Um segue consistente, outro continua irregular – Blog do Marlon
Marcelo Cabo pode cravar o nome na história do clube e ser promovido a ‘Coronel”
Repetição de desempenho e um novo tropeço em casa

Felipe Menezes fez um jogo bom com a camisa do CRB no empate com o Londrina – Foto: PEi Fon – TNH1

 

CSA e CRB estiveram em campo na penúltima rodada do 1º turno da Série B. Os dois empataram. Enquanto, o CSA empatou fora de casa contra o Avaí, o CRB empatou em casa com o Londrina.

Os dois voltaram a apresentar características semelhantes aquelas que já demonstraram ao longo da competição. O CSA foi constante. Pontuou em oito dos nove jogos disputados fora de Maceió e manteve-se na zona de classificação para a Série A, novamente em segundo lugar.

O CRB foi inconstante. Empatou em casa, resultado ruim e com uma combinação com outros jogos, fez o Galo retornar a zona de rebaixamento, local onde ele esteve na grande maioria das rodadas disputadas até agora.

A apresentação contra o Avaí fez o CSA ser ainda mais respeitado. O time foi elogiado em rede nacional e também pelo técnico Geninho. O CRB fez uma partida irregular, começo ruim, empate já aos 33 minutos e a partir daí, massacre total no Londrina, sem no entanto, conseguir marcar. No tempo final, falta de agressividade, poucas oportunidades e correndo risco pela maneira como o time paranaense se postou nos dez minutos finais da partida.

Próximo do final do 1º turno existem encaminhamentos, não definições. A constância diz que o CSA deverá brigar por acesso. A inconstância aponta que o CRB lutará contra o rebaixamento.

Você acredita em mudanças nestes dois cenários? Que mudanças podem alterar estes encaminhamentos? Responda. Opine.

 

guga (Avai) e Didira travaram um excelente duelo tático: jogo bem equilibrado – Foto: ASCOM Avaí

 

O jogo tático: Avaí 1 x 1 CSA

Ao ver os dois minutos iniciais na Ressacada, o torcedor do CSA poderá ter dito: hoje vai ser difícil.

O time catarinense chegou duas vezes e em uma delas desperdiçando uma clara oportunidade de gol. O Leão da Ilha ainda teve pelo menos mais uma grande oportunidade, desperdiçada. Aos poucos, o CSA equilibrou as ações, tinha a posse de bola, o toque, o controle do jogo, mas também não conseguia finalizar.

Assim terminou o primeiro tempo: CSA com controle do jogo, sem finalizar. Avaí com pouca posse, sem trocar passes, mas sendo mais efetivo e criando oportunidades.

O Avaí mantinha a postura de jogo com o 3-4-3. A equipe catarinense dobrava corredores e aos poucos, o CSA foi entendendo como funcionava o jogo. O Avaí seguia dando a bola para o CSA e buscando na transição em extrema velocidade, surpreender o time alagoano.

O jogo seguiu muito equilibrado com Daniel Costa mostrando uma grande qualidade técnica e sendo o garçom. Leandro Souza foi o dono do jogo premiando o momento defensivo do CSA. Lucas Frigeri foi o melhor goleiro e Marcelo Cabo trabalhou melhor.

O jogo tático: CRB 1 x 1 Londrina

A partida começou com os dois times comentando falhas defensivas que proporcionaram chances para ambas as equipes. Mas o Londrina foi mais eficiente e saiu na frente. Rafael Carioca perdeu uma bola na intermediária e com velocidade, Paulinho Moccelin atacou o corredor lateral e cruzou, no meio da defesa, Dagoberto cabeceou abrindo o placar.

O CRB se afobou, mas mesmo assim chegou a criar algumas chances. Enquanto umas erram desperdiçadas, outras paravam no goleiro Vagner. Somente aos 33 minutos, em jogada de bola parada, o CRB empatou. Após cobrança de Diogo Matheus, Rafael Costa desviou no primeiro pau, Vagner fez um milagre, mas no rebote, Everton Sena chapou e empatou o jogo.

A partir daí, o que se viu foi um massacre: volume, oportunidades, jogadas criadas pelos corredores laterais ou pelo corredor central, Vagner voltando a brilhar, mas o CRB não conseguiu a virada.

