Vitória, permanência com comprometimento e plano tático
Grande jogo com CRB inteligente, eficiente e vencedor

CRB foi derrotado nos acréscimos pelo Guarani de Jussani – Foto: Luciano Galdino – Guarani Press

O CRB voltou a ser pressionado pelo rebaixamento. O time voltou a se complicar ao perder já nos acréscimos por 2 a 1. O resultado recolocou o Galo a dois pontos da zona de rebaixamento.

Por tudo isso é que a partida da terça-feira será uma decisão para o Regatas. Vencer é fundamental. Dentro deste ponto vista, o torcedor terá papel fundamental. Restando três jogos, sendo dois dentro da casa, é fundamental uma vitória, porque nesta rodada, o CRB corre riscos de entrar na zona de rebaixamento. Somente se perder para o Goiás e o Luverdense, em casa, vencer o Boa Esporte, o CRB entraria na zona de rebaixamento.

Apesar de as projeções darem 46 pontos, entendo que somando 45 , ou seja, mais uma vitória, o CRB não deverá cair. Isto porque o time atingiria 12 vitórias e outro fator são os confrontos diretos que ainda serão disputados.

Tudo isto mostra que o jogo de terça-feira é uma verdadeira decisão para o Regatas.

O jogo

 

Diego teve grande atuação: garçom do jogo com assistência para o gol de Boaventura – Foto: Luciano Galdino – Guarani Press

Mazola Júnior trouxe o CRB com a propositura igual a partida contra o Internacional na Arena Beira Rio. O diferente era apenas mudança de peças.  O Guarani não conseguia lateralizar o jogo, não conseguia penetrar pelo meio, não conseguia incomodar o CRB.

Atuando muito bem defensivamente, o CRB tomou o gol na única finalização feita pelo Bugre. Após uma bola na área, com Caique finalizando, Flávio Boaventura rebateu para o meio da defesa e a bola caiu no pé de Luiz Fernando, que abriu o marcador.

Logo depois, o CRB também se beneficiou de um erro de posicionamento da defesa do time paulista. Em jogada ensaiada, Diego bateu a falta do lado direito, mas com o pé esquerdo. A cobrança sai fechada, no primeiro pau e Flávio Boaventura empurrou para as redes, empatando o jogo.

O primeiro tempo terminou com um placar justo, mas com os dois times tendo criado poucas situações de gol.

O segundo tempo reservou mais emoções. O CRB continuou com a mesma formatação e com o mesmo plano de jogo. Com o Yuri,  o time teve apresentou mais qualidade. Isto porque, Yuri tem uma ótima saída de bola. O segundo tempo, o CRB foi mais efetivo, criou chances. Chico, Flavio, Ratinho, chegada do Neto em todas estas situações, o Galo quase marca.  O Guarani fez aquilo que precisava: tirou toda a  linha de três, trocou para ter jogadores com mais velocidade. A pressão, a posse de bola não surtia efeito. Já nos acréscimos, o Guarani ofertou ao CRB, o mesmo veneno do 1º tempo: bola alçada na área, primeiro pau, canhoto batendo pelo lado direito e surgiu Bruno Mendes para de cabeça, marcar e decretar a vitória do Bugre.

Mais uma vez, Mazola fez a leitura perfeita, Infelizmente, o time não correspondeu em termos de resultado. Diego, pelo passe para Flávio Boaventura, foi o garçom. Leandro Santos fez milagres e foi o  camisa 1 do jogo. Yuri foi o craque e poderia ter feito um gol de placa, com transição, drible, ataque a área adversária. O árbitro sergipano Cláudio Lima e Silva fez uma grande atuação.