Vitória azulina para mudar o astral no início de um novo momento – Blog do Marlon
CRB cai na Copa do Brasil em confronto igual contra o Juventude
Apesar de grande atuação no 1º tempo, CRB retorna de Caxias com desvantagem difícil de ser revertida

CSA comemora gol em vitória importante contra o Cruzeiro – Foto: Augusto Oliveira – ASCOM CSA

O CSA conseguiu uma vitória importante na Série B. Após sete jogos sem vencer, os três pontos contra o Cruzeiro tem o poder de mudar o ambiente, de recolocar a confiança para alguns jogadores e trazem um sentimento de tranquilidade a mais para um recomeço de trabalho com o novo executivo e o novo técnico.
O time foi cirúrgico nas bolas pelo alto e absolutamente perfeito na proposta de jogo. Adriano Rodrigues fez o simples, mas dentro da simplicidade tinha estreitamento, compactação das linhas, tinha também um time ligado, intenso na condição de marcar e com o desenrolar do jogo, um time confiante mesmo quando tomou um gol.
Dentro da oportunidade surgida, Adriano aproveitou muito bem a chance de mostrar seu trabalho e deu sua contribuição para aliviar a pressão e deixar o ambiente mais leve para um novo momento que está por vir.

O jogo tático

Postura inicial das equipes na partida: Cruzeiro propondo o jogo e CSA reativo – Imaggem: Marlon Araújo – Tatical Pad

O Cruzeiro iniciou o jogo com o técnico Ney Franco com uma propositura de não ter centroavante fixo, tirando a referência dos zagueiros e trazer o Régis como falso nove. Com um minuto e meio, esta ideia funcionou. O Régis sai da referência dos zagueiros, os extremos flutuam para entrar nos espaços entre os laterais e os zagueiros, o Airton sai na cara do gol, finalizando na trave.
Logo depois disto, o CSA entendeu a ideia de jogo e não permitiu mais esta infiltração. O Cruzeiro tinha a bola mas a proposta do técnico Adriano Rodrigues não era ter a bola, era ser reativo, marcar baixo e contra-atacar. O Cruzeiro tentava construir o jogo pelos corredores laterais, mas era direcionada – graças a boa compactação e aos estreitamentos das linhas – a jogar por dentro, sendo que por dentro, o CSA estava muito bem protegido, com as duas linhas de quatro, tendo o Yago como o volante mais a frente, para sair um pouco mais, como se fosse um meia esquerda e não deixava o Cruzeiro jogar. Quando o time mineiro finalizava, o goleiro Matheus Mendes fazia a diferença e conseguia fazer as defesas. No primeiro tempo foram quatro finalizações certas e posse de bola de 66% da raposa contra 34% do Azulão.
O CSA não tinha o contra-ataque mas tinha a eficiência da bola parada e da bola aérea ofensiva. O time teve um aproveitamento de 100% e com duas bolas aéreas ofensivas, os dois zagueiros definiram o placar da 1ª etapa: CSA 2 x 0 Cruzeiro. Não sofreu o gol de final do primeiro tempo, o CSA ficou atento e não mudou sua proposta.
O Cruzeiro terminou o primeiro tempo já com uma postura diferente. Após os dois a zero, ele abandonou o modelo sem centroavante, trouxe o Thiago para o jogo e ficou com apenas um volante e dois meias, sendo Mauricio por um lado e Régis por outro e dois extremos, com maior velocidade. Rafael jogando mais a frente da linha e Airton pelo lado esquerdo. O CSA viu o time mineiro ficar com a posse ainda maior, aumentou 10%, chegando a 76%, porém não conseguiu finalizar tantas vezes como foi no primeiro tempo. Ao invés das nove vezes do 1º tempo, finalizou apenas cinco vezes na etapa final e apenas uma no gol, que foi a finalização do bom lateral Matheus Pereira. Fora isso, o CSA finalizou mais duas vezes no alvo e fez um gol e colocou uma bola na trave com Pedro Lucas. Assim o CSA conseguiu conter o ímpeto ofensivo da equipe do Cruzeiro, marcar muito bem e fazer o resultado que lhe interessava. Dentro da proposta trazida para o jogo, o CSA foi perfeito, não criou as quinze finalizações que fez no jogo contra o Cuiabá e só fez um gol, mas neste jogo, teve uma eficiência muito grande e que foi fundamental para o CSA somar três pontos. Quando o CSA tomou o gol do Matheus Pereira, todo mundo esperava o filme repetido, que o time azulino tomasse a virada, que decaísse fisicamente, mas foi uma equipe que reagiu rápido com Pedro Lucas fazendo o terceiro gol. Mesmo com a expulsão do Pimpão, a leitura do Adriano foi muito interessante de tirar o Pedro Junior que já estava de amarelo, mas manter a mesma postura e posicionamento defensivo.
Destaque do jogo Alan Costa
Garçom: Pedro Júnior
Melhor treinador: Adriano Rodrigues.

