Erros e acertos – Blog do Marlon
Até que enfim, o mundo do futebol conspirou para o CRB
É uma honra copiar

Não é uma situação confortável para mim. Sou policial, ocupo uma situação de comando de um batalhão. Mas preciso me posicionar, em função da minha atuação como cronista, falar sobre o assunto que tomou conta após o clássico de sábado, no Rei Pelé.

Ouve um erro na estratégia traçada pela Polícia Militar de conduzir o torcedor do CRB dando a volta em torno do Rei Pelé, cruzando a Rua Cabo Reis e chegando na Av.Siqueira Campos, onde ainda existiam torcedores do CSA e o confronto, a sensação de insegurança, foram inevitáveis.

Conheço os policiais que planejaram as ações e sei da intenção e da qualidade deles no direcionamento e no planejamento do trabalho. A coisa foi pensada de uma maneira, mas a execução trouxe problemas.

Houve problemas na saída do torcedor e foram problemas que a própria polícia admite, mas também existiram acertos, como na chegada dos torcedores. Recebi mensagens que foi tudo tranquilo, que nem parecia que era clássico.

Além do problema do local por onde os torcedores foram liberados, o tratamento dado aos torcedores não pode –  não deve e não existe orientação para isso – ser generalizado, colocando na mesma vala comum torcedores e os vândalos, aqueles que causam os problemas. O sociólogo Mauricio Murad , um dos maiores estudiosos sobre a violência no futebol, explicar que o percentual de vândalos é entre 5 e 7%, ou seja você tem 93 a  95% de pessoas de bem, que buscam apenas assistir o jogo, acompanhar seu time e este ‘pessoal’ não pode ser tratado como marginais, como tumultuadores.

Liberar a torcida pela rampa de acesso oferta aos torcedores que deixaram os carros no estacionamento do Rei Pelé, três opções de escoamento: lagoa, praia e centro. Os outros torcedores que utilizam ônibus tem um ponto no mesmo setor em frente a Veleiro, desde que na Siqueira Campos exista um bloqueio para a torcida que já foi liberada não retorne para aquele posicionamento e ainda aqueles que moram nas redondezas e que vão a pé podem escolher estes caminhos para retornarem as suas residências.

É importante que o torcedor possa repassar estas informações e que a Polícia Militar possa ouvir as críticas, as observações e em cima disto, possam modificar a ação para os próximos jogos, evitando que pessoas de bem sejam tratadas de forma incorreta ou corrigir o erro cometido neste jogo. Tenho informação que a Polícia sabe onde evoluiu e no que errou para os próximos jogos.

É preciso dizer que também houve acerto. A Polícia Militar conseguiu apreender uma grande quantidade de artefatos explosivos na sede de uma torcida organizada, evitando a utilização destes materiais para um confronto, agindo com inteligência e de forma preventiva. Como já foi explicado, a chegada dos torcedores também funcionou de maneira positiva, o monitoramento nos bairros, locais nevrálgicos onde aconteciam tumultos, também foi controlada.

A estratégia foi pensada para evitar problemas, evitar o confronto, mas a execução trouxe problemas. É corrigir, buscar sempre o respeito ao cidadão e seguir em frente. Assim como no futebol, quando um jogador erra, vai mal, ele tem outras oportunidades. Outros jogos virão para que erros sejam evitados.

  • Daniel Souza

    Um planejamento como esse em larga escala e para um grande evento pode vir acompanhado de pequenas falhas em sua execução. O importante é identificar as vulnerabilidades e corrigi-las nas próximas ações. Acreditamos que o trabalho da PM/AL foi e é fundamental na manutenção da ordem pública e garantia de segurança dos espectadores. É bom lembrar que a segurança no estádio e no entorno também depende da colaboração dos torcedores, seja com críticas ou sugestões de melhoria.

  • Lucas

    Saber ouvir?? Mts torcedores reclamaram, alertaram, e foram tratados como lixo, com escoria, com desrespeitos dos agentes, como a gente tem direito a voz, se os agentes nao se colocam a ouvir, um amigo meu foi baleado com bala de borracha que veio da propria policia, em uma zona que nao estava acontecendo confronto, um simples ato de um policial que em vez de atirar pra cima, mirou nos torcedores, onde estavam criancas, idosos, deficientes e pessoas normais. Falta preparo, principalmente dos agentes que se encontram la, sei de todos os causos que rola em dia de classico, de toda tensao, mas um agente é treinando diariamente pra esse tipo de situacao, onde isso vai chegar? Como o flanelinha q foi atingido, se fosse arma letal? Meu amigo estaria agora morto, onde ele so queria ir torcer pro time dele e se divertir..

