Sócio torcedor – Apelo emocional x oferta de vantagens – Blog do Marlon
Um case de sucesso não combina com ausência de transparência
Uma dívida que precisa ser paga

É inegável que a pandemia da COVID-19 trouxe  uma imensa dificuldade para todos os clubes brasileiros, uns sentem mais, outros criam alternativas para tentar minimizar os efeitos da crise. Em Alagoas, CSA e CRB vivem momentos de dificuldades, estão no limite.Durante a semana, o presidente do CSA, Rafael Tenório publicou um vídeo com forte apelo emocional buscando envolver o torcedor para seguir ajudando o time azulino e permanecendo como sócio do clube. A forma de se referir ao torcedor, as falas pausadas, a linguagem forte e contundente e até mesmo a trilha dramática mostram o presidente fazendo um apelo e expondo a dificuldade do clube. Lembro que uma das principais dificuldades dos nossos clubes é fidelizar o torcedor. Com um plano que oferece pouca vantagem ao sócio que não seja o ingresso para o jogo, a nossa abordagem está fadada ao humor e a emoção do torcedor. Por característica, o torcedor faz uma troca: paga a mensalidade e recebe como troca a entrada gratuita nos jogos. É uma relação muito mais comercial, de troca do que uma relação racional, que traz a consciência de apoiar o clube em qualquer momento. Com a pandemia de COVID-19 e por consequência, a suspensão dos jogos e a dificuldade financeira, o torcedor se afastou, alguns não reúnem condição de pagar e outros tantos – beseados naquela relação comercial de troca – não recebem nada do clube e por tanto, não  enxergam motivos para permanecer no projeto sócio torcedor. A situação é nacional, mesmo para clubes com outra relação com seus sócios. O Flamengo, por exemplo, perdeu 20 mil sócios e caiu para a casa de cinco dígitos, ficando abaixo dos mais de cem mil sócios que possuía. Mas vem do Bahia, uma ideia de ofertar uma série de itens ao sócio torcedor que não sair do quadro de associados ao clube. São doze itens e em sua grande maioria, o clube pouco irá tirar dinheiro do bolso para ofertar vantagens ao torcedor que permanecer associado,vejam alguns itens :

  • Terá seu nome eternizado no monumento #JuntosVenceremos, no novo CT,
  • Terá seu nome na camisa do time em um jogo do Brasileirão 2020,Terá permissão de comparecer a 5 treinos da equipe em 2021
  • Ganhará 50% de desconto nas camisas 1 e 2 da coleção 2021 (primeiros 10 dias de lançamento).

O mais importante investimento será a compra de um carro por mês até dezembro, que serão sorteados com os sócios que permanecerem no clube e adimplentes neste período de dificuldade. Entendo que está longe de comparar Bahia e CSA, até mesmo no aspecto estrutural e financeiro, mas também vejo como plausível copiar alguns itens factíveis de fazer, como por exemplo, ofertar ao sócio que permanecer no clubes poder assistir a cinco treinamentos da equipe em 2021.Diferente da abordagem emocional que o CSA utilizou, o Bahia enxergou que ofertar um produto – supérfluo neste momento – anexando uma série de vantagens pode ser o caminho para diminuir, reduzir prejuízos. O tempo ira dizer quem teve a melhor abordagem, o CSA focado no aspecto emocional ou o Bahia, fazendo um pedido semelhante, mas ofertando uma série de mecanismos, vantagens para aqueles que permanecerem com o clube baiano.

  • Ariella

    Caro Marlon, eu sinceramente fiquei muito decepcionada com a diretora azulina na série A. A venda do mando de campo para o Flamengo foi uma vergonha, não torço pra times de fora mais queria ter ido ao jogo no rei Pelé aliás como fui a todos os jogos quando o CSA era o mandante. O senhor RT disse que seria boa a receita desse jogo e ao que parece não foi. Vendeu também o espaço do jogo de volta no Rio e muitos Azulinos que a décadas moram na quela cidade e estavam cheios de saudades do time não poderiam entrar com a camisa do CSA pois não havia ligar para visitantes no estádio. Fora outras coisas que machucaram a torcida ao longo da temporada 2019. Agora o RT quer apelar para sentimentalismo numa hora tão delicada como essa. Muitas coisas precisam ser revistas pra torcedor que levou pedras e levou cassetadas da polícia num jogo em Caruaru voltar a investir no CSA.

  • Ismar Ferreira

    Bom dia Marlon, sou Azulino, sempre mantive em minha contribuição como sócio torcedor e no momento atual as mantenho em dia, tanto eu como meu filho ( Phillipe), mas te digo vejo sempre vejo falta de ações de contrapartida por parte do CSA, ações que fiquem na valorização do sócio que se mantém fiel nas suas contribuições independente das situações financeiras que é o caso do momento, como tb aquelas como de competitividade como o caso da não permanência na série A, todos os anos o clube faz promoção para os inadimplentes voltarem a pagar, por outro lado joga migalhas para quem se mantém em dia, desculpa o termo, agora mais uma vez estou eu e outros fiel ao time, o que o time oferece, falta criatividade, existem muitos torcedores que valorizam a paixão pelo clube, mutange fechou, tanta coisa que poderia ter sido oferecido, uma foto com o time com vista para o mutange, a rede ou patê da rede do mutange, a bola do último treino do mutange até a grama do mutange, o Nelsão vem aí, promove o espaço, uma foto panorâmica com o nome do sócio assinada pelos jogadores que estiverem no treino, almoço com os jogadores no Nelsão, tem muita coisa, falo isso quando puder ter um contato mais próximo, algumas dessas idéias não são minhas ouvi de outros torcedores, finalizando, meu presidente pode contar comigo, Ismar e meu filho ( Phillipe), manteremos nossas mensalidades em dia.

