Qual a diferença entre Guerrero e Olívio?
A preocupação (e, a correção) na fala de Omar Coelho

Meia Leílson, um dos contratados do CRB: sem apostas – Foto: site do Juventude

 

A divulgação dos jogadores que integram o elenco do CRB passa um recado bem claro: não existem apostas, são todos realidades. Não quero dizer com isso, que a equipe do CRB é mais ou menos forte, que seja mais ou menos credenciada para um ano positivo, mas fica claro que a concepção de formação do elenco se dá com jogadores ‘cascudos’.
Em sua grande maioria, os jogadores já atuaram com o técnico Mazola Jr. O volante Serginho, por exemplo, é um destes nomes. O jogador tinha um acerto com o futebol da Malásia e após um telefonema do treinador do CRB aceitou o desafio de jogar com Mazola no CRB.
O clube foi para o mercado com mais força. Este posicionamento já havia sido revelado pelo próprio presidente Marcos Barbosa no PFC. Ele admitiu que ele seria mais ousado e justificou a ‘ousadia maior’ por ser o seu último ano, mas fica claro no posicionamento do presidente e na fala do próprio Mazola que a mudança acontece graças ao efeito CSA. A subida de patamar do Azulão faz o CRB se mexer no mercado com mais força.
Com as peças anunciadas – e, com aquelas que ainda virão – caberá ao competente técnico do CRB conseguir dar ao clube as condições para ter um time bastante competitivo na temporada, tornando o Galo uma realidade e tirando o status de aposta na temporada.