Segurança do clássico tem sucesso coletivo – Blog do Marlon
CSA vence, chega aos 50 pontos, segue firme pelo acesso e dá uma ajudinha ao CRB
Significado e as consequências deste clássico

Experimentei – mais uma vez – ‘ver’ o maior evento esportivo de Alagoas por outro ângulo.  Sou cronista esportivo e policial militar e já havia vivido o clássico sobre as duas visões.

A situação dos dois na tabela da Série B, os últimos acontecimentos na briga insana entre integrantes de torcidas, trouxe para este clássico, uma atenção especial.

Quando pensamos em um jogo de futebol, não podemos pensar apenas nas quatro linhas que se faz o espetáculo futebolístico, principalmente o maior clássico de Alagoas.

A Segurança Pública pensa em 1º lugar em garantir a integridade do torcedor e dos astros de um grande jogo como CRB x CSA. Este jogo se mostrou muito tenso, por diversos fatores de acontecimentos nos últimos trinta dias que fizeram desse clássico ter uma atenção bem maior que os anteriores neste ano.

O planejamento deste segundo clássico começou no dia após a partida realizada no 1º turno.  Efetivamente ele foi iniciado 22 dias atrás. Um bom planejamento começa pela avaliação de tudo que aconteceu no último encontro, com o desafio de corrigir os erros e manter os acertos da última partida.

Como sempre, em qualquer ação da Polícia Militar, não é feito apenas com uma pessoa, e sim com várias pessoas e diversos órgãos que são envolvidos em uma partida como essa.

O jogo rigorosamente é iniciado ás 16h30, mas estava na rua ás 9h. Convidamos a SLUM através da limpeza e retirada de todos os entulhos do entorno do Estádio e da Avenida Siqueira Campos, a SMTT para planejar junto ao BPTran todas as possibilidades de isolamento e desvio de transito, até reprogramando os semáforos do entorno do estádio. A SEMSCCS através da fiscalização e retirada de ambulantes para o torcedor poder entrar com tranquilidade, o PROCON, tanto municipal quanto estadual, juntos para prover e proteger todos os direitos do torcedor, a Vigilância Sanitária para fiscalizar os bares e lanchonetes que servem alimentos aos torcedores no estádio e fora dele, os agentes da 28ª Vara através de sua fiscalização em proteger nossas crianças e adolescentes fazendo valer o que está escrito no Estatuto da Criança e do Adolescentes, os companheiros de labuta da Polícia Civil que estão juntos no controle das ações dos infratores que sempre tentam não cumprir as normas e leis de nossa sociedade, nossos irmãos do Corpo de Bombeiros Militares que estavam presentes em todos os setores do estádio e sempre prontos para agir para o salvamento e resgate de torcedores dentro do estádio. Importantes também foram o grupamento aéreo e o Batalhão de Operações Especiais.

E diante disso, cada um dos 400 policiais militares que foram escalados para cumprir essa missão dentro do estádio, onde procuram orientar e manter a ordem para que cada torcedor possa demonstrar o amor ao seu clube.

Comando com muito orgulho o Batalhão de Radiopatrulha  mas o planejamento eficiente da partida só funciona com a integração de todos os batalhões policiando suas áreas antes , durante e depois os corredores de transporte , todo o plano coordenados pelo Secretário de Segurança, Lima Jr e pelo Comandante da Polícia Militar, Cel. Sampaio.

Vivenciamos dois momentos tensos durante as ações da partida. O primeiro deles quando um torcedor vestido com a camisa da Mancha Azul passou de bicicleta no meio de torcedores do CRB. Ele foi agredido mas a rápida ação da polícia evitou um tivéssemos a repetição de cenas acontecidas na semana passada.

O outro foi quando decidimos por preservar a segurança de torcedores do CSA em função da super lotação no setor destinado a torcida azulina. Me desloquei para a parte de fora do estádio e informei aos torcedores que o espaço estava lotando e que o acesso seria fechado. Com a lotação já visível, o acesso foi fechado. Ficou claro que os organizadores do jogo não projetaram a capacidade do local disponibilizado.

Mas até nos dois maiores momentos de tensão, as ações rápidas e preventivas evitaram qualquer problema de maior contundência.  Como um técnico disse na preleção que o futebol tem três resultados possíveis: vitória, empate e derrota. No entanto para a PM só existe o resultado de vitória e cumprir a missão.

  • Pedra noventa

    Já o futebol do clássico foi um insucesso coletivo.
    Dois times ruins.

