Alagoas não pode seguir o exemplo do Governo Federal – Blog do Marlon
Copa do Nordeste: CSA busca crescer e CRB deseja a manutenção
A mudança de conceito do CRB de Damiani

O esporte sofreu uma enorme derrota no novo desenho administrativo do Governo de Jair Bolsonaro. Além de perder o status de ter um ministério, o esporte foi colocado na pasta de Cidadania e Ação Social e a princípio, deverá ser uma secretaria.

É normal que após as movimentações administrativas no âmbito federal, os governos estaduais possam alinhar o que faz Brasília. Não acredito que o desportista Renan Filho, Governador de Alagoas, autorize este tipo de alinhamento na área esportiva.

Em seu primeiro mandato, Renan havia prometido – e cumpriu – que recolocaria o esporte no status de secretaria, algo que o Governo anterior havia acabado, juntando o esporte com a educação.

A ideia de estado mínimo cria imensas dificuldades para o segmento esportivo que perde força, ações e poder de decisão, ou seja, autonomia para projetos e políticas públicas.

A experiência que tenho na vida pública, seja como gestor ou como policial militar, me traz a convicção que o esporte é uma das mais importantes ferramentas para incluir, educar e desenvolver jovens e adolescentes contribuindo de forma direta – e barata – para diminuição de índices de violência, algo que Alagoas tem feito com eficiência e até mesmo indo na contra mão do país.

O esporte precisa de mais incentivo, necessita que a pasta tenha mais investimento e que haja uma implementação clara de uma política pública, que possa ser discutida com todo o segmento andando em consonância com seus anseios e atendendo a sociedade.

Entendo por exemplo, que a secretaria estadual de esporte segue atingindo em suas ações a capital do Estado, algo até normal, mas que precisa ser expandido e ganhar força em ações no interior, pois os municípios tem aumentado os índices de jovens e adolescentes ociosos tem aumentado o consumo de drogas e ações ilícitas.

Como desportista que é torço para que o Governador Renan Filho possa manter a secretaria e fortalecer suas ações para defender a sociedade e ofertar um caminho seguro para crianças, adolescentes e jovens que dependem e precisam de ações concretas para o seu desenvolvimento como cidadãos.

  • Giovanna

    Parabéns pela belíssima leitura do atual momento sofrido vivido pelo país no tocante ao esporte. Vamos torcer para que Alagoas caminhe no sentido contrário!

  • DUARTE

    PARABÉNS ! MUITA GENTE GOSTA DE GANHAR VOTOS COM O ESPORTE , MAS LEVANTAR A BANDEIRA DE DEFENDER SÓ VI VOCÊ ATÉ AGORA.

  • Cardoso

    Esporte, quê esporte, tá certo o dinheiro vai para o amadorismo, onde tem função social, os esportistas quê usam os clubes para ganhar dinheiro e votos e não olham para sua administração, faça como o AZULÃO, onde os seus diretores tornaram o CSA numa empresa rendavel.

  • Bispo Filho

    Sabe-se que a sociedade em que vivemos é caracterizada pela exclusão e marginalização social.
    Nesse contexto, encontra-se uma grande parcela de crianças que acabam herdando essa condição massacrante.
    Políticas Públicas que tiram menores da rua e estimulam a atividade de esportes como forma de cidadania é um bom exemplo de práticas preventivas de violências.
    Essa forma de lidar com adolescentes e crianças contribui para a inclusão dos mesmos na sociedade e a formação de cidadãos mais humanizados.
    Além disso, afasta-os da vida insegura marcada pela violência, drogas e exploração sexual infantil, proporcionando-lhes a oportunidade de crescerem como crianças normais.
    Convém ainda ressaltar outro benefício trazido pelo incentivo ao esporte: a formação de um ambiente competitivo envolvendo esses jovens.
    Esse espírito é muito importante na preparação dos mesmos para o mercado de trabalho que cada vez mais exige competência, aumentando a disputa por bons empregos.
    Desse modo, estará mais apto a enfrentar a concorrência, o que ajudará no surgimento de profissionais adaptados ao mundo capitalista em que vivemos.
    Dessa forma, estamos contribuindo para um mundo, no mínimo, mais digno e justo para todos.
    A extinção da Secretaria de Esportes agrava a situação de falta de perspectivas de muitos jovens, que vêem na criminalidade à solução mais acessível para melhorar suas condições de vida.
    É o que penso!
    E parabéns pelo texto.

  • Luiz Melo

    Não se faz cidadania excluindo aspectos importantes e o esporte é peça fundental na formação e aprendizado dos jovens e adolescentes assim como uma oportunidade de mudança de vida, sobretudo nos que vivem na marginalidade. Vários exemplos temos em nosso país de atletas que alcançaram marcas importantes para o país nos mais variados esportes. Como dizia Caetano, “enquanto os homens exercem seus podres poderes […]”, resta paranós rezarmos para que esse governo que não tem uma linha sequer em seu plano de governo sobre esporte, não queria apenas machar e bater continência. Que Deus abençoe e continue escrevendo certo em linhas tortas.

