Que tal dar um ‘match’ com seu novo emprego? (Foto: Reprodução/AOL)

O desemprego é um dos principais problemas enfrentados pelo Governo Federal. Com quase 13 milhões de pessoas sem trabalho, o país tem dificuldade em criar maneiras de unir empresas que têm vagas aos pretendentes, em parte pelo serviço de “péssima qualidade” do Sistema Nacional de Emprego (Sine), de acordo com o secretário da produtividade, Emprego e Competitividade do Ministério da Economia, Carlos Alexandre da Costa. E é por isso que ele quer lançar o “Tinder do emprego”.

Ouça o podcast sobre o tema:

Calma que apesar do apelido o sistema não vai te dar um emprego com um deslizar de dedos. Na verdade, a nova versão do Sine vai se chamar oficialmente Open Sine. Essa atualização, de acordo com o secretário, vai abrir a plataforma para startups de Recursos Humanos (HRtechs), para que elas ofereçam vagas de uma forma mais… atualizada.

“Vamos usar a inteligência artificial para melhorar a qualidade dessas informações captadas na ponta e criar um aplicativo mais amigável para o usuário colocar as informações. Isso tem um potencial para criar milhões de empregos”, afirma Costa em entrevista ao Correio Braziliense.

Secretário aposta alto no novo Sine (Foto: Arthur Menescal/Esp. CB/D.A Press)

Ou seja, o processo vai ser menos centralizado, deixando de ter a mediação do governo. Em teoria, isso será muito bom para o usuário, já que é provável que o aplicativo tenha uma versão mobile descomplicada, e hoje quase todas as residências possuem um smartphone, mas não um computador.

Ainda não há previsão oficial de quando o sistema será lançado, mas a expectativa do secretário é de que o Open Sine comece a funcionar ainda em 2019, e que em quatro anos, sejam gerados 10 milhões de empregos. “É possível, se nós aprovarmos as reformas e mais todo o trabalho de desobstrução do setor produtivo, com melhoria no Sine e qualificação da mão de obra, além da retomada da economia que vem naturalmente com as reformas”, explica. Bem que eu achei emprego demais pra um simples aplicativo…

Fonte: Olhar Digital, Correio Braziliense

Atualmente não há comentários.