Esse é um grande dilema na vida das pessoas. E não existe uma resposta certa ou errada para essa pergunta. Depende muito do momento que a pessoa está vivendo. Por exemplo, se você é jovem, tem lá os seus vinte e poucos anos, é claro que vai querer curtir a vida, viajar e ir a festas sem se preocupar com o dia de amanhã. Diferentemente de quem já tá na casa dos 40 anos, paga aluguel, tem família, filhos…

Muitos (independentemente da idade) não querem abrir mão das boas coisas da vida só para guardar dinheiro. Preferem viver o “hoje”, mas também morrem de medo de ficar desamparados no futuro.

Será que é possível aproveitar a vida sem comprometer o futuro? A resposta é sim! O segredo é organizar as finanças, avaliar seus gastos, definir prioridades e assim fazer escolhas mais inteligentes.

Essas escolhas têm que proporcionar uma vida prazerosa, feliz, mas que não traga desespero quando o dinheiro faltar. Então, se você tem uma renda, um salário todo mês, precisa aprender a fazer bom uso dele. E como se faz isso? Através do planejamento financeiro!

Avalie como você vai gastar cada centavo, separe uma graninha para as emergências e para construir um patrimônio.  Lembre-se: para guardar dinheiro, é preciso fugir dos maus gastos, das compras por impulso. Quando você conseguir fazer isso, o passo seguinte é aplicar as suas economias e fazer o dinheiro render.

O ideal é separar a renda para atender 3 finalidades:

1 – Qualidade de vida. Aqui entram os gastos com moradia, alimentação e o que mais for necessário para viver bem.

2- Diversão. Dinheiro para você usar com viagens e usufruir de momentos de lazer.

3 – Reserva financeira. Dinheiro para emergências, realização de sonhos e para a aposentadoria.

Pode parecer difícil, mas se você não tentar, vai passar o resto da vida reclamando. É preciso dar o primeiro passo. Economizar requer determinação e, acima de tudo, ação.

E você? É do tipo que pensa no futuro ou prefere curtir a vida intensamente? Deixe seu comentário!!

 

Atualmente não há comentários.