  • melo

    Pense em um time ruim esse CRB. Digno de dar pena. time totalmente desorganizado, sem esquema tático nenhum e elenco limitadíssimo. O empate é uma vitoria para esse time horroroso do CRB. Já para o CSA é uma derrota, pois nesse exato momento o csa tem um time infinitamente superior ao CRB. A tabela da serie B mostra a superioridade do Azulão.

  • José A de Oliveira

    Marlon, a segurança foi um sucesso graça a policia militar, mais o futebol em campo foi de dá revolta, no CRB burro do Mazola mostrou sua incapacidade para premiar a burrice foi expulso, Neto Baiano um jumento que nunca aprende a fazer gol, 35 ano era pra ter experiência mais repete os mesmo erros partida após partidas, se posiciona mal nos cruzamentos nunca se antecipa quando faz é para dar chutão, bola que era para ele dar um tapa ou bater rasteiro na saida do goleiro, o infeliz abaixa a cabeça e só chuta com raiva para onde o nariz está apontando como se tivesse batendo tiro de meta, dificilmente serve os campanheiros melhor colocado. CRB tem o pior ataque da competições perde até para o lanterna, como vai fazer gols com umas lazeera dessa jogando, jogadozinho sem a menor inteligência e sem experiência apesar de velho. Nós torcedores ficamos dependendo da inteligência de animais que só sabem correr, como eles não tem inteligência, o sofrimento é nosso porque amamos a camisa.

  • sebastiao bastos

    Parabéns Tnte.Cel.Marlon. Realmente a segurança foi eficiente e não apareceu.Essa é a diferença,quando se trabalha com planejamento.Quanto ao jogo técnicamente foi fraco.O empate foi melhor para o AZULÃO que chegou aos 47 pontos e continua na briga na parte de cima da tabela…Quanto ao CRB continua fraco e desorganizado com alguns jogadores querendo resolver o jogo de forma individual…

  • Aline Morais

    Patético! A proibição de papel picado e rolos de papel, com certeza o efeito destrutivo deles é imenso. Fico me perguntando porque a China perde tempo com armas nucleares, joga papel picado que mata todo mundo.

    • Marlon Araújo

      Aline o Papel picado proporciona um efeito lindo para o jogo , porém em outros jogos o papel foi juntado e virou fogueira 🔥 causando pânico aos torcedores , por isso o impedimento dos mesmos .

  • Andre Gustavo

    Sou testemunha do grande plano de segurança para esse clássico! Sorte dos torcedores do CSA que como visitante tiveram o Senhor no comando , visto que nos regateanos saímos e fomos obrigados a passar defronte aos torcedores do Csa , pense no tulmuto . Ontem não vi nada disso é que todo clássico seja o senhor 👏

  • Paulo

    Boa Aline Morais!!

  • ARMANDO

    Talvez o que tenha sido gasto com planejamento e ações do policiamento, nas suas diversas modalidades (a pé; montado e aéreo), somando-se ainda o emprego dos mais diversos atores do sistema penal e de segurança pública (PC; CBMAL: SMTT; SLUM; MP e Poder Judiciário) tenha sido superior a bilheteria. Uma mega operação para uma simples partida entre dois times medianos do futebol nordestino.
    Não se trata aqui de crítica ao policiamento, mas de uma proposta à reflexão do quanto a sociedade regrediu em civilidade e os custos disso para o contribuinte.
    Até a década de 80 o clássico das multidões atraia o dobro de público e o policiamento era comandado por Oficial do posto de Capitão, sem Canil, Cavalaria, helicóptero; com torcida dos dois clubes entrando e saindo juntas do estádio.
    Velhos tempos!

    • Marlon Araújo

      Excelente reflexão , porém quando ocorre o sinistro violento a fatura é cobrada da segurança pública, vivemos sim novos tempos onde torcer pelo time que não seja o seu , tornou-se para alguns “inimigos “ . Pelo país , clássicos como o de sábado sempre vem notícias de homicídios, em Alagoas não foi verificado nada anormal .

  • Silvio Campos

    Parabéns pelo comentário Aline Moraes

  • João Andrade

    O grande problema da superlotação não é o mal dimensionamento ou vender mais ingressos que a capacidade do local, o grande problema é que tem gente que comprar arquibancada baixa e la dentro “sobe” pra alta – Fica claro que ela vai lotar e gente com o ingresso na mão vai ficar de fora.

    É preciso um melhor planejamento para evitar essas cenas, no clássico de sábado muita gente fez isso e acabou por deixar gente que pagou o ingresso do lado de fora.

    • Marlon Araújo

      Perfeito João , nos eventos showwwwww quem compra pista não vai para camarote pq? Existe fiscalização do produtor do evento , isso não é papel da segurança pública . Parabéns pela visão macro do problema 👏

  • JPC

    O outrora glorioso CRB, o famoso galo dos canaviais roteirenses já se programando para a série C de 2019 está em negociações com um circo mambenbe para alugar suas lonas e distribuir nariz de palhaços aos seus torcedores. Há algo de podre no reino de Roteiro.

