CRB lento e previsível, testa três volantes para encarar o São Paulo e vence CSE apertado – Blog do Marlon
Nem o ensaio, nem valendo: o CRB não funcionou como poderia
Deficiências físicas tiram rendimento uniforme do CSA

Cobrando falta, Ratinho empatou para o CRB; novamente o melhor jogador do Galo em campo – Foto: Pein Fon – TNH1

 

 

Era importante vencer. O CRB derrotou o CSE em uma reação nos quatro minutos finais do tempo inicial. O time de Palmeira chegou a sair na frente, mas o Galo virou o marcador.

No entanto, se a vitória foi importante, o desempenho do Galo deixou a desejar. O reforço desta avaliação se dá pelas vaias do torcedor ao final da partida e pela própria fala de Mazola Júnior se referindo a necessidade de vitória.

O CRB enfrentou o CSE modelado com três volantes, usando um triangulo de base alta, o que poderá ser um ensaio para encarar o Tricolor no Morumbi.

Para o campeonato, o CRB cresceu subindo para a 2ª posição, mantendo a distância para o novo líder, o CSA, que segue com um ponto a mais que o Galo. A rodada trouxe também uma derrota inesperada do Coruripe para o Santa Rita. O time de Boca da Mata evitou um rebaixamento antecipado. Também mostrou o Murici reagindo, vencendo o ASA e criando uma boa chances para fugir do rebaixamento. Além do duelo direto pela liderança, entre CEO e CSA, com vitória azulina por 2 a 0, colocando o Azulão pela 1ª vez na liderança. Até então, o campeonato teve domínio do CRB, liderando cinco das sete rodadas. CEO e , agora, o CSA lideram uma rodada, cada.

O jogo tático

 

Mazola trouxe como novidade, CRB modelado com três volantes: triangulo de base alta – Imagem: Marlon Araújo ´Tatical Pad

Mazola ensaiou o que ele deve levar para São Paulo usando três volantes no corredor central para fazer triangulações pelos corredores e dobrar corredores, pois com isso, ele acaba empurrando o lateral para dobrar com o extremo e ainda conta com um volante para fazer a triangulação. O lateral ultrapassa a divisória do campo, fazendo a função do extremo e o extremo flutua por dentro, para criar a jogada e ter mais espaço.

CRB veio nesta modelação. No entanto desde o início, a partida apresentou um jogo muito lento. O CRB tinha a posse mas não conseguia criar situações dentro do modelo estabelecido. Não havia triangulações, ultrapassagens. Ao longo do tempo inicial, o corredor mais ativo era o direito com as presenças de Willians Santana e Edson Ratinho e com a chegada de Willians Fernandes.

O CSE chamava atenção pois quando tinha a bola buscava atacar. O tricolor usava Pinheirinho e Diego Clementino como principais opções, marcava mais baixo e jogando por uma bola buscava surpreender.

Passaram 40 minutos para o CRB oferecer a bola que o CSE desejava. Foi quando Pinheirinho girou sobre Manoel, foi ao fundo e cruzou. Houve uma falha de comunicação entre Everton Sena e o goleiro e o lateral Erick chegou soltando uma pancada para fazer CSE 1 a 0.

Logo a seguir, Neto usou de experiência, deu o corpo na entrada da área e foi derrubado. Ratinho cobrou a falta de fez um belo gol. Já nos acréscimos, o zagueiro do CSE perdeu a saída de bola, Willians Santana roubou e tocou para Neto Baiano que acabou sendo derrubado dentro da área. O prório Neto cobrou a penalidade e colocou o CRB na frente: 2 a 1.

