Base do CSA empata com Murici na estreia do Alagoano; CRB ganha sem jogar – Blog do Marlon
Novo CSA deixa boa impressão em primeira observação
Alagoano vem com os problemas de sempre em meio às dificuldades impostas pela pandemia

Começou o Campeonato Alagoano 2021. Na rodada de abertura, CRB e CSA estiveram em campo. Sem jogar, o Galo venceu o Coruripe por WO. Com problemas administrativos, o Hulk praiano alegou que não tinha uma quantidade de jogadores suficientes, chegou a ir para o TJD, mas não teve o seu pedido de adiamento atendido. A situação ocorrida na abertura do Alagoano foi muito ruim para o campeonato.

Já o CSA optou por uma estratégia diferente. Com o time profissional em pré-temporada na cidade de Camaragibe no CT do Retrô, o Azulão utilizou o seu time Sub20 para estrear na competição. Logo de cara, a jovem equipe azulina encarrou o Murici, time que está relacionado a experiência e que tem nomes como Rambo, Gueba, Kattê, Reinaldo Alagoano e Zé Carlos, rodados no futebol , além de ter Celso Teixeira no comando técnico. O CSA foi melhor, construiu mais oportunidades de gol e até merecia uma melhor sorte no jogo. Ao final, a base estreou jogando bem e conseguindo um empate no abertura do alagoano.

CSA x Murici – O jogo tático

O CSA se mostrou um time muito organizado defensivamente. Começou com uma marcação muito agressiva, duas linhas de quatro com bastante compactação, com um momento defensivo muito interessante, sem permitir ao Murici que a equipe alviverde conseguisse infiltrar na defesa azulina, deste jeito, não onseguia finalizar. Bem defensivamente, o CSA conseguia criar situações ofensivas na finalização de média distância acertando a trave e nos dez primeiros minutos já havia criado situações para finalizar em duas oportunidades.

Depois dos vinte minutos, o Murici encontrou um melhor momento. Celso Teixeira trabalhou segurando um volante entre os zagueiros e colocando o zagueiro Adaulto para sair como lateral pelo corredor esquerdo, o lateral Neguinho era extremo e o Kattê surgia como meia por dentro. A ideia era criar superioridade no corredor e com isso, o time chegou em uma tabela entre Kattê e Reinaldo Alagoano, mas a finalização parou nas mãos do goleiro azulino.

Já no final do primeiro tempo, Ramon livre na área, cabeceou o goleiro Vitor fez a defesa. Já nos acréscimos o CSA criou a principal jogada com Bruno tentando encobrir o goleiro do Murici, que fez a defesa parcial, a bola sobrou para João Vitor colocar por fora, com a meta sem o goleiro.

Resumo do primeiro tempo trazia um CSA que defendia bem e não conectava para atacar, pecava na transição. Dos quatro momentos do jogo, o CSA fazia com perfeição, uma transição defensiva e defesa , mas realizava um jogo imperfeito na transição ofensiva e ataque.

No intervalo, Celso Teixeira fez mudanças na equipe. Tirou o Rambo, volante mais a moda antiga, toca para o lado e trouxe Gutti, um jogador mais dinárico, que arrisca o passe de ruptura das linhas adversárias, busca o passe com troca de corredor em bola longa e deu mais dinâmica ao time. Além disto, trouxe Zé Carlos no lugar do apagado Fabinho.

Apesar do crescimento, o time pouco foi efetivo. O CSA teve aquilo que não apresentou no primeiro tempo: transição ofensiva., principalmente com a entrada do Ryan, que parou em defesas do goleiro do Murici. A segunda oportunidade foi um verdadeiro manual de transição.

Ressaltar ao longo desta partida, o trabalho do técnico Adriano Rodrigues que trouxe um time competitivo , com ótimos conceitos e com uma qualidade que surpreendeu muitos torcedores que pintaram uma estreia desastrosa para o time azulino.

  • Luiz R S Filho

    Marlon e Amigos…..esse elenco da base do CSA não é ruim. Apesar do fiasco na Copa Alagoas, há alguns jogadores que se destacam no Grupo e precisam ser trabalhados/lapidados tanto na questão física como na técnico/tática. Cito o zagueiro Luan Morais, o volante Zé do Carmo, o meia João Victor e os atacantes João Paulo e Wallace, entre outros. É preciso investir nessa turma, dar condição e cobrar.