  • Alan Breno

    Primeiramente, meus sinceros parabéns Marlon.
    Sei o quanto é difícil realizar uma autocrítica e principalmente quando direta/indiretamente fazemos parte dela.
    Mas vamos lá… Vou ao clássico C.R.B. x C.S.A. há muitos anos (apesar de não ser velho) e notei que nos últimos 4 ou 5 anos a Policia Militar esta agindo com muita arrogância/truculência para com quem não merece (pessoas aparentemente de bens) e com os vândalos, saindo um pouco da sua ética moral. Pois neste jogo de sábado, tinha um Policial montado em um cavalo militar, cantando: “No meio do caminho tivemos que parar, parar, parar pra da porrada, da porrada na C.V.”
    Tudo bem ele ser Azulino (e maloqueiro por sinal, pois nem a farda respeita), mas será que este é o momento oportuno de estar provocando a torcida rival? Pois nada mais foi que uma afronta. Eu que estava com minha esposa e meu filho de 6 anos se senti intimidado e ao mesmo tempo muito puto. Pois como alguém que esta ali para realizar a segurança minha e de minha família (como de toda coletividade) esta cantando uma papagaiada dessas? Achei muita falta de respeito com os torcedores de bem, além de ter afrontado os meus princípios contra uma conduta digna de um Militar.
    Vale ressalta, que esta foi a primeira vez, mas não vamos nos esquecer… Pois no primeiro jogo da final do Alagoano com mando de campo do time marujo, a Policia Militar gostaria de ter realizado o mesmo procedimento deste último jogo de sábado, ou seja, o mesmo percurso arrodeando o Rei Pelé… Mas nos últimos minutos antes de cometer a bobeira, viu que tava cheirando merda. Pois é consabido que o Vermelho e Azul é igual olho e água, não se misturam (infelizmente).
    Sem mais delongas… Vida longa ao clássico. Pois com briga ou sem briga, uma coisa é certa, ou melhor, duas: Vou estar lá para assistir o jogo e voltar pra casa tranquilo e se tiver que bater para não apanhar, vou espancar.
    Paz é o que todos precisam ter em mente, desde dos Homens de bens, vândalos e os policiais. Pois uma andorinha só não faz verão.

  • Matematico

    Não entendo como um estádio tão grande como é o Rei Pelé só cabe 15 mil torcedores. O mais estranho que tem estádio pelo Brasil afora que é a metade do rei pelé e cabe 25 a 30 mil pessoas e o rei pelé só 15 mil.
    O engraçado que o rei pelé cabia antes 50 mil pessoas e coube várias vezes, depois colocaram as cadeiras e caiu segundo eles pra 25 mil torcedores, e agora só cabe 15 mil torcedores. Sinceramente,tem matemática errada nessa contagem porque não é possível que o estádio encolheu. No clássico de sábado quase totalmente lotado disseram que o publico foi de 10 mil torcedores e uma renda de 192 mil reais. Isso é tem coisa porque o estádio rei pelé tem condições de receber mais de 30 mil torcedores, e se calcularmos o valor dos ingressos vendidos esse 8 mil pagantes passa dos 500 mil reais. E não duvido que alivtinga mais de 20 mil pessoas,
    Concluindo, isso é um meio de não pagar as taxas e demais tributos por isso o csa e crb vem com essa conversa de 15 mil torcedores em um estádio tão grande como é rei pelé. 15 mil torcedores é o estádio do asa de arapiraca. Vamos investigar.

  • Leandro

    Tem mutreta.

  • Sampaio

    Futebol medíocre de 2 times medíocres.

  • George Amorim

    opa Marlon, sou estudante de jornalismo pela universidade federal de Alagoas e recém aprovado no concurso para a polícia militar de Alagoas. Quero apenas relatar que seu texto fez com que minha admiração por você aumentasse. Pessoas com essa postura me fazem seguir em frente com meus objetivos de que, é sim, possível alinhar duas realidades ideologicamente tão distantes. Parabéns por seu texto e sua postura. Sobre o tema, é realmente uma situação que merece um debate mais aprofundado, não se trata de um caso isolado, infelizmente para quem frequenta os estádios a polícia é vista como ferramenta de repressão, devido ao histórico de situações que inclusive já presenciei. Hora, se apenas uma pequena porcentagem vai aos estádios para vandalizar e praticar outras posturas dessa natureza, então a polícia não deve se comportar de maneira agressiva e repressiva e achar que essa postura é a ideal para lidar com o público nos estádios.

