Segundo pesquisa realizada no mundo todo, brasileiro é o que mais acredita em Fake News.

Primeiramente se você está começando a ler achando que vou escrever sobre política e essa enxurrada de Fake News que tem rodado por ai, vai ali no cantinho superior direito e aperta o “X”, porque esta postagem não é sobre política.

Aqui o problema é outro, é tudo junto, mas é outro, já que não é só nesta época que aparecem essas mentiras, o Fake News está se tornando algo cada vez mais comum, e eu tenho um teoria que somam dois pontos básicos e o resultado que me dá medo. A equação é assim: (estamos cada vez mais preguiçosos e querendo otimizar o tempo em tudo) + (Estamos querendo cada vez mais saber tudo, sobre tudo, de forma rápida e antes das outras pessoas) = (estamos “emburrecendo”).

Exato, inclusive já existem estudos comprovando que o ser humano esta regredindo intelectualmente e não progredindo. Porém, farei uma postagem só sobre isso em breve.

A pesquisa do IPSOS ( Instituto Ipsos é a terceira maior empresa de pesquisa e de inteligência de mercado do mundo) mostrou que 62% dos Brasileiros já acreditou pelo menos uma vez em uma notícia e depois descobriu ser falsa. Essa marca coloca o Brasil em primeiro lugar entres os países participantes da pesquisa (foram cerca de 20 mil pessoas entrevistadas num total de 27 países).

O Ranking ficou assim; entre os países que mais acreditam em fake News: Brasileiros (62%), Árabes e Sul-Coreanos (58%), Peruanos e Espanhóis (57%), Chineses (56%), Suecos, Poloneses e Indianos com (55%). Entre os que menos acreditam ficaram: Japão (34%), Turquia (33%) e Itália (29%), o que em surpreendeu, afinal de contas Pinocchio é um nome italiano, né?

Bom, pode parecer besteira ou coisa comum hoje em dia, mas isso pode atrapalhar um setor inteiro, pode mudar até um mercado inteiro, Fake News já até alteraram pregões da bolsa de Valores. E isso pode e muito prejudicar sua empresa ou sua carreira.

Imagina uma notícia falsa, de que este ano nenhuma empresa precisará pagar o décimo dos funcionários, que ela não seriam mais obrigadas a isso,  imagina o quanto as pessoas começariam a se agitar, parando até de trabalhar, querendo fazer greve e etc. Ou, corre uma notícia que uma nova crise vai quebrar o mercado que você atua. Sem checar você começa a vender tudo baratinho pra não ter prejuízo. Achou exagerado? pois essas duas notícias já rolaram e aconteceu exatamente o que eu falei ai.

Então vamos lembrar que, ficar informado é bom, aliás, bom não, é necessário, porém hoje precisamos mais do que estar informados, precisamos estar também “checados”, recebeu uma notícia, checa ela, nada passa despercebido pela imprensa, com tantas formas de se comunicar em algum meio você acha uma confirmação.

Essa pesquisa foi divulgada em Agosto de 2018 e espero que em 2019 possamos melhorar nossa posição, é impossível checar e saber se tudo é correto, até a imprensa mesmo erra, porém, não acreditem em tudo que te falam, redes sociais não é uma fonte confiável de notícias, salvo claro, as especializadas. Resumindo, Grupo de Whatsapp não é redação de jornal. Evitem prejudicar sua vida ou sua empresa, e claro sempre que puder compartilhe boas notícias.

Para um pequeno alívio os brasileiros lideram essa pesquisa, porém, mais de dois terços dos entrevistados do Brasil (68%) afirmam que sabem diferenciar uma notícia real de uma falsa. Espero que isso possa crescer e que não sejamos um país de notícias falsas.

Segue o link da pesquisa inteira (em inglês).

Global Advisor: Fake News, Filter Bubbles, Post-Truth and Trust

Atualmente não há comentários.