No segundo tempo, o ritmo diminuiu e com isso, o Londrina saiu um pouco mais para o jogo. O CRB começou a realizar suas trocas e ai, criou as dificuldades, repetindo o desempenho sem agressividade de jogos anteriores. Sem os homens que atacavam pelos lados, que venciam a marcação, o Galo ficou previsível.

Impressionante que as três mudanças do CRB não surtiram nenhum efeito. Com volume de jogo, mas sem eficiência, o CRB chegou a ver o Tubarão equilibrando as ações e tendo até uma oportunidade para matar o jogo.

  • Ivo

    Mais um jogo sem Vitória, e agora retornando ao z4 de onde não devia ter saído.É muito fraco o elenco do CRB, continuo afirmando com esses jogadores aí, pode escalar os de casa que o resultado é o mesmo,empate ou derrota ou uma Vitória de vez em quando.Tá assim o time, fora perde, em casa empata levando sufoco, um ano perdido de perspectivas zero. Nada de time previsível,é ruim mesmo Cap.Marlon.

  • Everaldo Barros

    Sou ouvinte e fã do seu trabalho , eu fico abismado como vc ainda não foi contratado para um projeto maior quer seja na tv , quer seja nos clubes . Ouvi atentamente na jornada CRB X Criciúma , você falar que só melhorava se mudasse e citou Luiz Otavio Tinga e Rafael Costa , coincidência o Doriva trouxe os 3 e o time foi melhor. Cara sai dessa Pajuçara e vai para globo vc vai longe . Outra coisa sei da sua rixa com o Mazola , mas na análise vc não misturou e premiou a excelente leitura dele .

  • Felix oiticica

    Não vejo outro caminho CRB mais 3 rodadas demite o Doriva e contrata vc Marlon , pois tenho certeza que é melhor que esse Doriva ( Pintado moderno ) não disse para que veio .

    • Regatiano

      O problema do CRB não é técnico, pois temos o melhor da série B. Nosso problema é jogador, que, à exceção de umou outro, é um bando de peladeiro.

  • Jaelson da Silva Santos

    Vejo os torcedores do CRB dizerem que o time é fraco e discordo completamente. Fraco são os resultados, fraca é a forma da diretoria resolver problemas, fraco é o comprometimento dos jogadores do elenco e principalmente os mais antigos tipo Boa ventura, Diego e Neto Baiano que ganha a torcida dando 3 carreiras atras da bola pra mostra vontade e internamente causa racha no elenco com entrevistas que em nada ajuda ao time.

    Sou azulino, e mesmo que não consigamos o acesso estou muito orgulhoso do meu CSA. Mesmo com um elenco no qual o time titular tem 7 jogadores do alagoano, o time encaixou.

    Temos um elenco comprometido, temos uma diretoria que fala a lingua dos jogadores(Que não é fácil) e uma torcida que esteve presente nos piores momentos de nossa história, como por exemplo disputar a 2ª divisao do alagono por 3 vezes, e mesmo assim não abandonamos nosso time.

    Esse é um momento pra História, mesmo que não consigamos o acesso (Acredito no acesso), mostramos que o CSA de hoje é um time que merece todo respeito conquistado dentro e fora de campo.

    Dentro de campo com jogadores guerreiros que disputam todas as bolas e quando 1 perde uma dividida já temos na sobra fazendo a cobertura.

    Fora de campo uma diretoria resposavel que fez do CSA um modelo de administração (e não ta pronto ainda), nos devolvendo um orgulho ferido de anos sendo zoados com piadas que só quem ama o futebol entende o quanto era sofrido aguentar calado sem argumento pra rebater.

    E nossa torcida, dizem q no sul tem uma tal de torcida “fiel”. Que nada! “fiel” somos nós que fomos ao inferno varias vezes em nossa história recente,e ressurgimos mais fortes, ser “fiel” na horas boas e facil, quero ver ser tendo apenas 3 meses de calendario e sempre chegar junto nos piores momentos, aí sim eu digo que isso é ser fiel de verdade.

    Agradeço a nossa torcida por tudo de ruim que passamos juntos e hoje as alegrias que passamos.

    A nossos jogadores por honrarem nossa camisa e por jogos que mesmo saindo com a derrota deram tudo quem podiam.

    E a nossa diretoria muito bem representada por Rafael Tenório e Raimundo Tavares que juntos com sua equipe fizeram o orgulho de ser azulino ser ainda maior, sim nosso orgulho hoje é mair, pois nunca perdemos o orgulho em ser o MAIOR CAMPEÃO DE ALAGOAS!

