Após a aprovação, em 2013, da Lei Anticorrupção (Lei nº 12.846) no Brasil, um novo termo tem ganhado espaço no mercado; compliance e ética na construção civil. O que imediatamente passou a ser bastante procurado por multinacionais e companhias de capital aberto, aos poucos vem também se tornando foco das construtoras de médio e pequeno porte.

Sei que para muitos o significado da palavra “ética” já é conhecido, mesmo sendo difícil defini-la rapidamente quando alguém nos pergunta: “O que é ética?”. Já a palavra “compliance” é novidade para muitos e vou facilitar a vida de vocês colocando o significado que encontrei no google; “.. tem origem no verbo em inglês to comply, que significa agir de acordo com uma regra, uma instrução interna, um comando ou um pedido, ou seja, estar em “compliance” é estar em conformidade com leis e regulamentos externos e internos.

Para uma empresa, significa as normas que visam garantir que sejam cumpridas todas as leis, políticas e diretrizes estabelecidas para aquela atividade. É a maneira de uma construtora, no nosso caso, ter a segurança de se manter em conformidade com as leis gerais e as leis específicas da sua atividade, sejam elas nacionais, estaduais ou municipais.

O país vive um delicado momento social, político e econômico. Porém, a já histórica crise ética vem ao longo dos anos numa ascendente assustadora, podendo ela ser a grande geradora do desesperador e, quase irreversível, cenário catastrófico que vivemos.

No título desta postagem, destaquei as palavras reconstrução, ética, compliance e construtoras. Qual relação há entre elas!?

A maioria das grandes construtoras do país estiveram ligadas diretamente com os casos de obras superfaturadas e corrupção que recentemente foram noticiadas na imprensa. Sabemos que as empresas envolvidas nos escândalos, não só no setor da construção, tinham em comum a maximização dos lucros como valor da organização, mesmo não estando no quadro de avisos das mesmas, e esse pode ser o principal motivo da destruição do nosso país.

Confirmada para acontecer de 21 a 24 de agosto, no Centro Cultural e de Exposições Ruth Cardoso, a 75ª Semana Oficial da Engenharia e da Agronomia (Soea) teve sua programação lançada com a missão de trazer debates de nível nacional para a capital alagoana. O evento tem sua programação definida com debates envolvendo a ética na Engenharia e temas ligados a Indústria 4.0

Uma das grandes atrações do evento será a apresentação do renomado escritor, jornalista e filósofo Clóvis de Barros Filho. Com sua palestra “Engenharia e Ética na Reconstrução do Brasil”, tema que dá nome ao evento, Clóvis promete grandes reflexões a respeito do cenário político e social do país.

“Que a canalhice afete o todo não é novidade. É de sua própria natureza. É justamente o triunfo do interesse individual, prejudicando o coletivo… Esmorecer diante da canalhice é selar o trágico destino: a destruição total e completa da atividade profissional. A vida é uma constante luta da retidão contra a canalhice.”, afirmou Clóvis de Barros Filho em entrevista recente.

Para o anfitrião do evento, o engenheiro civil e presidente do Crea Alagoas, Fernando Dacal, é a hora da engenharia voltar a ser valorizada. “E só reconstruiremos o Brasil com ética e com engenharia. Precisamos estar juntos nesta retomada de desenvolvimento. Precisamos definitivamente olhar o que é melhor para o Brasil e para a sociedade brasileira, deixando as nossas diferenças de lado. E pensando nisso, é que entre 21 e 24 de agosto próximos, iremos debater aqui em Maceió, no maior evento da categoria, sobre Ética e Reconstrução do Brasil”, afirmou

Ainda sobre o evento, o presidente do SINDUSCON-AL, Alfredo Breda afirma que o Setor da Construção vem trabalhando através da CBIC e do Sinduscon, para que seja implantado o compliance na engenharia brasileira e alagoana. “Engenharia e ética na reconstrução do Brasil é um assunto que está em evidência nos dias atuais, de suma importância para que o nosso país volte a crescer e prosperar, para que nossos filhos e netos, possam ter um futuro melhor!”,  demonstrando assim o empenho e desejo de mudança.

Num momento em que as construtoras alagoanas buscam voltar a passar segurança aos clientes, ater-se a compliance e ética vai muito além de uma consciência tranquila em relação à postura adotada. Organizar a sua performance baseada em normas também garante naturalmente destaque e reconhecimento no mercado.

 

Programação da 75ª SOEA

  • Nelson

    Tarde demais ! É impossível reconstruir Social e Moral esse País. A saída seria o Brasil se dividir em pelo menos cinco novos Países, cada qual com suas leis, sua moeda, sua cultura, seu povo, seus políticos, fora isso o resto é blá blá blá.

    • Diogo Rebêlo

      A situação realmente é bem complicada, mas vamos acreditar que dias melhores virão.
      Que continuemos fazendo nossa parte.
      Obrigado por interagir conosco!
      Grande abraço, Nelson!