CRB volta a vencer e ainda segue em busca do improvável – Blog do Marlon
CSA já depende de um milagre
Agora o CRB aposta na calculadora. Será que ‘ela’ tem pilha?

O CRB venceu , convenceu e ainda acredita na calculadora. Espera que o improvável possa acontecer que ele possa vencer os dois jogos restantes e que as equipes que estão no G4 sequer possam pontuar.
O desempenho contra a Ponte Preta foi mais uma vez pautado na eficiência. É a terceira vitória seguida em casa sob o comando de Marcelo Cabo. Não existem grandes oportunidades de acesso, mas o CRB fará jogo após jogo. Na próxima partida contra o Figueirense, na sexta-feira, o CRB precisara fazer sua parte, vencendo o jogo, mas se Coritiba e Atlético-GO pelo menos empatarem, o CRB estará fora da disputa.
Acreditar é o que resta para o CRB.

Léo Ceará marcou o seu 14º gol na série B.

Jogo tático
CRB veio para o jogo com duas substituições pontuais, uma em função de suspensão, pela expulsão de Victor Ramos contra o Vitória. Ewerton Páscoa foi o escolhido, diferente da opção de Edson Henrique que vinha sempre sendo utilizado e outra a volta do titular Willie no lugar William Barbio. O time veio modelado no 4-3-3 com o corredor central tendo dois volantes mais centralizados e um meia de armação, que era o Elton Arábia, com dois extremos mais agudos, mais ativos e o Léo Ceará na referência.
Jogando em casa, Marcelo Cabo traz um time mais equilibrado. Anteriormente, o CRB era muito dependente de corredor esquerdo com Igor e Alisson Farias.. No jogo de ontem, o time foi equilibrado atacando pelos dois corredores e quem surpreendeu foi lateral direito Daniel Borges. Foi sempre por lá que o CRB chegou com mais intensidade no 1º tempo e foi pelo lado direto que surgiu o gol. Daniel Borges sofreu a penalidade, Léo Ceará converteu a penalidade, fazendo o 14º gol na Série B, chegando a vice-artilharia com o mesmo número de gols de Hernane Brocador do Sport .
O time do CRB tinha uma qualidade melhor de contra-atacar, pois o time adversário não tinha um organizador, tinha três volantes. A diferença nos modelos de 4-3-3 com três volantes e três atacantes.

A diferença ficou latente: CRB com dois volantes e um meia e a Ponte com três volantes, ficava claro, latente, a ausência de um meia articulando o momento ofensivo. O time tinha a bola mas não conseguia articular jogadas para um exímio finalizador , Roger, que já possuí 13 gols na competição e que antes da bola rolar estava empatado com o atacante regatiano, Léo Ceará.
O jogo se encaminhava para o CRB ‘sentar’ na vantagem e a Ponte começou a gostar do jogo. Já próximo do final do 1º tempo, Camilo obrigou Edson Mardden a fazer uma grande defesa.. Depois disto, aos 44 minutos, bela jogada pelo corredor direito, Daniel Borges foi ao fundo e deu o passe para Willie, que errou ao dominar, se atrapalhou mas com um passe de letra, deu a condição de Lucas Siqueira marcar o segundo gol, o CRB descia para o intervalo ampliando sua vantagem.
No intervalo, Gilson Kleina trazia Renato Cajá , o meia articulador , para o jogo e aquilo que víamos no primeiro tempo ficava claro. Gilson Kleina passou a espelhar o que o CRB tinha com um corredor central preenchido com dois volantes e um meia articulador, além disto trocou o Guedes por Arnaldo, que é lateral direito de origem, entrou para jogar em altíssima velocidade e com mais intensidade travando o que o CRB teve  de melhor no primeiro tempo pelo corredor direito, com Willie e Daniel Borges. Com a entrada de Arnaldo, Daniel Borges não participou mais do jogo ofensivo.
Marcelo Cabo reagiu as mudanças da Ponte e colocou o CRB praticamente no 4-2-4, com quatro homens para buscar o contra-ataque. Depois entrou Edson Cariús no lugar do desgastado Léo Ceará. A chance que o CRB precisava dentro da situação reativa, aconteceu. O CRB criou uma linda jogada desde o seu campo defensivo, troca de bolas de primeira, manual de transição ofensiva, Igor Cariús invadiu a área e rolou a bola para Edson Cariús, que na entrada da pequena área, ele desperdiçou uma chance incrível.
Depois o CRB administrou, Marcelo Cabo deu a resposta a entrada do jovem Bill na Macaca, que é o jovem jogador da base do Flamengo, sacou Willie e trouxe Lucas Abreu e manteve a dominância do jogo.
Craque da partida Igor Cariús, jogador bem regular que vem fazendo uma grande Série B. Melhor goleiro Edson Mardden e melhor treinador Marcelo Cabo.

  • Jr Malafaia

    Corrigindo o título do post:
    “CRB volta a vencer e ainda segue em busca do IMPOSSÍVEL”
    Não precisa agradecer, Marlon.
    Grande abraço!
    Regatiano consciente já está desejando feliz natal e ano novo, talkei?!

  • ivo

    Estamos de férias, até o próximo ano, quem viu Maria viu, quem não viu, compre uma lupa ou um binóculo. Uma ótima serie B a ambos no próximo ano, o que não deixa de ser uma boa posição no cenário nacional. Os inconformados desprezam esta posição, mais tudo esta dentro das expectativas. Um abraço a todos.

  • Antônio R.

    Realmente Ivo, você tem razão na série b do próximo ano teremos dois clássicos e Alagoas vai vê quem levará mais vantagens no de 2020, espero quê o meu AZULÃO faça um bom campeonato e consiga de novo o tão sonhado acesso, quanto o preá vermelho do canavial de roteiro leve um monte de supapo na série b e caia pra série c.