  • Flávio Cavalcante

    Eu só estava esperando se você iria PIPoCAR pela complexidade de vc. Abordar o tema , mas vc foi brilhante . Não é por acaso que vc é o que o povo comenta . Sucesso assino embaixo . Governador Coloca o Marlon Araujo na pasta do esporte .

  • ivo

    Meu caro Marlon, permita-me assim trata-lo,já que em outras ocasiões o tratei por Capitão, a torcida esta te apertando legal,e grande parte não entende que a polícia não é, e nem pode ser onipresente, e pra evitar conflitos não tem outra alternativa a não ser a truculência, não dá pra chegar num louco com instinto bestial pedido por favor. Infelizmente muitas pessoas do bem sofrem por conta de mais de meia duzia de desordeiros que não estão preocupados com o futebol e sim massagear o seu instinto bestial as custas de balas de borrachas sprey de pimenta, e outros instrumentos policias. É uma pena que essa galera que sai de casa para brigar, não sejam identificados e eliminados dos estádios e de todo tipo de diversão.

  • Diego Peixoto

    Bom dia Marlon, sou torcedor assíduo principalmente em clássicos, e pela primeira vez em todos esses anos me senti verdadeiramente com medo. A chegada foi uma das mais tranquilas que já enfrentei. Como de costume cheguei cedo, a entrada tava livre sem filas, muito bem monitorada com a barreira que foi colocada na rua da Veleiro, realmente uma sensação de paz e tranquilidade. Os transtornos começaram na saída. Prevendo a repetição do planejamento dos ultimos clássicos, dezenas de torcedores deixaram seus veículos próximo à rampa de saída do lado visitante. Alí fomos tratados como verdadeiros marginais! Pais de famílias com crianças de colo (meu pai tem 61 anos e foi agredido pelo mesmo policial da cavalaria que passou por cima de torcedores com seu cavalo no segundo jogo da final em frente ao “Bar do Carlão, ponto de encontro tradicional dos torcedores do CRB), um policial à paisana foi agredido também. Fomos obrigados a passar pelo meio de torcedores do CSA. Sorte que a maioria dos “baderneiros” já havia disperçado. Indaguei a um dos comandantes da situação se iriam nos escoltar.. o que escutei foi que eu me “virasse”, que ele estava alí cumprindo ordens. Fomos novamente agredidos, coagidos a correr por um mesmo policial “louco” que usa seu cavalo como uma arma.

    A Policia causou o “CAOS”! Sou um grande admirador da policia, mas dessa vez foram desastrosos

  • sebastiao bastos

    Boa tarde a todos.Sou azulino e concordo com tudo que descreveu Diego Peixoto.Houve falha da PM na saída do estádio,onde ocorreu verdadeiro caos e a cavalaria agiu atropelando de maneira indiscriminada, tratando a todos como marginais.Torcedor bandido é torcedor bandido e deve ser tratado como tal,agora torcedor comum com seus filhos,com esposa ser tratado dessa maneira é inadimissível.Onde estava o comandante da área externa do estádio?Lamentável sobre todos os aspectos a falta de planejamento na saída dos torcedores.Nenhum orgão da imprensa noticiou nada,só o Marlon comentou,parabens…

  • Dudu

    Primeiramente, meus sinceros parabéns Marlon, pois quando o primeiro clássico da final foi o Senhor que Comandou não tivemos problemas nem na entrada e nem na saída, mais nesse clássico de Domingo fomos tratados como Gado indo para o abate, sei que existe um plano de segurança eque ele é seguido a risca por quem faz o policiamento externo, mas teria que haver o “Bom Senso” que tanto se pede. Torcedores informavam aos policiais que o que estava acontecendo estava errado e que poderia tá causando um confronto entre as torcidas, nunca tinha visto esse tipo de esquema de segurança onde o objetivo era juntar as torcidas, sabemos que era o “Clássico da Paz”, mas não precisava a policia fazer esse papel de unir as torcidas. Passei momentos tenso e de insegurança, pois deixei o carro no estacionamento do Rei Pelé onde vários torcedores deixaram os carros lá na rua e no próprio estacionamento, pois como foi o esquema da final seguimos em direção da Veleiro. Espero que isso seja avaliado e que nunca mais torne acontecer, pois muitas crianças estavam no meio do fogo cruzado, muitas chorando abraçadas aos seus pais que não tinham o que fazer, já que estava em um corredor na calçada do Rei Pelé na Siqueira Campos e escutando bombas e tiros de balas de borrachas. Espero a Policia ela saiba diferenciar o torcedor de bem o que tá querendo apenas dialogar dos que vão para brigar e parabéns por comentar a respeito desse assunto.

