(Foto: Reprodução)

O Instituto QualiBest e a Spark, especializada em marketing de influência (sim, isso existe), divulgaram um estudo que mostra dados interessantes sobre influenciadores digitais e consumo no Brasil. Exemplo: 76% já dos internautas já consumiram produtos ou serviços após a indicação dos famosos “blogueirinhos”.

Entre os que têm o maior poder de influenciar decisões de consumo, um nordestino lidera a lista. Não é surpresa, mas o piauiense Whindersson Nunes é o principal nome apontado pelos internautas, com 13% dos votos, seguido por Carlinhos Maia, alagoano de Penedo, com 8%. Gabriela Sales, a Rica de Marré, ficou na 14ª posição.

(Foto: Reprodução/YouPix)

Surpreendendo um total de zero pessoas, os produtos de beleza são os itens mais comprados a partir da indicação de um influenciador (52%), com livros, moda e acessórios empatados com 42% das respostas. Na sequência estão alimentos e bebidas (alcoólicas ou não) com 30%, celulares e smartphones com 29% e produtos de cuidado com a casa com 23%.

“O levantamento apontou ainda que o Instagram e o YouTube, ambas com 81%, são as redes mais usadas para seguir influenciadores. Em relação ao Instagram, 41% dos internautas assistem aos stories com o áudio desligado e admitem que só ativam o volume se o conteúdo for relevante. Outro dado questionado foi a mudança no aplicativo que retirou o número de likes das postagens: 42% dos entrevistados disseram que esta alteração não mudou a forma como eles usam o aplicativo”, publicou o portal Meio e Mensagem.

Você se deixa influenciar pelas opiniões dos blogueirinhos e blogueirinhas? Ou prefere buscar conteúdo de gente “real” quando vai fazer alguma compra? Conta nos comentários!

Atualmente não há comentários.