Imaginava-se que no 2º tempo, Mazola poderia soltar o time, mas ele manteve a formação, usando os três volantes. Mazola insistiu em dar ritmo a Juliano. O time ficou mais lento e o CSE passou a ter chances, uma com Pinheirinho e outra com Clementino. Mazola resolveu abrir mão de um volante e trocou os extremos, tendo Rafael Bastos, Ruan e Pedrinho. Criou três oportunidades, mas nenhuma delas com perigo. Em compensação, O CSE teve Geovânio acertando o travessão e Pinheirinho batendo cruzado e quase marcando. CRB foi salvo pela defesa de Edson Mardenn.

O CSE surpreendeu pela qualidade de não rifar a bola, de buscar o jogo mais próximo, valorizar a posse, principalmente quando tinha os onze homens em campo. Os dois extremos- Pinheirinho e Geovânio –  chamam atenção e se forem trabalhados, podem incomodar.

Já o CRB segue apresentando um problema de quem pensa o jogo. Willians Santana é que faz isso no CRB, mas quando é substituído o time fica extremamente previsível.

Pinheirinho foi o garçom  da partida. Edson Ratinho foi o craques. O técnico Cleibson Santana trabalhou melhor na partida e José Ricardo Laranjeira fez uma arbitragem ‘preguiçosa’, acertou nos lances capitais e recebeu nota 7.

  • Thor

    Com todo respeito ao comentarista mas foi um roubo na cara dura e ngm abre um pio.. q imprensa medíocre temos em Alagoas.

  • EDVAN

    NÃO GOSTO DA FORMA QUE O MARLON FALA Á RESPEITODO DO CRB, ESTAVA NO JOGO, REALMENTE O CRB NÃO APRESENTOU UM BOM FUTEBOL, MAS O QUE VALE É OS TRÊS PONTOS,OUTRA COISA É QUANDO ELE E A MAIOR PARTE DA IMPRENSA ALAGOANA NÃO FALA DESSA FORMA Á RESPEITO DO CSA. ELES EMPATARAM COM O SALGUEIRO EM CASA E NÃO VI NADA DE CRÍTICA. A MAIOR PARTE DA IMPRENSA ALAGOANA, TORCE PELO O SEINENSEHÁ. SE EU FOSSE PRESIDENTE DO CRB, ORDENAVA PARA OS JOGADORES, EVITAREM DE DAR ENTREVISTA Á ESSA IMPRENSA. ASS. EDVAN ( CRB )

  • EDVAN

    PREFIRO COMO COMENTARISTA O JORGE MORAIS, SE ELE TORCE POR ALGUM DO DOIS MAIORES DE ALAGOAS, ELE NÃO DEMOSTRA. ACHO ELE NEUTRO.

  • Raphael

    É notório o desdém que o comentarista dispensa ao CRB. Aquele seu texto de “descer do salto” quando perdemos para o Santa Cruz já estava escrito desde a partida contra o Novo Hamburgo, mas você teve que o guardar. Vc queria o quê? Que o CRB desse o sangue, a vida em campo contra o CSE? CRB está com outros focos e, ainda assim, conseguiu a vitória.

  • NOGUEIRA

    O cerrebe não joga bem, e não foi só nessa partida, e o culpado é o comentarista, quanto chororô!

  • Marcio

    Oh Edvan fica claro que seu sentimento é passional e desprovido de coerência, sou leitor e ouvinte do Marlon , sou CRB , mas o que mais visualizei e ouvi foi o Marlon criticar o CSA , contra o sampaio ele falou inclusive do declininio Físico . Eu torço que ele continue por muito tempo na crônica, pois o vejo destemido e imparcial . Ao Marlon vai meus parabéns pelo grande nível que alcançou na imprensa alagoana .

    • Luciana

      Concordo plenamente!!! Também sou CRB e não sou cega!!!Jogo horroroso! Nem tive vontade de vibrar nos gols, e olhe que o do Ratinho foi lindo!E vejo o Marlon criticar ou aplaudir todos os times quando merecem! Estão parecendo os azulinos, empolgados, que acham que sempre estão com o melhor time do mundo! O Galo jogou mal ontem, caiam na real!!!

