Os caminhos para Série A – Blog do Marlon
O legado de ter posicionamento
CSA vai investir em algo novo

CRB e CSA irão viver um ano especial em 2018. Os dois estarão disputando a Série B do Campeonato Brasileiro. Para o CRB uma sequencia e para o CSA uma novidade.
Normalmente ao disputar a Série B, os clubes falam de um sonho: chegar a Série A. Recebi de alguns internautas o questionamento do que precisam os nossos clubes para chegar a Série A ou ainda se temos chances de chegar ao acesso?
Penso que o caminho para CSA ou CRB chegarem a Série A é um caminho árduo e muito complicado e que ainda precisamos investir muito em dois setores para sonharmos em chegar neste patamar.
CSA e CRB precisarão investir na base e em tecnologia. Não existe um clube fortalecido sem uma forte divisão de base. O Flamengo tem mostrado isso na Série A. Paquetá, Vizeu, Vinicius Jr são alguns nomes utlizados frequentemente. O Sâo Paulo contra o Coritiba teve 13 jogadores relacionados. O Santos tem uma safra qualificada. O Bahia tem 30% do elenco vindo da base. Porque eles fazem isso? Será que é bonito, dizer ‘craques formamos em casa’?
Não, definitivamente não é por isso. Usar a base é trazer sustentabilidade para o clube. Nem CRB, nem CSA tem trabalhos de base que lhes possam trazer sustentabilidade ao elenco. O Flamengo usa Lincoln, com 16 anos, jogando contra o Santos um jogo que lhe daria a condição de confirmar sua presença na Libertadores e olhe que o Flamengo estava perdendo o jogo. O CRB não sentiu confiança de Dudu, sua mais destacada promessa, com 17 anos, atuar pelo menos por vinte minutos na Série B. O CSA nem se fala. Os dois mais jovens do elenco campeão brasileiro, Dawhan com 20 e Edinho com 22, não são da base azulina.
É urgente um trabalho de base qualificado, com profissionais com formação, com o entendimento que o técnico da base, o captador de atletas, precisa ser tão qualificado como o técnico do time profissional.
Outro aspecto necessário é investir em tecnologia. Neste aspecto, o CSA saiu na frente. O time já possui aparelhos que lhe oferta uma melhor condição de resposta cientifica para a comissão técnica. O CRB promete este ano seguir o caminho. Fisiologistas, equipamentos de ponta, um projeto médico eficiente fazem parte de criar um processo vitorioso, ofertando um grupo com ‘saúde’, com a condição de ter ‘intensidade’ e pensar também na origem do grupo que seja um elenco mais jovem para dar estas respostas.
Estes dois são fatores são importantes, diria fundamentais, para pelo menos sonharmos com Série A. O contrário disto será arriscar. Isto, ter base e tecnologia, também não garante a chance de chegar a Série A, mas são encaminhamentos que facilitam esta trajetória.

  • Luciano

    O csa n tem por opção .. o time estava na lama e a prioridade era recuperar o profissional .. não tem pra que esse alarde todo em relação a base do csa muito menos subir pra série A.. CSA TEM QUE PERMANECER NA B isso sim é o objetivo .

  • Fernando Costa

    Muito bom visualizar um blog local com tamanho conteúdo sobre futebol. Que você continue assim , que em breve seu voo será nacional . Parabéns

  • JOSE ARCANJO PEREIRA

    O CSA está sendo gigante, subindo degrau por degrau, rebaixado no alagoano para 2ª divisão, e de uma hora pra outra disputar o titulo da serie D , e no ano seguinte ser campeão da série C. Portanto, acredito na sua subida para série A em 2019. o CSA é uma fortaleza com uma estrela brilhante no céu. Parabéns.

  • Regatiano

    Balela! Não Concordo que o acesso passe necessariamente pelo uso da base e da tecnologia. Quantos jogadores da base o America-MG tinha na ultima partida contra o CRB: Nenhum! quantos jogadores da base o Inter tinha na ultima partida contra o Guarani? 1! Quantos jogadores da base Ceará tinha no ultimo jogo em casa contra o ABC? Nenhum! quantos jogadores da base o Paraná tinha no jogo do acesso contra o CRB? 1! E a tecnologia, invariavelmente precisa ser utilizada, independente de pretensões. Argumentos furados!

    • Marlon Araújo

      Volante Raul doe Ceará , Rodrigo Dourado , Cláudio Winck Inter , América Matheusinho NMike , entre outros … fale competição e não escalação do jogo derradeiro. Respeito sua opinião , mas discordo dela , se ler atentamente ainda ressalto que apesar de avançar nos dois fatores , ainda sim não significa acesso porém sem eles cada dia fica mais difícil. Obrigado pela interação 👍

    • Eduardo

      Esse é o típico regatiano arrogante e prepotente, que come sardinha e arrota caviar! Discorde respeitando a opinião alheia, imbecil!

  • Pedro

    O que os times tem que fazer é uma competição com organização, faltou ao CRB na série B, sobrou no CSA na série C. O trabalho de base é importante, com certeza, mas se não tiver ADMINISTRAÇÃO o resultado é o rebaixamento.

  • LUCIANO CARVALHO

    CARO MARLON; TAMBÉM TEMOS UMA GRANDE, E PORQUE NÃO DIZER “ABISSAL” DIFERENÇA NAS VERBAS ENTRE OS CLUBES LOCAIS, COMO OUTROS DO NORDESTE, PARA OS DO SUL-SUDESTE.

