A humanidade tem uma capacidade infinita de transformar tudo em maldade. O que deveria ser usado para ajudar a vida das pessoas terminou virando um pesadelo para uma menina de 14 anos em Caballito, na Argentina. Ela foi assediada por um entregador de sorvete após fazer um pedido e deixar o número de WhatsApp como contato.

Entregador não se preocupou com a idade da garota (Foto: Reprodução/Telegraph)

Segundo o jornal Clarín, o entregador da sorveteria entrou em contato depois da entrega e começou a conversar com a garota. Nem mesmo o fato de ela ter informado que só tinha 14 anos fez com que o homem interrompesse o assédio. “Ah, bom. Vai fazer sua festa de 15 anos”, disse ele, que teria 30.

Após perguntar se ela tinha gostado do sorvete e dizer que a adolescente era bonita, a conversa começou a ficar “estranha”, segundo o pai da menina, Elio Puntieri. “Minha filha me deu o telefone e eu continuei a conversa. Queria ver até onde iria”, afirmou.

O homem seguiu falando coisas pessoais, ainda de acordo com o pai, e perguntou se a menina estava deitada. Foi então que Elio decidiu ir até a sorveteria encontrar o entregador. “Perguntei quem era a pessoa e comecei a gritar. Ele começou a pedir perdão e eu disse que ia denunciá-lo”, explicou o pai.

A empresa, segundo o Clarín, demitiu o funcionário, e Elio fez uma denúncia ao Ministério Público. “Depois que fiz um post sobre o assunto no Twitter, algumas meninas me responderam, dizendo que tinham passado pela mesma situação, com o mesmo entregador”, disse o pai da garota assediada.

Esse é apenas mais um dos perigos que existem no mundo, e infelizmente não é um “privilégio” das redes sociais. No entanto, muitos criminosos acreditam que a internet é um território anônimo, e que não serão descobertos. Por isso é extremamente importante que os casos deste tipo sejam denunciados, e que acima de tudo, os pais e responsáveis acompanhem a vida “virtual” das crianças.

Fonte: Metro