Uma grande vitória que trouxe um importante recado – Blog do Marlon
Erro decisivo da arbitragem, derrota fora de casa e dois jogos em casa para decidir permanência
Na melhor atuação do ano, CRB vence Goiás e cria esperança que pode sair do rebaixamento

Didira comemora mais um belo gol com a camisa do CSA: grande temporada – Foto: Pei Fon – TNH1

 

Após ter perdido para a Ponte Preta no Rei Pelé, o CSA veio enfrentar o Brasil sem nenhuma margem de erro. Além disto, a equipe precisava da vitória para passar um claro recado para os adversários na briga pelo acesso.

E o recado passado foi: o CSA está inteiro na briga pelo acesso.

Não foi uma atuação excepcional, mas o time foi competitivo, venceu por 2 a 0, passou alguns sustos e o tamanho da comemoração após o jogo e as declarações dos jogadores na saída de campo mostra o quanto o time estava pressionado para conseguir a vitória.

 

No 1º Tempo o atacante Walter , ao sair muito da área ocupava quase o mesmo espaço do Daniel Costa e ninguém atacava os espaços que seriam atacados com uma referência com maior mobilidade – Imagem: Tatical Pad – Marlon Araújo

O time azulino permanece no G4 durante a rodada iniciada e transfere a pressão para Vila Nova e Atlético(GO), os dois mais ferrenhos perseguidores do CSA.

Restam cinco jogos e o time segue firme na briga pelo acesso e vai fechar a rodada na 3ª colocação. Agora o time sairá para dois jogos fora de Maceió, enfrentando extremos: Sampaio Corrêa e Fortaleza. Pontuar nestes jogos deixam o time muito mais próximo do acesso.

O jogo tático

 

O Csa veio escalado com uma única alteração da partida contra o Coritiba, justamente Xandão no lugar do Mateus , fazia uma saída de bola em linha de 3 , Leandro – Yuri – Xandão , projetava os laterais ao mesmo tempo dando amplitude , o volante Dawhan tinha missão de infiltrar como surpresa , para desorganizar defensivamente o Brasil-RS – Imagem: Tatical Pad – Marlon Araújo

 

As duas equipes esconderam as escalações e quando as mesmas foram reveladas trouxeram surpresas. O CSA optou por um atacante de velocidade pelo lado para compensar a pouca mobilidade do Walter.

Mas deste o começo do jogo, o CSA demonstrava muita ansiedade, que não era costumeiro errar tantos passes, muitos deles, até simples de serem executados. Mesmo assim, os dez primeiros minutos da partidas foi de domínio do CSA, sem conseguir criar nada efetivamente de perigo.

Depois disto, o Brasil tomou conta da partida. Criou volume, tocou , teve mais posse mas com apenas uma chance. Aos 27 minutos, Wellington Junior perdeu uma chance de colocar o time de Pelotas na frente.

O jogo seguiu sem grandes finalizações mas para premiar o grande momento do time azulino, o gol surgiu. Já eram 44 minutos quando Rafinha cortou para o corredor central e chutou, a bola desviou em Hugo Cabral, traiu Marcelo Pitol e o CSA abria o marcador, marcava 1 a 0.

No intervalo, indiquei que Marcelo Cabo precisava arrumar o posicionamento de Walter no 1º tempo. O atacante azulino saia da área e não havia ninguém que atacasse o espaço que ele deixava. Aos 4 minutos, Walter se deslocou pelo lado, recebe a bola e deu uma assistência perfeita, no meio da área, Hugo Cabral cabeceou para uma defesa sensacional de Marcelo Pitol

Depois disto, o CSA marcava baixo e visivelmente abdicou de atacar. A partir deste momento só deu Brasil e Frigeri fez pelo menos duas grandes defesas, evitando o gol do time gaúcho, que já fazia por merecer o empate.

Começaram as trocas e justamente nestas trocas com Juan e Berola nos lugares de Daniel Costa e Walter, mas ai foi que o CSA acabou sendo pressionado e levando sustos.

O CSA conseguiu equilibrar as ações com a entrada de Rubens, que passou a ofertar profundidade e segurar a bola.

Já aos 46 minutos, Frigeri fez uma – na verdade, a segunda ligação direta com muita eficiência – ligação direta e encontrou Didira, que com extrema categoria, bateu de chapa, a bola ainda beijou o travessão e entrou para definir a grande vitória do CSA por 2 a 0.

Yuri – Craque do jogo

Lucas Frigeri – Garçom

Lucas Frigeri – Melhor goleiro

Marcelo Cabo – Melhor técnico

Bruno Arleu de Araújo – Fez uma arbitragem tranquila

  • Aurelio

    Vitoria pra manter o equilibrio, deixar os adversarios “preocupados” com o CSA.
    Agora é manter o foco, buscar pontos fora , principalmente no jogo contar o Sampaio.
    Acho que com 61 pontos sobe
    Avante Azulão !!

