CSA teve mérito em acreditar e árbitro foi decisivo no empate
Bobeou, desligou e pagou por isso

Que bela imagem , a sincronia, o balé na partida entre Goiás x CRB – Foto: Rosiron Rodrigues – Goiás

 

Futebol é realmente imprevisível. O CRB perdeu para o Goiás em terríveis falhas individuais, mas gostei muito do desempenho da equipe. Júnior Rocha surpreendeu e veio com um time muito bem postado e com a estratégia bem definida.

Gostei dos conceitos e das opções que ele trouxe para o jogo. Até a falha, Márcio fazia uma excelente partida, depois do presente dado a Lucão, sentiu o lance e quase entregava uma segunda falha em um recuo. Luís Otávio fez uma grande partida. Ele é um volante que se aproxima de ser um meia, com dinâmica e com mais aproximação. Willians Santana fez um grande jogo enquanto teve condições de jogar. Fez tudo que se espera de um extremo. Driblou, recompôs e ainda pifou o Neto Baiano, em um passe sensacional, que quase deixou o CRB na vantagem.

Não vou avaliar o resultado, vou avaliar o desempenho e como desempenho, o CRB fez uma grande partida, ressaltando que as falhas individuais foram um duro castigo para uma equipe que foi tão bem.

O Jogo tático

Júnior Rocha surpreendeu e veio modelado com dobra de lateral pelo lado direito, com forte marcação travando os corredores do Goiás, principalmente, o lado de Carlos Eduardo, que simplesmente, não jogou. Trouxe uma dupla de zaga que foi quase perfeita e ainda apostou no volante Luis Otávio, se aproximando e fazendo uma função como meia.

Tudo isso deixou o CRB elétrico, presente e que se houvesse justiça no futebol tinha vencido o primeiro tempo, pois o goleiro Marcos precisou intervir em dois lances de Neto Baiano, evitando que sua equipe tomasse o gol. João Carlos só veio fazer uma defesa aos 36 minutos.

Sabia que na volta para o segundo tempo, Ney Franco não deixaria que o Goiás retornasse passivo e logo eles mostraram que iriam incendiar o jogo. Criaram situações de perigo pelo lado, e Giovannni, que já havia feito este tipo de lance no primeiro tempo, repetiu  o cruzamento, Diego demorou e não atacar a bola, Alex Dias desviou o suficiente para Lucão finalizar com força: 1 a 0.

O Goiás passou a se defender e apostar no contra-ataque. O CRB partiu para o atacar. Flutuava mas não conseguia infiltrar. Até que no primeiro lance de Alípio em campo, ele alçou a bola no ponto futuro e Ed Carlos faz contra. O CRB empata. Mas para surpresa de todos, não deu tempo sequer da torcida do Goiás xingar, pegar no pé do time. Em nova falha individual, Márcio tentou sair jogando mesmo pressionado, na tentativa de um toque por cima, a bola bateu na perna de Lucão e já ficou em condições para a finalização. O atacante do Goiás, com muita categoria, deu o tapa e fez um belo gol.

O CRB ainda teve a bola do empate, a bola do jogo aos 50 minutos, Neto Baiano girou para empatar e Marcos fez uma defesa de pagar ingresso.

O dono do jogo foi o goleiro do Goiás. Marcos fez pelo menos três defesas importantíssimas. Giovanni foi o garçon. Júnior Rocha foi o melhor treinador. O árbitro Leandro Bizio Marinho fez uma ótima partida e conseguiu corrigir um erro, pois o pênalti inicial marcado por ele, não existiu.