  • salatiel de souza

    Parabéns, Ten Cel PM Marlon, pelo o desempenho de seu trabalho, nota dez.

  • salatiel de souza

    Do ponto de vista da segurança acho que foi perfeito, só a reclamar quanto ao fato da venda de ingressos maior que a capacidade de público do local designado para a torcida do CSA e também da falta de fiscalização com relação ao público que passou da arquibancada baixa para á arquibancada alta sem que nada fosse feito, o que contribuiu também, para esgotar a capacidade de público daquele setor. causando assim um imenso transtorno para quem adquiriu seu ingresso legalmente. eu por exemplo comprei ingresso de alta e assisti o jogo na baixa, sendo assim acho que faltou organização, no mais, tudo ótimo.

  • Eduardo

    Marlon, e quanto aos marginais de vermelho que agrediram covardemente o rapaz da Mancha Azul, vão ser punidos? Dá pra identificar um por um pelo vídeo amplamente divulgado nas mídias sociais.

  • André

    Marlon, que horas foi a ordem para fecharem os portões? Estava trabalhando,cheguei faltando 10 minutos para as 17h, não tinha ninguém para dar informação do clube organizador, nem da federação, um funcionário do estacionamento me disse que estava super lotado, e a policia tinha fechado,fiquei de fora com o ingresso na mão, assim como, cerca de 20 torcedores que estavam na porta também. Preciso da informação , pois irei ao procon ,em sendo negado o ressarcimento pelo clube organizador do evento, irei ao juizado procurar meu direito. Pois se estava lotado o local destinado ao CSA é pq venderam ingressos a mais.

  • André

    Obrigado!

  • adeildo santos

    nao tem jeito, vem uma torcedora que nao sei si foi pro jogo, falar de papel de papel, vc tem que lembrar que o papel com fosforo pode fazer um um principio de incedio, fala serio ne

  • Maior Campeão de Alagoas

    Não fui ao jogo, não posso avaliar o aspecto segurança, mas não tenho como aceitar o termo “sucesso coletivo” quando muitos torcedores com ingresso não mão foram proibidos de entrar no estádio ou tiveram que ficar na arq. baixa. PROCON tava lá pra que afinal? Pra mim é simples: ou a polícia falhou em barrar quando ainda tinha vaga ou o time mandante não controlou o acesso ou vendeu mais ingressos do que podia. O que o PROCON fez? O que a polícia fez? Se um produtor de um show vende 5mil ingresso pra um local que tem capacidade de 3mil, deveria ir preso por estelionato, mas nada foi feito e ainda é taxado como “sucesso”! É totalmente inaceitável torcedor com ingresso na mão não poder entrar no evento que comprou, em lugar nenhum do mundo isso acontece, só aqui, e mesmo assim a imprensa não cobra quem tem que cobrar, tá tudo maravilhoso e o torcedor de bem que se lasque, se isso gera tumulto e tem briga, a culpa é só dos torcedores, no jogo passado com mando do crb tinham disponibilizado apenas 1 catraca pro CSA, agora isso, ninguém reclama, ninguém cobra, a tendência é só piorar. Tem que punir quem merece ser punido, quem provoca tumulto e não o torcedor de bem que é vítima mais uma vez.

    • Luiz R S Filho

      Concordo com suas colocações MAIOR CAMPEÃO DE ALAGOAS…acrescento que fosse o CSA o mandante desse jogo com ocorrência dessa natureza (torcedores com ingressos comprados e impedidos de adentrar o Estadio)….estarim a IMPRENSA…..o PROCON…..o MP….e quem mais de direito…..cobrando a reparação desse prejuízo.
      Nesse caso, entendo que o Clube mandante teria que ter disponibilizado internamente e até em conjunto com a Policia….segurança privativa contratada para impedir/barrar a migração/invasão de torcedores da parte baixa para a alta das arquibancadas que é ilegal e desonesto – seja torcedor de qualquer Clube.

  • tulio Falcão

    Parab´éns ao policiamento do jogo, me senti bem e seguro, a única nota triste que vi foi a proibição da tradicional buzina da torcida do CRB, acredito que não seria problema, como nunca foi em outros jogos!

  • De Lima

    É PERSEGUIÇÃO OU NÃO?
    No dia 07, próximo, os torcedores do CSA terão de apresentar, o título nacional ou o estadual para poder votar. Já os torcedores do cêrrêbê votarão sem título.