Polvo no mar negro
Café da Sueca com afeto

Benedito Conrado de Lima, 69 anos, é o maior detentor do saber e fazer do cuscuz artesanal em Alagoas. O alagoano é o único que conheço, que produz a iguaria no antigo engenho de mais de 65 anos, que moe arroz e milho em pó, além de possuir um fogão e formas para cuscuz que não se compra em lugar nenhum . O modo artesanal faz toda diferença do mercado. Existem similiares, mas são triturados em maquinas de moer carne.

A história de seu Biu, como é conhecido no bairro do Jaraguá, está no meu blog desde 2012 e nas duas edições do meu livro “Guia da Gastronomia Popular Alagoana”. O cuscuz do Biu continua uma glória para o paladar, eu sou fã declarada do cuscuz de arroz e aprecio apenas com manteiga, ou com um carneirinho guisado. De comer rezando.

Cuscuz de arroz e milho do seu Biu, uma tradição no bairro do Jaraguá

Para ficar no capricho, o arroz fica por uma hora e meia de molho, e depois passa por três lavagens. Em seguida, é triturado e peneirado. Já o de milho é o mesmo processo, a diferença é que fica de molho por três horas em água quente. “O ponto da massa é o segredo”, diz Benedito. Com muita força nas mãos, ele modela a massa até o ponto final. Em seguida, coloca a massa nas forminhas e cobre com um pano branco molhado, para ser cozido no vapor. Quando sai do forno artesanal, ainda quentinho, leva um banho de leite de coco produzido da própria fruta.

Para atender a clientela fiel, Benedito acorda às 4 horas da manhã para iniciar a produção dos cuscuzes caseiros, que chegam às ruas às 6 horas. O retorno ao trabalho é a partir das 15 horas, e às 16 horas, os vendedores saem pelas ruas anunciando o cuscuz.

Seu Biu, verdadeiro patrimônio da gastronomia alagoana

“Comecei com 18 anos neste mesmo lugar. Eu era vendedor. Na época, era muito rojão com carrinho na mão, nem pegava transporte. Fazia a região do mercado, e tinha fregueses certos, não sobrava um cuscuz”, lembra o simpático Benedito, que era empregado do primeiro dono da fábrica Nordeste, o potiguar João Crispim Moraes.

No forno caseiro, os cuscuzes são cobertos por um pano branco molhado

Rota do Cuscuz do Biu

Para comprar chegue as 16h na casa do Biu ou ligue no 3327.9773

Preço: R$ 0,80 (cada)

Endereço: Rua Gustavo Colombo, 59 – Jaraguá (atrás do Mercado do Jaraguá)