  • José A de Oliveira

    Bom dia Marlon e torcedores, CSA voltou a jogar com garra e pegada que lhe foi peculiar durante maior parte da competição, CSA fora de casa ou dentro de seus domínios é um time que não se intimida com adversários, quase vence o Coritiba no Couto Pereira e venceu mais uma vez BRP time do qual os molengas do CRB nunca venceram. É sorte? Não, competência dos seus jogadores que tem pegada e inteligência para bater certo na bola os dois gols pinturas feitos porquem sabem bater na bola, responsável por isso o grande treinador Marcelo Panela. CRB também terão essa pegada assim como tiveram contra o Goiás, terão contra o São Bento? Resta ver no sábado. Se tiver e voltar bater bem na bola, vence.

  • ANTONIO MARTINS

    Só discordo quando você diz que o CSA dominou os primeiros 10 minutos de jogo. Foi o contrário.

  • ROBERTO PAIVA

    MARLON
    A ENTRADA DE JUAN E NETO BEROLA , DIMINUIU MUITO A ESTATURA DA EQUIPE.
    JA TINHAMOS EM CAMPO DIDIRA, YURI, RAFINHA E DAWHAN.
    COM ESSA FORMACAO O CSA FICOU MUITO FRAGILIZADO NA BOLA AEREA.
    EQUILIBROU UM POUCO COM A ENTRADA DO RENAN.

  • BERIVAN

    Apesar do sufoco que tivemos na reta final do jogo, gostei do meu time e o mais importante foi os três pontinhos que conseguimos, agora é só manter o foco e procurar pontuar fora de casa.

  • Azulino

    Parabéns aos organizadores desse grande evento: comissão técnica, jogadores, funcionários do CSA, imprensa em geral.
    Show de bola!!!
    E a massa azulina???
    Cara! Só não joga bem quem realmente não sabe.

    CSA ATÉ O FIM

    CSA desde o berço, azulão no meu peito, CSA até o fim…(2X)

    Azulino eu sou e eterna é essa paixão, meu time é tradição e o maior Campeão …

    Andrey MC

  • Eduardo

    Marlon, você não acha que o Brasil explorou a baixa estatura do time do CSA? Por muito pouco não levamos um gol de jogada aérea. Se o Marcelo Cabo tivesse optado por colocar o Matheus no lugar do Rafinha, por exemplo, assim como fez no jogo contra o Coritiba, será que o time teria sofrido menos nas jogadas áreas? Qual a sua sugestão para as próximas partidas, caso o CSA venha a sofrer novamente com jogadas aéreas, o que é bem provável?
    Abraços e Saudações Azulinas!

    • thiago

      boa observação… com o avançar da competição, as equipes adversárias passaram a estudar mais o CSA e detectaram uma fragilidade defensiva pelo lado esquerdo. Isso, porém, a meu ver, não se deve só ao Rafinha, mas também ao fato de os extremos do azulão pela esquerda não serem bons na recomposição. Quando Niltinho estava, Didira caía pela esquerda e trabalhava bem a recomposição. Quando Niltinho saiu, ninguém conseguiu jogar bem pela ponta direita (exceto, o grande Didira). Aí, o jeito foi trocar Didira de lado (joga bem em qualquer dos lados) e jogar com um ponta caindo pela esquerda. Só que nenhum desses pontas fizeram cumpriram bem as responsabilidades defensivas: A combinação Berola mais rafinha é pedir pra tomar gol; John Cley (que já foi testado ali) mais rafinha idem; O Cabral até vai melhorzinho na função, embora aja no campo de defesa com certa irresponsabilidade quando tem a bola dominada. Juan tem sido uma opção frequente do Marcelo Cabo justamente por conhecer bem a recomposição, mas aí perdemos o poder do drible que é desejável que um ponta tenha. A solução para isso? improvisar o Mateus ali só numa medida de emergência e com os riscos de perder poder ofensivo. Para jogar com o Mateus, o ideal seria mudar o sistema tático para um 3-5-2, mas não dá tempo de adaptar o time a isso. O que acho que dá pra fazer é jogar com 2 volantes que defendam bem e protejam a defesa, como tem sido com yuri e dawhan. Isso não resolve, mas diminui os riscos e dá mais confiança para o Rafinha atacar (ok…há outro problema em jogar com yuri e Dawhan: perdemos uma possibilidade de chute qualificado, especialmente de fora da área…na última partida, é muito provável que o Pio finalizasse muito melhor do que fizeram yuri e dawhan …mas…enfim… acho que isso é um prejuízo menor e o técnico deve avaliar o encaixe de possíveis benefícios e malefícios do jogador na partida…)

      • Eduardo

        Ótima análise, Thiago!
        Em relação ao Pio, acho que a qualidade do seu chute poderia ser bem aproveitada quando o Walter faz o pivô, isso ficou bem evidente na última partida. Mas claro, isso numa eventual necessidade de o time se lançar ao ataque, já que ele não marca bem e praticamente não acerta um passe sequer. Em condições normais a dupla Dawhan/Yuri é, sem dúvidas, a melhor.
        Saudações Azulinas!

