Vitória maiúscula do CRB que alivia uma pressão silenciosa – Blog do Marlon
Vitória importante e necessária para o começo de trabalho do técnico Mozart
CRB cai na Copa do Brasil em confronto igual contra o Juventude

Vitória gigante do CRB: grupo cada dia mais fechado sinaliza o vestiário do time – Foto: divulgação

Jogando com um jogador a menos o jogo inteiro, o CRB carimbou o Botafogo em pleno Estádio Santa Cruz e venceu por 2 a 1. Foi um vitória maiúscula de um grupo que mostra estar cada dia mais focado no objetivo traçado pelo CRB. Vitória gigante de leitura de jogo do Marcelo Cabo e vitória para comprovar que nem sempre quem tem um jogador a menos perde, o CRB foi valente e pela circunstancias da partida, os três pontos serviram para coroar a entrega e a leitura do treinador regatiano.

O jogo tático

Com 1 minuto , Marcelo Cabo escolheu Magno Cruz para ser substituído pelo goleiro Édson Marden , posicionando Diego Torres para ocupar o vazio deixado por Magno Cruz – Imagem: Tatical Pad – Marlon Araújo

O CRB começa o jogo com uma situação atípica e com um minuto de jogo perde o seu goleiro por uma expulsão depois de uma tomada de decisão errada do lateral esquerdo Hugo. A leitura de tempo e espaço faltou ao lateral da equipe regatiana, que protegeu a bola fora da sua área e estava sendo acompanhado pelo atacante mais veloz da equipe do Botafogo, o Ronald desvia a bola e com certeza teria grandes possibilidades de fazer o gol e Victor Souza é expulso de forma correta.
Edson Mardden vem para o jogo e Marcelo Cabo faz a leitura correta ao escolher Magno Cruz. O meia atacante é sempre a primeira substituição feita, não entrega os 90 minutos e até nornal quando o técnico opta pelo centroavante, mas o camisa 9 do CRB é Léo Gamalho e ai quem deixou o jogo foi realmente Magno Cruz.
Após a expulsão, o CRB ficou com duas linhas de quatro, com o detalhes para Diego Torres que jogou como extremo pelo lado direito no lugar que Magno Cruz deveria ocupar. O Botafogo começou a visualizar o protagonista de partida e logo ao entrar, fez a defesa na batida da falta, no escanteio, Hugo corta errado e Alisson Maia finaliza para um grande defesa de Edson Mardden, ele estica o braço e salva a finalização dentro da pequena área, depois disto, o CRB sai para atacar. Diego Torres cobra um escanteio, Hugo desvia no primeiro pau e vai encontrar Léo Gamalho no segundo poste, mas ele toca na bola e ela ganha altura, no que ganha altura, Moacir toma a decisão correta, dá uma meia bicicleta, a bola sobra para Léo Gamalho, que dentro da pequena área, finaliza a marca o gol do CRB: 1 a 0 aos 20 minutos da etapa inicial. Tendo a inferioridade numérica, sair em vantagem era fundamental para o CRB e com o Botafogo pressionado, em busca de uma vitória a qualquer custo, veio para cima. Logo em seguida, O Botafogo ataca, Gilson cruza, Wellington Tanque cabeceia e Mardden faz um milagre, salta, toca na bola, ela toca no travessão e não entra. O Botafogo finalizou 15 vezes, sendo sete no alvo da equipe do CRB e para coroar o grande volume, 72% de posse de bola, já no minuto final do 1º tempo, Matheus Anjo cruza para área, Moacir para, Rafinha acredita e perto da linha de fundo, não deixa ela sair, recoloca na área e sem goleiro Wellington Tanque cabeceia e empata: 1 a 1.

Leitura perfeita de Marcelo cabo , trocou Moacir por Jatobà e trouxe uma marcação mais vigorosa e agressiva , posicionando melhor defensivamente o CRB e diminuindo o volume ofensivo do adversário Imagem: Tatical Pad – Marlon Araújo

Com o empate e o volume que teve na etapa inicial, parecia que o Boafogo iria conseguir imprensar o CRB. Mas começou a brilhar mais uma vez a leitura de jogo do técnico Marcelo Cabo. No intervalo ele tirou Moacir, que não entregava aquilo que o jogo pedia – uma marcação mais agressiva – e trouxe Carlos Jatobá, que apresentou mais agressividade e quem também auxiliou o Claudinei. Apesar de ser apenas uma mexida posicionou melhor o time, tanto é verdade que Ronald, m dos grandes destaque do 1º tempo, sumiu no segundo tempo. Após 15 minutos sem uma finalização foi que Claudinei fez três subsitutições de uma vez, com destaque para a entrada de Romão, que é a mais rápido e mais jovem, tirou Naldo e colocou Matheus Alessandro que é um jogador de velocidade e por fim colocou o Judivan.
O Botafogo foi para cima, tinha volume, tinha posse, mas não chegou a assustar. Tanto é que levou perigo apenas em uma falta de Wellington Tanque e que o Edson Mardden colocou para escanteio e depois uma batida cruzada do lateral Val que fez a bola explodir na trave. Depois em uma cobrança de falta lateral, Diego Torres cobra na área, o zagueiro Reginaldo desvia e prevalecendo a ‘lei do ex’ faz o gol da vitória regatiana. Tudo parecia que se encaminharia a para a vitória e já no último lance, bola na área, Judivan cabeceia e Mardden faz outro milagre e de ponta de dedo, coloca a bola para escanteio. Com isso, o CRB conquista uma vitória maiúscula e derrota o Botafogo por 2 a 1, jogando 100 minutos com um jogador a menos.
Craque do jogo: Edson Mardden (CRB)
Técnico: Marcelo Cabo (CRB)
Garçom: Diego Torres (CRB)

  • Ivo

    Cada psrtida de futebol tem a sua histotia, contra o juvrntude a mefida era aquela e pronto. No jogo contra o botafogo sp a historia foi aquela que nos vimos e pronto tambem, nao faltou raca, ninguem pode reclamar, no entanto vamos convir que o plantel do galo e limitado, e tem mais , pra ser realista nao vejo como formar um time como o redbul fa serie b do ano passado,godtaria,mas a grana e curta e o pe esta no chao. Pra nao gicar desperdicando dinheiro como os canguejos. Um abraco a todos regatianos e a caranguejada um abraco tambem, so que pir traskkkkkkkkkkkkiii

  • Luiz R S Filho

    IVO VOCE TEM RAZÃO RECURSOS AJUDA MAS NEM SEMPRE TER MUITA GRANA E SINAL DE MONTAR UM GRANDE TIME E PRECISO SER PONTUAL NAS CONTRATAÇOES AO MEU VER O CRB ERROU POUCO NESSA TEMPORADA PARABENS AO ELENCO PELA SUADA VITORIA .