    • ivo

      Na lua esta precisando de comentarista do seu gabarito Jaelson. Fraca é sua observação também.

      • Jaelson da Silva Santos

        Caro Ivo. Não sou cronista, não sou brogueiro, sou apenas um torcedor que vai ao Rei Pelé nos bons e maus momentos do CSA.

        Fui ao estadio a 1º vez com meu pai quando eu tinha 10 anos de idade e hoje tenho 42, e como detalhe meu pai é CRB e mesmo assim virei azulino e o pedi que mim levasse para a torcida do CSA em meu primeiro jogo no estadio, e o jogo foi um CSA e CRB, fiquei com ele no meio da grande arquibancada.

        Passei as piores fases de meu time, e quando digo passsei é pq estive presente no estadio acompanhando de perto. Eu estava em campo nos 2ª rebaixamentos do CSA no Alagoano, tambem estava no dia que ele empatou em 0X0 com o penedense e não subia da 2ª divisão do Alagoano pra 1ª, mesmo tendo acabado o campeonato invicto.

        Tambem estive presente quando CSA e Vasco empataram em 3 a 3, jogo esse que foi na pajuçara.

        Todos os jogos da comembol tambem estava lá. Contra: Vila nova(GO), Estudiantes de Merida(VEN), São Raimundo(MA) e Talleres(ARG).

        Vi pessoalmente o CSA ser Tetra campeao Alagoano.

        Também vi o CSA jogar contra: Picos do Piaui, Estudantes de timbauba, lagartense e tantas outras equipes fracas.

        Enfim, meu comentario aqui é como torcedor de arquibancada que sou.

        Um torcedor como tantos outros azulinos que nunca abandonam seu time.

        Abraço!

        • Daniel

          Falou tudo certo, Jaelson, o CSA não pecisa mais provar que é o maior time de Alagoas no momento. Os torcedores sérios do CRB entendem isso, os outros falam porque tá vendo o Galo em um mau momento, correndo o risco de cair para a Série C.

        • ivo

          Tá bom Jaelson! Divirta-se um pouco com este momento, tô vendo que muito sofreste com o teu ce-si-ah. O teu histórico é bonito e triste ao mesmo tempo, dois rebaixamento só no alagoano, não é pra qualquer um…buá…buá…buá, estou chorando por você.

  • Jaelson da Silva Santos

    Também não posso esquecer nosso treinador e sua comissão técnica, com um trabalho serio, diferenciado, com erros mínimos pois não da pra acertar tudo, mais principalmente mantendo sempre o foco, a cabeça no lugar, e trabalhando muito sério em busca dos 45 pontos inicias, e sem dúvida visualizando algo maior.

    Valeu Marcelo Cabo,

  • Maior de Alagoas

    crb está fazendo o que sempre se orgulhou de fazer, disputar a série B pra não cair, e comemorar a permanência no último jogo em casa, com estádio quase cheio e regatianos eufóricos como o feito.

    O CSA vai continuar nessa mesma pega, tendo risco de perder mais jogadores (Série A vão sempre atrás dos melhores da Série b) e sabendo que os times “ricos” da série B vão contratar com força e deixar a briga pelo acesso no 2º turno muito mais difícil. Confio na nossa direção, comissão e nação azulina, não desistiremos jamais!!!

  • Azulão campeão brasileiro e alagoano

    A 1ª e única ESTRELA RADIOSA de Alagoas “GLORIOSO C S A” rumo a série A;
    cr de b…., rumo a série C. Tenho dito!

  • Azulino

    As palavras do internauta Jaelson da Silva Santos fizeram descer lágrimas nos olhos.

    Os torcedores regateanos ainda nos machucam, com o intuito de humilhação sobre os nossos rebaixamentos e um período sem participação em campeonatos nacionais.

    Mas, o importante é saber levantar!

    Assim como nas nossas vidas (quem nunca viveu uma dificuldade que parecia não ter melhor sorte?).

    A nossa torcida é fiel, fantástica e emocionante.

    Por vezes, gosto de acessar as imagens de vídeos com a nação azulina explodindo o Estádio Rei Pelé ou simplesmente recepcionando o nosso time, após uma grandiosa conquista fora de Maceió.