  • Maior Campeão de Alagoas

    Vit´ória na raça e no grito da torcida! Temos que entender que o time do CSA passou por muitas modificações nos últimos jogos, alguns contratados jogadores não renderam o esperado, acho que o Cabo agora achou o 11 ideal, agora é entrosar esse time na reta final e suar sangue dentro de campo em busca do acesso a Série A!

  • NUNES

    Agora é o momento de o CSA conseguir a maior quantidade possível de pontos. Não é hora de priorizar o jogo bonito nem o show de bola. É a hora da entrega, da determinação, do pragmatismo e, é claro, a promessa de um bom bicho! O grande espetáculo será conseguir o acesso para a série A.

  • Campeão Brasileiro

    A vida como ela é:
    CRB ganhou do Goiás e ajudou o CSA;
    CSA ganhou do Brasil de Pelotas e ajudou o CRB;
    A união faz a força é o Azulão Campeão rumo a série A.

  • Observador

    Não sou torcedor de CRB e nem de CSA, porém, torço para que os dois se dêem bem na Série B, ou seja : Que o CRB permaneça na Série B e que o CSA suba para a Série A! Mas, fica aqui uma observação : A Série A não é moleza! Vejam que times como o América/MG, Bahia, Botafogo, Ceará, Chapecoense, Corinthians, Sport, Vasco e Vitória estão brigando para não cair! E aí, torcedores do CSA também torcerei para que ele (CSA) se dê bem na Série A, mas, sem querer ser pessimista, se não tiver uma estrutura 10 vezes melhor que a atual, para brigar com Atlético/MG, Grêmio, Cruzeiro, Flamengo, Internacional, Palmeiras, São Paulo, Santos, etc., pode ser que o CSA só tenha o gosto de dizer que subiu e tenda a retornar a Série B!

    • RAFAEL A. TENÓRIO

      “Observador”. Seu comentário é pessimista e mostra o quanto você vê o futebol de forma restrita. É óbvio que CSA ou CRB numa possível chegada a série A terão (teriam) dificuldades de se manter na elite. Isso ninguém questiona. O que deve acontecer para os clubes alagoanos é usar as captações de receitas provenientes com do acesso para se estruturarem mais, para que num possível retorno a série B, cheguem melhor do que quando subiram. Acredito que de cara o CSA receba uns 30 milhões, talvez até mais, somando todas as receitas ao longo da temporada. É muita grana que bem administrada fará do clube um GRANDE adversário na série B e também deixará o clube sempre em condições de acessos rotineiros a Série A. E ao longo do tempo conquiste um espaço na série A por alguns anos seguidos. Entendeu a lógica? Marlon! Sou seu fã! já te falei isso pessoalmente! Parabéns pelos seus textos sempre lúcidos e imparciais. Saudações azulinas!

    • Azulão

      Poxa, como você conseguiu chegar a essa brilhante conclusão?! Parabéns!

  • AZULINO JACARECICA

    A vitória diante do fraco Brasil de Pelotas só serviu para mostrar que o futebol do CSA não é mais o mesmo. O Azulão foi dominado em várias partes do jogo e ninguém percebe ou tem coragem de falar isso. O CSA jogou por duas bolas e encontrou dois gols. Venho notando isso desde a derrota para o Vila Nova em casa, no jogo que valia a liderança e estranhamente os jogadores voltaram de cara amarrada e o treinador estava nitidamente puto. Como se não bastasse isso, ainda está pegando mal o fato de os jogadores terem cobrado um bicho $$$$$$$$$$ exorbitante e a diretoria não bancou. Ainda bem que o Azulão do Mutange não corre mais o risco de ser rebaixado. Está na hora de uma reformulação profunda do elenco visando 2019. Com esse futebol, o CSA não sobe!

  • NUNES

    De fato, após a perda de 04 jogadores o CSA caiu muito de produção. O Fortaleza passou por problema semelhante mas teve competência para reposição de jogadores iguais ou melhores aos que foram embora, por isso é líder isolado. Já o CSA, repôs as perdas com jogadores meia-boca do tipo: Alemão, Jhon Cley, Pingo, Neto Berola, Judivan e outras perebas. Ficou difícil, a qualidade do futebol Azulino caiu muito e perdemos partidas dentro de casa que, caso não perdéssemos, poderíamos estar até liderando. Quanto ao bicho que está sendo exigido, considero uma questão de custo x benefício. Quanto ganhará o CSA caso consiga o acesso? Feitas as contas, se valer a pena, o clube deve pagar. Porém, assim que garantir a classificação, deve dar um belo pé na bunda naqueles que além de mercenários, não jogam nada. Enfim, uma bela vassourada. Até porque, com esse time, com muito sofrimento e um bom bicho, dá para conseguir o acesso graças à gordura acumulada no primeiro turno, porém para disputar a série A, nem pensar, é passar vergonha e servir de saco de pancadas.