  • Sebastião Neto

    Não iria expressar minha opinião, mas confesso que lendo os cometários me chamou a atenção e é bom que os órgãos competentes fiquem atentos ao tão citado: “Policial montado em seu Cavalo Militar. Pois lendo os cometários, mostra uma prática rotineira de agressão do mesmo. Hora de sorrir? Sim. Tira uma foto na baixa e manda para corregedoria. Dá em nada! Mas fica na patente do Militar.

  • Azulino

    Por isso que eu tenho TV paga e pago também por fora o premier sport TV assisto todos os jogos em casa da série A e B Tranquilo tomando minha cerveja e comendo o meu churrasco. Já faz mais de 10 anos que assino e estou tranquilo no meu lar e longe dessa violência toda nos estádios.

  • José A de Oliveira

    Marlon, não existe estratégia 100% segura quando o que está envolvido uma multidão de lados opostos. Mais o que me preocupa é o CRB, os outras equipes que estavam atrás começaram a descolar do grupo cito Goiás, Criciúma começaram mal mais o trabalho dos seus técnicos começam a dar resultado, Zé Carlos no Crusciuma começou mal mais seu técnico sabedor do seu potencial corrigiu o que estava errado ele já está com três gols, Neto Baiano do CRB continua com dois mesmo com laterais cruzando ele marcando os zagueiros ou pregado no chão. O que me preocupa não é o CRB levar gols e sim não fazer. CRB tinha três bons centroavante, agora tem dois mais só aproveita um, técnico está tendo uma semana de treino para corrigir os erros, mais só faz um coletivo mesmo tendo dois período, acho que tinha que fazer mais para saber o que está sendo treinado está sendo assimilado, não adianta treinar jogadas durante dias e só fazer um coletivo termina esquecer o que foi treinado no início, eu mesmo nunca vi o CRB colocar alguma coisa nova nos jogos até parece que nunca treinaram nada. CRB tem uma grande estrutura com quatro campos de treinamentos, com uma estrutura dessa não poderia ficar ninguém de fora dos treinamentos de jogadas se tem auxiliar técnico que pode fazer o mesmo no campo auxiliar, a idéia seria colocar todos na ponta do casco. A hora de reagir é agora.

    • José A de Oliveira

      Um treinador de qualidade para um treino quantos vezes for necessários para corrigir erros de seus atletas, esse é o papel de um bom treinador, erros insistentes a culpa não é só do atleta é também do treinador que não corrigi. Jogadores nunca fiquem abatidos diante de um erro ou de um gol do adversário, afinal eles estão ali para isso também, apenas respire fundo e fale para você mesmo, vou arrebentar nesse jogo porque eu e meus companheiros somos f…. força de vontade e acreditar fazem a diferença, sem isso não aconteceria os gols.

  • Emerson

    Outra coisa que precisa ser repensada é a saida da torcida que fica na arquibancada do sesi. Nos últimos jogos, todos tiveram que sair pela rampa, ou seja, todos sairam pelo mesmo portao! Uma multidão se expremendo pra sair. A PM precisa liberar o portão de baixo também. Está impraticavel isso!

  • Luciano

    É só fazer o simples sem inventar..

  • Luciano

    Isso ainda é o de menos .. e quando 4 pessoas tão brigando na arquibancada e mandam bala de borracha direcionado a toda a arquibancada .. ao invés de conter a multidão piora a situação … complicado, mas o primeiro passo é escutar e admitir o erro. Abraco

  • Pedro

    Parabéns Marlon por se pronunciar sobre esse assunto. É isso mesmo, assumir quando a execução tiver sido ruim, como foi nesse clássico. A PM precisa de mais Oficiais como você. São poucos os que assumem essa postura e dão a cara a tapa.