Como você se sentiria se seu professor fosse um… ROBÔ? – Olhar Empreendedor

Não responda essa pergunta agora, leia a matéria e depois responda nos comentários, vamos falar mais sobre isso.

Primeiro: Calma. Não estou falando de androides que vão entrar em sala de aula, nem qualquer outro tipo de máquinas estranhas com rodinhas e olhos acesos.

Estou falando do Paul, esse é o primeiro professor robô do mundo. Embora o nome seja “americanizado” ele é Brasileiro, foi criado para uma escola de negócios em São Paulo. Em uma parceria entre a Saint Paul escola de Negócios (entendeu porque o professor robô se chama Paul?) e IBM Watson, que disponibiliza a inteligência artificial para Paul.

 

Paul ensina de forma otimizada e personalizada, ou seja, cada aluno tem uma forma de aprender e isso será devidamente respeitado. “Criamos um algoritmo próprio que identifica a melhor forma de aprendizado de acordo com o perfil da pessoa”, diz Adriano Mussa, ele é o diretor acadêmico e de inteligência artificial na escola de negócios Saint Paul.

 

Antes de começar a ensinar o professor Paul gera três dados sobre o aluno: traços de personalidade, melhor método e grau de conhecimento.

 

Os traços de personalidade são gerados através de informações que o aluno fornece que vão desde áudios e conversas de Whatsapp, como analise do perfil em redes sociais, entre outras coisas, assim ele entende como você é e seus esteriótipos, saber se é introvertido ou extrovertido por exemplo e etc.

 

Depois de analisar bem os seus dados o professor traça também o melhor método de ensino, porque cada um tem a sua, umas pessoas aprendem mais facilmente com textos, outras com vídeos, outras com infográficos, Paul reconhece isso e se molda de acordo com a sua facilidade de aprendizado.

 

Quanto ao seu grau de conhecimento, isso vai sendo gerado através das respostas e dados que são enviados ao professor, exemplo; se você está fazendo um MBA de economia e já trabalha na área, Paul vai pular certos conteúdos que já fazem parte do seu dia a dia, e vai ficar no que é novidade, porém, ele irá testa-lo e você será avaliado também sobre o conteúdo mesmo que tenha sido pulado, você precisa mostrar que domina o assunto no geral.

 

O mais importante, pra mim, disso tudo é que um curso de 16 horas pode cair para 8 horas, um MBA que dura em média 2 anos pode cair pela metade, mais conhecimento, com mais qualidade e em menos tempo. Existem duas coisas a se considerar, uma; não é você quem decide o que pular no estudo, ou como vai estudar é o Paul, ele entende exatamente como você é e saberá sua melhor curva de aprendizagem, outra; o Paul usa computação cognitiva, não é chatbot e nem pesquisa de informações, como os auxiliares de smartphones, Siri ou Google Assistante, ele é um professor que aprende e ensina.

 

Paul não dará uma resposta se não tiver 70% de chance de estar certo, e se você acha que ele tem respostas automáticas, está bem enganadinho, o Professor Paul usa linguagem simples porém direta e totalmente fluida, e cada resposta é dada de acordo com a pergunta, se perguntar sobre um assunto de duas formas diferentes, terá, embora o mesmo conteúdo, duas respostas diferentes.

 

Pronto, acabou avida do professor, já era, desemprego, meu Deus caos na educação. Lembra o que eu disse lá no começo? Calma. O professor Paul é uma professor que vem fortalecer o ensino, sendo um auxiliar do professor, ajudando alunos em estudos específicos que tenha dificuldade.

 

O Paul não aprende pesquisando na internet, ele também precisa aprender, isso é óbvio, mas quem ensinou tudo que o Paul sabe foram professores, lembre-se, o Paul não é um assistente de pesquisa estilo Siri, ele é um professor e como tal precisa estar em constante aprendizado, e quem ensina são os mestres.

Então relaxem, o Paul não vai acabar com os professores, mas com certeza, vai revolucionar o ensino, ajudar a aprender exatamente o que não sabemos, podendo pular o que já dominamos é algo espetacular, vai poupar tempo, ensinar o que é relevante para aquele aluno especificamente e teremos pessoas mais capacitadas e com mais informações, ou vai dizer que você nunca passou em algum período na faculdade de alguma matéria que você não entendeu, não dominou, ai decorou o que precisava, fez a avaliação e pronto, tirou nota média e tchau. O Paul te ensinaria.

 

O ensino vai de cada professor, mas ele conseguiria ensinar 30 alunos de forma diferente em uma sala de aula? Acredito que não. Cada aluno tem sua forma de aprender mais e embora o professor saiba disso, não consegue fazer muita coisa, o Paul sabe e faz, em quase 7 meses de lançado o Paul já lecionou para cerca de 15 mil alunos, cada um do seu jeito, aprendendo da sua melhor forma e em qualquer lugar no mundo.

 

A meta é ter o professor Paul em mais de 100 cursos em 3 anos, hoje ele já está sendo usado em alguns cursos como, contabilidade, inovação, administração e etc..

 

O professor Paul, faz parte da plataforma LIT, está acessível para alunos do Saint Paul e agora para alunos fora da escola também. Hoje o Paul tem conhecimento equivalente a 10 MBAs, pra você entender o que isso significa em conteúdo, imagina que se você tirar um ano só para estudar, e fizer isso 12 horas por dia, em um ano não teria absorvido nem 20% do que o Professor Paul tem pra ensinar.

 

Se quiser conhecer a plataforma LIT clique AQUI. É pago, tem planos mensais e anuais para aprender com Paul, eu já iniciei meus testes com ele porque achei essa uma inovação que pode transformar toda uma sociedade, começamos agora de fato a era da aprendizagem disruptiva.

Agora você pode comentar, o que achar de ter um professor robô?

Atualmente não há comentários.