Grande trabalho de Cabo e uma vitória 'quente' e com autoridade do CSA
CSA teve mérito em acreditar e árbitro foi decisivo no empate

O gol de Leilson garantiu a vitória do CRB sobre o São Bento – Foto: Pei Fon – TNH1

 

O CRB foi agressivo na marcação, intenso na pressão ao homem da bola, teve volume de jogo, mas desenhava repetir um cenário que já era visto: não fazia gol, não finalizava com qualidade. A diferença no jogo surgiu apenas aos 39 minutos da etapa final, com uma bela finalização de Leilson.

A vitória premiou o time que buscou jogar, que não abdicou da partida. O peso era tão grande sobre os jogadores que ao final do jogo, a comemoração teve tons de classificação para Copa do Mundo.

Nos trabalhos de final de jogo, ouvi alguns jogadores, entre eles Neto Baiano e Willians Santana, falando de Série A, de acesso. É um direito absoluto do jogador, mas claramente é apenas um exercício de jogar para torcida. O CRB tem um bom time, mas visando acesso, não chega o bom, chega o excelente. E o CRB ainda está muito longe disto.

O time precisará fazer uma limpeza no elenco inchado e qualificar a equipe para poder  mudar o patamar dentro da competição. Se não fizer o dever de casa, se não qualificar, vai lutar com dificuldades para permanecer, imagine chegar a Série A.

O Jogo tático

CRB veio com o modelo pré- estabelecido pelo Júnior Rocha mas com a diferença de ter um comportamento mais agressivo na marcação. O time teve sincronia no atacar o homem da bola. Com Júnior Rocha, o time  circulava muito para atacar e a formatação do time do Doriva era mais vertical, rouba a bola e ativava corredores para criar situação de finalização ou para o cruzamento visando Neto Baiano. Finalizou doze vezes mas apenas duas dentro do gol.

No segundo tempo, Alípio e Willians Santana trocaram de posição. O time seguiu atacando, buscando espaços pelos corredores, seja com Diogo Matheus ou fosse com Rafael Carioca, surgindo como opções.

O São Bento voltou a abdicar de jogar. Não apresentava a volúpia, o interesse pela partida e normalmente esta postura é castigada.

Doriva usou a troca de peças. Bruno Paulo entrou e mostrou que poderá brigar por uma vaga de titular. A entrega, a intensidade do time, a agressividade e o volume criados foram premiados com uma bonita finalização de Leílson, garantindo a vitória regatiana.

Garçom do jogo foi Diogo Matheus. Rodrigo Viana o melhor goleiro. Doriva foi indicado como melhor treinador. Craque da partida, Willians Santana. O árbitro Rodrigo Traci fez uma excelente partida.