Lembro até hoje do dia em que recebi o meu primeiro salário. Eu tinha uns 13 anos e trabalhava numa fábrica de calçados no interior de São Paulo.  Trabalhar logo cedo foi uma necessidade, mas eu achava o máximo dizer que tinha um emprego. Eu me sentia importante, acreditava que estava conquistando a minha independência financeira rsrs… Quanta ingenuidade!

Na época, recebi pouco menos de um salário mínimo. Cheguei em casa e entreguei o dinheiro a minha mãe para ajudar no pagamento das despesas. Fiquei com uma graninha que deu pra comprar uma calça de sarja e uma blusinha de estampa floral, que nunca me saiu da memória.

A partir daquele dia me dei conta do que era essa relação trabalho/dinheiro. Ao invés da independência financeira, estabeleceu-se uma “dependência”. Aquele dinheiro passou a ser essencial para o pagamento das contas e, sem ele, o aperto batia à porta. Quando alguém ficava desempregado, o bicho pegava lá em casa.

Foi a partir de então que comecei a perceber o valor das coisas, do dinheiro. Afinal, depois de trabalhar o mês todo, era preciso aprender a usar esse salário da melhor forma. O engraçado é que o dinheiro acabava tão rápido que eu ficava contando os dias para receber de novo rsrs.

Onde quero chegar com isso?

Hoje vejo que muitos jovens, quando começam a trabalhar, acabam gastando tudo o que ganham sem pensar muito no dia de amanhã. Não é à toa que 12 milhões de jovens brasileiros estão endividados. Uma pena!!

É por isso que a educação financeira tem começar desde cedo, antes mesmo de a pessoa ter uma renda, um emprego. Aprender a lidar com o dinheiro é o primeiro passo para fazer as escolhas certas, construir um futuro mais tranquilo e uma vida financeira sem tantos atropelos. Quem ainda não faz um planejamento financeiro, tá na hora de começar! Essa lição vale para a vida toda.

E você, lembra o que fez com o seu primeiro salário? Conta pra gente aqui nos comentários.

  • Leonardo

    Meu primeiro salário eu dei metade pra minha mãe, e pra me comprei um video game kkkkkkkk

    • Maria Maciel

      Tenho certeza que o videogame foi um ótimo investimento na época rsrs.

  • maira

    eu gastava todo, até o momento que meu pai me chamou no canto e me perguntou pq eu não guardava nada e passava do mesmo jeito antes de trabalhar, daí eu nunca mais parei de poupar que virou até um vício, opss poupar não, investirr.

    • Maria Maciel

      Pois é, Maira, essa é grande questão. Leva tempo até a pessoa se educar financeiramente pra não gastar qualquer dinheiro que aparece na mão. Sorte a sua que teve seu pai como conselheiro. Nem todo mundo tem esse incentivo dentro de casa. Ah! E parabéns por se tornar uma investidora:)

Deixe uma resposta Leonardo
Cancelar reply