  • Rogério Barboza

    Bom dia. Só um cego não ver que o Mazola pisou na bola. Ela conseguiu fazer com que o CRB ficasse com menos 1 em campo, sem que o arbitro tenha expulsado qualquer jogador do Galo, explico: Ele escalou três volantes, dois literalmente sem ritmo de jogo (Juliano e Wiliames), admito que seria a hora certa para lançá-los, contudo, a escalação de Feijão foi um erro, esse jogador tem uma limitação técnica muito acentuada, ficou literalmente perdido em campo, não tinha a quem marcar e não consegue fazer o time andar, pois, tem uma imensa dificuldade no passe. Mazola, a quem reputo como um bom técnico, demorou para mexer na equipe, principalmente pela expulsão do jogador do CSE, ficou um CRB sem nenhuma inspiração, lento e chato de ver jogar. Talvez por teimosia o treinador tenha demorado tanto a mexer no esquema de jogo. Com relação aos jogadores do CRB, a tão propalada “qualidade” não é unanimidade. Alguns dos contratados são limitados tecnicamente e não servem para a disputa da série B, como o zagueiro Everton Sena, o lateral Manoel, os atacantes Ruam e Juninho Potiguar, além do badalado Rafael Bastos que não disse a que veio, até agora.

  • Luiz Gustavo

    Boa tarde amigos, parabéns Marlon mais uma vez pela leitura tática do jogo, vejo alguns cometário contrario a sua leitura. Concordo com suas colocações e as do Rogério Barbosa.

  • MANOEL

    NÃO SOU O MAIOR DE ALAGOAS E AINDA NÃO TENHO UM TIME PARA A SERIE B, MAS TENHO 37 TÍTULOS UMA TORCIDA QUE COMPARECE E SOU LÍDER DO ALAGOANO E ACREDITEM INVICTO!!! MAZOLA JÚNIOR PREGOU E PROPALOU QUE O CRB TEM 23 TITULARES E A TORCIDA VIBROU, MAS O QUE SE VER É QUE A TORCIDA JÁ NÃO VER ASSIM E COMEÇOU A CHIAR.

  • Fernando José

    Boa noite, concordo plenamente com o marlon, temos q enxergar jogo a jogo, pra mim, nao alcançou ser um time em campo, como é no papel de grandes jogadores q são, muitos desses ai, está deixando má impressão isso na minha visao. ou seja tem q melhorar e muito.

  • Abrahão

    Manoel, quem vive de passado é museu. Quantos anos o nãoseisehá não ganha o alagoano? Quantos anos vocês passaram para subir para série “B”? Por tudo isso,CRB É O MAIOR DE ALAGOAS.

    • Luiz R S Filho

      kkkkkk Comédia é sempre Comédia, ……Tantos anos na Série B, caíram 2 vezes e quase a terceira ano passado….Eu teria vergonha de torcer contra o rival que chega ao 10º ano sem vencer um Estadual e não ter chegado perto.
      Por consolo ficam comemorando Campeonato dos Centenários e um Torneio do Nordeste de 1.900 e não sei quanto…..E isso não é passado????????
      o que a falta de uma estrela não frusta hein!!!!!! kkkkkkkkkkkkk

    • MANOEL

      VOU ACREDITAR EM VOCÊ PARA ACABAR COM A DISCUSSÃO, VOCÊS SÃO OS MAIORES DE ALAGOAS TEM A MAIOR TORCIDA, TEM VÁRIOS TÍTULOS NACIONAIS, TEM O MAIOR NÚMERO DE TÍTULOS DO ALAGOANO, POR ISSO QUE ACEITO QUE REALMENTE SÃO OS MAIORES DE ALAGOAS… PARABÉNS!!!

  • Cledson

    Começou o lenga, lenga, de quem chupa cana e arrota caviar. Se o Mazola não vier no seu clássico esquema 8-1-1, vai apanhar do único time de Alagoas com título chancelado pela CBF.