  • Luiz R S Filho

    Marlon, de fato não posso deixar de concordar que os fatores assinalados por vc são de extrema importância – entre outros – para a ascensão ao topo do futebol Nacional, pelos nossos Clubes. Isto requer sem dúvida investimentos/planejamento à longo prazo. À curto e médio prazo não funcionará nunca. E aí é onde reside o maior obstáculo (minha opinião)!!!!! O imediatismo que temos para alcançar resultados positivos, enfim, TÍTULOS. E essa estado ansioso é do torcedor, do dirigente e acaba até contagiando a imprensa esportiva que em última análise cobra esses resultados. Nessa questão sempre estamos lembrando/citando um velho adágio popular….”O tempo é senhor da razão”. Mas na prática, no dia-a-dia quando nos detemos com o futebol….aí “a emoção fala mais alto”.

  • José A de Oliveira

    Marlon parabéns pela matéria,realmente investir na base é crucial para qualquer equipe subir para a série A e permanecer, sem investir na base e tiver sorte pode até subir em um ano mas não permanece por muito tempo, tipo, Santa Cruz sobe em um ano despenca no outro. Investir na base não é só pegar a garotada e colocar em campo e ver quem se destaca, não é isso, investir na base é fazer um trabalho completo em todos os aspectos e colher o fruto anos depois. Sem haver um trabalho completo a equipe fica dependendo da sorte, se aparecer alguém muito talentoso, tenha vontade e disposição para enfrentar as dificuldades de uma equipe sem estrutura. Depender só da sorte fica difícil. CSA pode até conseguir isso porque sua diretoria é mais inteligente e tem mais visão, CRB não acredito, seus dirigentes amam o CRB mais sua visão em termo de base é muito curta para conseguir bons êxitos, em vinte anos de série B e C nunca ganhou nada nacionalmente e praticamente não revelou ninguém e se algum ano tivesse subido para série A teria descido no ano seguinte.

    • Handerson Lima

      olha amigo, eu até entendo que o R.T.F.C. ou (csa) está fazendo um grande trabalho, pelo fato do presidente do clube está investindo recursos próprios e administrando assim como administra suas empresas, ou seja, ele é o “dono” do clube nesse momento e é natural que ele o erga. por tanto isso não faz da diretoria azulina mais inteligente e sim mais comprometida que as anteriores do próprio clube.
      com relação a direção e a base do crb, não irei comentar, pois seria perda de tempo já que o amigo não tem conhecimento a respeito.

      • José A de Oliveira

        Realmente não tenho conhecimento detalhado, mesmo porque estou de fora do clube, mas os resultados da base para a equipe principal falam por si só, não quero dizer quem está lá não queira o melhor para o galo, longe disso, com certeza são Regatianos de coração e querem o melhor, mais falta aquele algo mais um trabalho planejado com objetivos definidos. Mesmo assim essa direção é uma das melhores dos últimos anos, eu mesmo não desejo que fiquem de fora no próximo pleito, apenas agregue alguns nomes com ideias novas, experiência dos atuais é muito importante para o clube não dar passos errados e não jogar fora o que foi conquistado.

  • Handerson Lima

    Marlon, concordo que para conseguir o acesso a base e a tecnologia são fundamentais, MAS EU acredito que o PLANEJAMENTO e INVESTIMENTO na formação e principalmente manutenção do elenco para o ano seguinte seja prioritário. o CRB chegou a estar entre os 4 primeiros da serie B nos últimos 3 anos, e de um ano para o outro, conseguiu manter alguns jogadores, porém não conseguiu manter uma base. nesses últimos 2 anos perdeu jogadores essenciais, jogadores “chave” como costumamos dizer, como: Galdezani, Magrão, Mailson, Luydi. Jogadores que fazem a diferença e que podem fazer parte do elenco em uma eventual serie A.
    O CSA mantem a base do ano passado, isso faz com que ele chegue forte para o alagoano e a copa do nordeste, mas certamente sofrerá grandes mudanças no elenco para a serie B por se tratar de um outro nível de competição. Se os clubes conseguirem iniciar o campeonato com uma boa base e fazer a campanha em casa que o CRB fez em 2015 e a campanha fora de casa de 2016, certamente conseguirá o acesso. Vamos aguardar.

  • Jr

    Marlon, para o meu CRB não adianta tecnologia, medicina, psicologia, etc., se o elenco é da categoria sub-óbito.
    Enquanto o presidente fanfarrão Marcos Barbosa, e o executivo AlarComissão só contratarem e/ou renovarem com ex-jogadores em atividade, a Série B vai ser nesse aperreio de 2017 até cair pra C. Não sei por mais quanto tempo…
    É preciso mudar essa ideia de jerico de só contratar refugo, renegados, quem tava parado, essa velharia que tivemos esse ano.
    Fora MB, fora AlarComissão, fora Mazola, fora jogadores sub-óbito!

  • Ivo de Lima

    Bom dia Marlon concordo plenamente com todas seus questionamento colocado porem vendo do ponto de vista critico de minha pessoal é conveniente afirmar que o clube que se manteve durante esse período todo em uma serie b. Já no alagoano se manteve sempre acima de todos com recursos bem superiores ao do csa, asa de todos outros times do alagoano o crb predominou o estadual por vários anos já que sua receita dava a ele um abismo de investimento sobre os demais, hoje a realidade é outra teremos um ano sem quer o crb seja favorito no estadual. voltando a serie b 2018 é um ano que não teremos francos favoritos ao acesso uma competição aberta e do meu ponto de vista acho que é possível sim um acesso. Já em relação a base acho que de novo o csa sai na frente com investimentos a serem investidos vamos aguardar. Que venha 2018.

    Ivo de Lima

    Obrigado