  • Silas Emanuel

    Apelar para a emoção quando – nítidamente – o torcedor que está saindo do projeto, muita das vezes, é pelo fato de não ter como pagar ou não ter o que oferecer, característca citada no texto como comercial, não é muito esperto. Acredito que ao invés de fazer uma abordagem desse tipo, deem aos sócios motivos para continuar, façam do torcedor algo mais do que alguém que pagam as contas do clube. Baixem o preço do Sócio, procurem um mecanismo de Marketing que faça o Sócio mesmo de longe, se sentir especial, importante. Mostrem que muito mais do que pagar mensalidade, o “pagante” também é pessoa, é gente e tem sentimento. Quando os clubes pararem de tratar as pessoas como cheques em branco, talvez os torcedores para de cobrar ações comerciais dos clubes que revelam amar.

    Sou S´ócio, mas não dos clubes citados acima, e falo como o desabafo de alguém que se mantém em dia com o pagamento das parcelas, independente de qualquer situação, mas no meu caso é um pouco cômodo, porque eu estou conseguindo pagar, não julgo nem condeno quem parou por quaisquer motivo que seja. Entretanto, mesmo pagando, até agora eu não consegui receber nem um “obrigado” sequer, imagine se precisasse de estímulo para continuar a pagar…

  • Tony

    CSA e CRB apelam para o emocional dos torcedores, mas esquecem de prestarem contas dos valores arrecadados e onde foram aplicados. Na verdade, fazem do dinheiro o que querem e quem paga, fica só na vontade de saber pra onde foi seu dinheiro. CSA e CRB pecam também ao oferecer aos seus sócios-torcedores o acesso aos jogos como principal vantagem de ser sócio, e quando não tem jogos, o torcedor se acha no direito de não pagar sua mensalidade. Alagoas é um dos poucos Estados do país que os clubes oferecem acesso gratuito aos sócios-torcedores em seus jogos, outros centros esportivos oferecem descontos na compra do ingresso, opções de lazer, participação em sorteios, entre outras vantagens.

  • André Barreiros Silva

    É nesta hora que precisamos ver verdadeiros azulinos, principalmente quem ainda tem condições financeiras. E olha tem muitos azulinos em boas condições. Não é hora de atirar pedra ou julgar. Dou mais uma sugestão para quem continuar como sócio: abatimentos nas compras dos produtos do CSA e virem padronizados com o nome dos sócios e quando voltarem os jogos os sócios terem direito a levar um acompanhante da família, esposa e filhos. Vou renovar hoje o meu sócio. O Sr. Rafael Tenório como empresário vencedor sabe como negociar boas coisas.

  • Luiz R S Filho

    Marlon e Amigos…… meu comentário neste tópico é um convite para que visitem >>>>>>>>https://fortaleza1918.com.br/

    Irão conhecer/observar a diferença entre um Clube que PENOU anos na 3a divisão do Brasileiro, e chegou na 1a divisão com a intenção de PERMANECER.

    Ainda que haja (e HÁ) desnível de estrutura financeira – só s´´ócios atualmente mais de 30.000, è nítido a criatividade e idéias do envolvimento dos Sócios com o Clube e vice-versa.

    Outro FATO me deixou impressionado (coisa do outro mundo)……… https://fortaleza1918.com.br/o-clube/…..neste ícone – Clube, ao lado direito inferior abaixo do Título CORAÇÃO TRICOLOR……tem uma janela que pode ser acessada e até baixada……DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS 2019……… São 28 páginas demonstradas e com parecer da auditoria externa independente, conta por conta, rubrica por rubrica, ricamente detalhada e comentada.

    Isto não é muito difícil de ser feito, entendo que o problema é a divulgação e a exposição gráfica.

    Nada mais a acrescentar.

  • Felipe M.

    Deixo aqui minha sugestão para os dois principais clubes de Alagoas – CSA e Crb: Acredito que uma das alternativas em permanecer regular no número de sócios seria investir no turismo quando o time for jogar fora. Além de levar lazer para os sócios, possibilitaria com que mais torcedores incentivasse seu time.

  • Nivaldo

    Vou retornar a contribuir com meu azulão,mas no ano passado fui pagar os atrasados e ficar em dia com o sócio mas fiquei decepcionado quando perguntei lá se tinha algum brinde para o sócio e lá me disseram que não,aí eu disse não tem nem um adesivo ? No que me responderam negativamente.Ou seja qualquer brinde, por mais simples que seja sempre deixa o torcedor feliz.