Um grande negócio começando – Blog do Marlon
Não pode perder por perder é preciso tirar lições
O desespero do torcedor e uma invenção perigosa

Foi com tristeza que tivemos a notícia do fim dos canais Esporte Interativo. Uma ideia, um projeto que juntou em torno de si, grandes nomes do jornalismo brasileiro, dando visibilidade ao esporte de regiões até então sem espaço e com ousadia de encarar os ‘gigantes’ do segmento. Vimos na tela do EI nossos clubes ali representados, vimos os maiores clubes do planeta na Champions League, vimos o desafio de ‘peitar’ a Globo e abrir uma nova vertente para transmissão da Série A.

Triste pelos diversos profissionais que viram o projeto parar.

Mas no entendimento mercadológico, a ideia está ainda mais fortalecida.

A Tuner, dona dos Canais Esporte Interativo – e de tantos outros – fez um negócio gigantesco – até mesmo para os padrões norte-americanos –  e agora é afiliada da AT&T. No Brasil, por exemplo, o negócio envolvendo duas gigantes é tão grande que o CADE poderia alegar uma clara orientação de abuso do poder econômico.

Nos EUA a visão é diferente. OS canais são de múltiplas programações, assim sendo, competições como a Champions League e o Brasileiro – Série A, serão mostrado no canal TNT ou Space, ambos com um mix de programação que vão de filmes, talk show, seriados e esportes.

Além do mais, a Tuner vislumbra algo que o mercado já se encaminha: a utilização de mídias como telefones celulares (mobile) como meio de assistir a absolutamente tudo. Em função do próprio nome do canal ser “esporte Interativo”, a marca seguirá nas redes sociais, ampliando e fortalecendo o projeto e até mesmo com um acordo inédito com o facebook, transmitirá a Champions League pela rede social .

Paralisação de dois canais, queda na programação esportiva, mas a pegada continua forte, só que agora, com a uma visão de negócios e com perspectivas de estar rigorosamente antenado com o direcionamento mundial.

  • Marcos

    Pela foto da matéria eu pensei que o CSA e CRB estariam responsáveis pelo Estádio Rei Pelé e finalmente te´ríamos um Placar eletrônico. hehehe

  • Masculino

    Essas mídias não substituem a TV. Infelizmente foi um grande baque para os fãs de esportes de todo o Nordeste.

  • Maior Campeão de Alagoas

    Não vejo como grande negócio “começando” e sim “terminando”. Pode ser um grande negócio pra gigante americana, mas para o futebol brasileiro (foco desse blog) será péssimo, tanto que os clubes que assinaram contrato vão entrar na justiça ´pra anular, campeonatos locais, regionais e brasileiro deixarão de ter a visibilidade da TV e valorização, o monopólio de um único canal de TV ficará mais forte do que nunca e a disparidade entre o sudeste e os demais clubes tem tendência forte de crescimento. Essa história de continuar nas mídias digitais é balela, vai demorar décadas para fazer concorrência com as TV’s, com nossas internet caras e lentas. Lamentável a decisão, futebol brasileiro, principalmente o nordestino de luto.

  • Sampaio

    Grande negócio fez o Xandao, ao ser expulso tirou de campo o menos 1 Taiberson, grande negócio fará o CSA se mandar o mesmo para Portugal, abre os olhos Marcelo Cabo.

  • DEL

    FRIGERI
    WELLINGTON SILVA
    ROGER
    LEANDRO SOUZA
    RAFINHA
    YURI
    JONH CLEY
    DIDIRA
    DANIEL COSTA
    NETO BEROLA
    ALEMÃO
    Marcelo cabo não adianta , esse é o time contra o são bento !!!!!!!!