fala do Dória vc engaveta Ricardo, porque será? kkkkkkkkkkk

  • Andreia

    Decisão do STJ garante nomeação e posse de aprovado dentro do número de vagas estabelecido no edital e abre outro precedente: independente de a validade do concurso ter expirado, os classificados têm direito líquido e certo à posse do cargo.

  • Adeilton

    Esta Corregedoria do MP é um faz de conta, pura balela. Acredite nisso, a Corregedoria do MP é uma fantasia, lá no MP a turma sabe disso. O Corregedor é o cúmulo da demagogia e compactua e faz uso da máquina em benefício próprio. Acredite nisso!

  • OLIVEIRA

    SENHORES E FLEXEIRAS COMO FICA EM RELAÇÃO AO MP QUE NADA FAZ. MANDA TAMBÉM LÁ PRA FLEXEIRAS A CORREGEDORIA

  • Andrade Ferreira

    Parabéns Dr. Eduardo Tavares, acho que tá na hora de investigar alguns promotores que prejudicam a imagem do Ministério Público.Por que não investigam Olho dagua das Flores também? Lá o promotor é enrolado até o pescoso.Obrigado Ricardo Mota pelo espaço.