    Em relação ao chamamento do Marlon, acredito que o nosso querido CSA está no caminho certo para um melhor patamar na competição do Campeonato Brasileiro da Série B.

    Com os pés no chão, buscar os primeiros 45 pontos (planejamento inicial – a permanência na Série B). Depois, vamos deixar que os nossos guerreiros azulinos (Treinador e Jogadores) ditem o rítmo aguerrido, competitivo, comprometido e venham a nos proporcionar àquela que será a nossa tão almejada glória: o acesso à elite do futebol brasileiro – a Série A ( nos moldes atuais – feito inédito para Alagoas).

    Obrigado, internauta Jaelson!
    Ainda escrevo com a emoção no rosto.

    Um agradecimento especial a nossa fantástica nação azulina.

    Obrigado a todos os envolvidos nessa gloriosa campanha do CSA: Diretoria, jogadores, funcionários e os nossos apaixonados colaboradores.

    Obrigado a Sistema Pajuçara de Comunicação e ao Marlon por bem conduzir o Blog.

    VAMOS CSA, COM FORÇA E RAÇA!!!

    À todos, saudações azulinas.

    • Jaelson da Silva Santos

      Amigo azulino, essa emoção sentida por você é a mesma de cada um de nós que grita com orgulho o nome do nosso CSA.

      Ao ver o seu relato confesso também ter mim emocionado.

      Um grande abraço!

      Saudações Azulinas.

  • George Amorim

    Creio que o caminho do CRB esteja mais claro. É impressionante como o time não consegue se encontrar. Já foram inúmeras trocas de treinadores, novas contratações e dispensas. A equipe não evolui e corre sérios riscos de cair. A sorte talvez seja que os outros adversários que estão nessa disputa são igualmente limitados e contra os 5 últimos colocados(1×0 Boa esporte/3×2 Sampaio/ 1x1criciúma/1×1 brasil/1×1 Londrina) o time não perdeu nenhum jogo, o que deixa ele no bolo e com uma diferença pequena de pontuação para sair da zona do rebaixamento. O csa tem uma equipe extremamente competitiva e os caminhos que serão traçados pelo time dependerá diretamente do discurso e das metas da diretoria. Em 2016 o CRB terminou o primeiro turno com 33 pontos e com uma sequência excelente no G4, porém o discurso interno era um tanto quanto desmotivador para que joga e quem torce: a meta era fechar nos 45 pontos primeiro. Ora, se meu time faz um primeiro turno excelente, enfrento em igualdade todas as outras 19 equipes e consigo pontuar dentro e fora de casa, logo aparento ter um potencial para disputar o acesso à primeira divisão. Espero que o discurso da diretoria do Csa mude na virada de turno e a motivação e a organização do elenco se matenham em alta, já esta na hora dos times alagoanos pensarem alto. A série B atualmente não apresenta mais aquela disparidade entre as equipes que víamos a 9/10 anos atrás,. O equilíbrio é enorme e quem conseguir se organizar e manter uma regularidade(atribuições que o CSA tem) lutará por uma vaga no g4

  • José A de Oliveira

    Bom dia Marlon e torcedores, CRB embora esteja na Z4 está há três vitórias da zona de classificação, mais não tem tranquilidade para finalizar e vencer, jogar fora de casa é até mais fácil de fazer gols se tivesse inteligência e tranquilidade como CSA tem, exemplo o CSA joga tranquilo de forma coletiva, quando o técnico adversário retira jogador da zaga zagueiros ou volante para colocar atacante em vez de fazer gol termina levando, os adversários passaram a temer e não estão fazendo mais essa substituição,porque? CSA tem um técnico muito inteligente que percebe e trabalha as oportunidades, CRB ao contrário quando isso acontece e sempre acontece o time entra em desespero recua demais e leva gol, não percebem que surgiu oportunidade de vencer. Não vou criticar o Doriva no primeiro tempo CRB massacrou o Londrina, era esperado que cansasse no segundo tempo, cansou normal, problema foi as substituições, mais eu acredito no CRB.