  • Luiz Belo

    Gostaria de identificar o que o estado tem feito pelo esporte, temos um grande atleta do surf(AMANDO TENÒRIO), melhor alagoano classificado no ranking mundial de surf e sofre para ter algum apoio, seria um grande garoto propaganda para o governo alagoano, certeza que iria incentivar muitos jovens ao esporte, espero ver os incentivos não apenas em atletas como ele, olhe que estou falando de um atleta que esta no foco do cenário nacional, imagina quem poderia se beneficiar apenas de uma acompanhamento e de uma estrutura para aprender um esporte novo e sair da ociosidade e com isso sair do crime.

  • Contestador

    Concordo com o governo federal em retirar as verbas principalmente destinadas ao futebol e destinalas a outros setores como a saúde. Os clubes estão falidos principalmente por má administração ou má fé de seus dirigentes que são oportunistas. Permanecer com esta política seria concordar com este circulo vicioso. Deveria sim obrigar os clubes a manterem escolas para seus jovens atletas para aí sim estimular a formação de seu caráter e cidadania.

    • Marlon Araújo

      Essa é uma das anomalias ! O esporte é mais …muito mais que o futebol. Investir no futebol Profissional é uma incoerência, pois você visualiza o lucro gigante e com isso poderia investir o dinheiro público aos que não se tem nada , como exemplo o CSA lucrou este ano em quase 5 milhões só com bilheteria e sócio torcedor.

  • ARMANDO

    Importante que o Estado (Governo) apoie e incentive o esporte. Porém, necessita-se de maior transparencia por parte dos que fazem o esporte. Afinal, são recursos públicos, misturados ao privado e devem ficar livres de cortinas de fumaça.

  • ANTONIO MARTINS

    Um cara que nada faz nesse sentido para sua cidade (Murici), não pode ser denominado de desportista.

  • Elson Alexandro

    Excelente reflexão sobre a visão caolha e administração pública do novo governo federal. Esperamos que os outros níveis de governo não sigam tamanha asneira, já preconizada de “nova era” , de quê ?

  • Wellinton

    O que esperar de um governo que não cumpri com o acordo que foi feito com os funcionarios públicos?

  • Marcelo

    Alagoas não deve e não irá seguir esse Governo Federal em nada, nem no esporte, nem Educação, nem na Segurança, nem na cultura,nem na saúde, em nada e isso o Governador já deixou claro durante as Eleições, o Governador é um Democrata e mesmo sabendo que alguns batem continência efusivas para esse Soldadinho de chumbo/presidente ,isso o Governador Renan Filho não fará, mas parabéns Marlon por tocar no assunto e deixar claro seu posicionamento a respeito desse assunto,coisa rara hoje em dia,PRINCIPALMENTE na imprensa!!

  • ivo

    Então, se Alagoas é um estado auto suficiente e com uma economia equilibrada não deve precisar de ajuda federal, só que a historia não é bem essa e, nós sabemos. Esse papo de esquerda não convence a ninguém, Alagoas precisa sim de ajuda para o esporte, ajuda para mudar os maus investimentos, tirando os mãos bobas das administrações. Se não vejamos: Uma instituição como a Fifa, preocupada em se modernizar, investir melhor no futebol, e Alagoas dispensando ajuda por conta do orgulho de perdedores, esquece irmão, as eleições já passaram, nos temos um dos piores IDH, do país, ou você não tem conhecimento?Vamos pensar em melhorias para um estado pequeno e carente como o nosso. Comer sardinha e arrotar caviar, é meio que insano.

    • Azulino da grota e da Serra

      Imagine o nível intelectual do cidadão, o Marlon fala em extinção do ministério dos esportes, o gênio quer justificar o não apoio ao Esporte por ser teoria de política da “esquerda” .
      Pra quem não sabe o exército brasileiro foi uma das instituições que foi “usada” para apoiar atletas de alto rendimento na preparação pras olimpíadas de 2016.
      Mas o exército é de esquerda?
      O que tem de relação a pobreza do Estado com o apoio ao Esporte?
      Quer dizer que por receber ajuda dos órgãos federais não pode investir nos esportes?
      Qual ajuda não aceita por gestores de Alagoas por não ser coligada ao presidente Eleito?
      Papo mentiroso de esquerda e de direita não convence ninguém essa é a verdade.

      • ivo

        Desculpe aí, Azulino de baixo e de cima, maguou, foi?…..kkkkkkkkk Pontuei para o Marcelo, que usa nome, vc usa codinome, beija-flor. Agora sim, foi pra você, bestão.

        • Azulino da grota e da Serra

          Quem se magoa é vc ivinha quando paga a aposta do caneco kkkkkkkkkkkkkkkkkkk.
          “Grande” nome “ivo” kkkkkkkkkkkkkkkkkkk.
          Não adianta espernear a resenha está só começando menina rosada kkkkkkkkkkkk

  • Pedra Noventa

    O capitão presidente Jair Bolsonaro foi correto ao extinguir o Ministério dos Esportes, alí se tinha um ANTRO de “Corruptos políticos, dirigentes e empresários esportivos, bem como parte da imprensa, quadrilha, que desviava e roubava o dinheiro publico, fruto do pagamento de imposto do povo brasileiro e se promoviam eleitoralmente usando a boa fé do cidadão torcedor.