  • Interiorano

    Nem sou torcedor do CRB e nem do CSA, mas, na minha humilde opinião, os dirigentes máximo do futebol brasileiro deveriam ter bom senso e mudar as regras esse ano, ou seja : Não haver rebaixamento em nenhuma Série! Subida sim, mas, Rebaixamento não! São times desfalcados devido a Covid – 19, são jogos sem torcida para empolgar os jogadores, etc.! Lembrando que a Série A já teve 24 clubes! E aí, em 2021 ou 2022, voltaria se ao normal! Esse ano, está totalmente atípico e não é justo que devido ao modo como os jogos estão acontecendo que haja rebaixamento!

  • Glorioso

    Para iniciar um novo momento o azulão deveria manter o cara que deu organização técnica ao time, não é por caso que este cara é conhecidos como “cabeça”, em um jogo mostrou que sabe comandar um time, mas a mediocridade dos dirigentes é tamanha que já importou uma dupla de desconhecido do futebol nordestino para comandar a equipe, não tem jeito vai voltar a perder e cair pra série C, ou seja , a vergonha azulino vai continuar para desespero de seus torcedores.
    PS. Tem que dispensar o castan cara de cachaça, noberto, neto, Michel Douglas os três goleiros que estavam aí além de outros medalhões perebentos.

  • Glorioso

    Os dirigentes azulinos está gastando uma nota preta Na contratação de dois perebentos paranaenses para fechar o caixão azulino, acorda torcida , vamos reagir como a torcida do Atlético Mineiro que não aceita deboche de diretor.

  • um ALAGOANO

    O time do csa jogou muito bem, como o Marlon falou a simplicidade do jogo do time fez a diferença, sendo a diretoria eu ia mantendo provisória o comando técnico ou seja sem pressão, sem fixar o comando e deixa o tempo passar.

  • Sérgio Roberto de Menezes Siqueira Thaysa

    Boa noite, concordo com o “glorioso “, se a chegada deste tal Pestana é responsável pela saída de 2 jogadores, não deve ser Boa coisa, ainda dá tempo, deixa o Adriano Cabeça enquanto procura um técnico, ou prestigia o cara!

  • Luiz Gustavo

    Marlon viu como Adriano conseguiu manter o time do CSA bem postado em campo e competindo e vencendo o Cruzeiro. Agora nosso Case de Sucesso Sr. R T ´ só faz besteira esse ano desde começo, trazer o Argel técnico fraco. ele disse que time tava mal fisicamente, o time ficou dom dez em campo venceu se, susto. Argel nunca mais. ´´ ´´´´Presidente acerte uma apenas…

  • fernando

    Parabens ao CSA pela vitória, mas fico espantado como o time conseguiu evoluir nesse jogo e não o fez em jogos anteriores.Tem o dedinho do Adriano “Cabeça”? sim, mas jogou com vontade, correu mais e mostrou mais raça. Podia ter feito isso em jogos anteriores. Espero que continuem assim e não deixem a peteca cair. Avante Azulão!!!!!

  • ivo

    Vejam que loucura para diretoria do csa enfrentar e o porque do time está nessa situação: O time vem perdendo todas, dipensa o técnico, coloca-se um interino , humilde dos quadros das divisões amadoras, mas que entende do riscado, vence o poderoso de outrora cruzeiro,com o time jogando bem, aí entra o desperdício, o novo técnico entra com uma missão pra lá de complicada, dar continuidade ao trabalho do interino, com a obrigação de vencer, caso contrário o caldo entorna, ou seja, a diretoria está entre a cruz e a espada. Quando a coisa tá troncha, o de baixo mela o decima.

  • Luiz R S Filho

    Infelizmente, o jogador de futebol(com raríssimas exceções) não encaram a profissão com seriedade no que diz respeito ào compromisso consigo e com a Instituição a que está vinculado. Não gostam de cobrança, quando criticados. Apelam para o jargão “somos pais de família igual aos outros”, mas, bem diferente desses ¨”outros” que dependem de esforço e bom resultado nos seus labores para fazerem jus ao salário e se manterem empregados.

    O jogador de futebol assina não um contrato de trabalho e sim de estabilidade de um período, onde está garantido seu ganho – produza ou não.

    Enquanto não houver um ordenamento disciplinar para o exercício dessa profissão, o Clube e Sua Torcida serão reféns desse sistema.

    Quanto ao CSA, terá iniciado de fato a competir na Série B de 2020? o futuro dirá!!!!

  • Luiz Gustavo

    Juventude avança na Copa do Brasil.

  • ivo

    Chupa que é de uva lulu gustavo bestão. Se cuide não, a serie C tá logo ali, na zona já está.

  • Luiz Gustavo

    Ambiente no roteirense complicado com o zagueiro GUM liberou geral e falou do clima tenso.