  • Alves

    Porque o crb volta tanto pra dentro da área quando o adversário esta com a bola? ontem o jogo terminando a bola dominada por um jogador do londrina e tinha um jogador do crb próximo, eu pensei que ele ia apertar já que estava na área adversa o cara voltou desesperado, essa postura do crb eu não sei se é orientação do técnico! tem que fazer o contrario igual aos adversário partir pra cima eu vejo o crb perder a bola com facilidade e não consegui tirar a bola do adversário que vai tocando até concluir a jogada enquanto o crb vai recuando até dentro da área isso é muito feio parecem com medo, jogam a bola para fora a toa proporcionando um lance mas perigoso até porque um lateral virou um escanteio e se torna mais perigoso do que brigar na lateral, já quando é a favor o adversário segura a bola e o jogador do crb da um bico também botando a bola pra fora dando o direito do adversário sair com qualidade se fizessem isso e fechassem para recuperar mais não voltam todos pra defesa, tem muita coisa errada! bota esses caras pra aprender a bater na bola em conclusão para a trave demora aparecer uma oportunidade e quando aparece ou o chute sai mascado sem força e sem direcão ou vai pra lua é incrivél com uma chuteira, bola, gramado da melhor qualidade é muita incompetência!

  • Alves

    TEM MOMENTOS DO CRB NO JOGO PARECENDO JOGO DE VIDEO GAME O ADVERSÁRIO COM A BOLA E OS JOGADRES DO CRB TROTANDO ATRÁS DO CARA SEM AGREDIR EM QUANTO QUANDO O CRB ESTÁ COM A BOLA O ADVERSÁRIO AGRIDE DE TODOS LADOS O NEGOCIO É NÃO DEIXAR O ADVERSÁRIO PENSAR!

  • Sampaio

    Obrigado Jaelson Santos, pelo breve relato sobre o nosso querido e inigualável azulão. Só quem esteve no Rei Pelé quando no rebaixamento e ter que aguentar toda humilhação sabe hoje saborear este momento de glória, lógico ainda não conseguimos o objetivo de se manter na série B, mas é quase certo.
    Obrigado aos jogadores,diretoria e meu profundo respeito ao maior patrimônio do time sua fiel e inesquecível torcida.

  • Luiz

    Caro Marlon.
    O CSA está fazendo uma boa campanha,porém, atualmente a equipe não tem atacante, com a saída de Michel Douglas o CSA contratou o Alemão, pense num atacante ruim de bola, o cara não tem velocidade para acompanhar os contras ataques, não chuta uma bola ao gol, é muito lerdo. Não sei porque o Marcelo Cabo insiste em escalar o Alemão como titular da equipe, o CSA tem que contratar um atacante com URGÊNCIA.

  • Almeida

    Diego Rosa, Neto Baiano e Mazola…, nem merecem comentários, o neto só reclama e cai, os outros tão brincando com coisa séria…, só que todos recebem muito bem e em dia. Essa história de que a bola não chega no Neto baiano, não concordo; toda bola que chega nele, ou ele cai, ou a bola sobra, tá impossível dele conseguir dominar uma bola e dá sequência nas jogadas, perde todas, sem contar que agora quer se achar o ZICO, como cobrador de faltas. Tô convencido de que ele, Neto Baiano, prejudica mais o ataque hoje em dia, do que ajuda. Bruno Paulo, Feijão, Boaventura, Alípio…, não acrescentam nada quando entram, infelizmente, parece que já entram cansados e derrotados em campo, a torcida não consegue observar nenhuma vontade de vencer, nas ações deles em campo, parece que tão brincando numa pelada de futebol, sem qualquer responsabilidade de vencer; sem lembrar que ali no campo, eles estão defendendo o seu emprego, o pão de cada dia de seus familiares; e olha que todos recebem muito bem e em dia.
    Realmente o time não agride adversário nenhum, aparenta estar sempre desmotivado e derrotado.
    Já está difícil assistir pela TV ou escutar no rádio, imagino pra quem tá indo ao Rei Pelé.
    Continuo pagando o meu sócio-torcedor, porque sei que futebol é caro e que o CLUBE CRB, A INSTITUIÇÃO CRB, que é maior do que tudo isso, maior do que todos esses jogadores incompetentes, precisa desse apoio dos sócios. Agora, assistir ao jogo no Rei Pelé.., infelizmente não dá.

  • Almeida

    Pior ainda, o time disputa apenas uma competição e os jogadores só vivem cansados e com desgaste muscular, incrível isso. Os caras jogam um tempo e pedem pra sair no segundo porque tão cansados. Será que é muito álcool circulando na corrente sanguínea???