Minha pelada está na rede: Racha dos Trouxas – Blog do Marlon
O CRB para domingo tem cara de vencedor
Retrato de momento mostra CRB e ASA perto da classificação
Galera do Racha do Trouxa em Atalaia - Fotos: Alberto Oliveira

Galera do Racha do Trouxa em Atalaia – Fotos: Alberto Oliveira

Imaginem um cara que mora em São Paulo e após 40 anos retorna a sua terra, chega cheio de gírias e provocando os colegas chamando-os de “mariquinhas”. Está história tinha tudo para dar errado! Mas e não é que deu certo! A partir de agora conheça causos, resenhas, histórias do Racha dos Trouxas.

 

O trouxa de lá, dois trouxas de Maceió e craque amaldiçoado!

 

Viajamos cerca de 47km, destino Atalaia, para conhecer o novo racha que estrelaria a 2ª edição do Minha Pelada está na rede. Ao chegar ao local, Antigo Campo da Comesa, já valeu a pena a escolha.

 

"Reforços" preparam o campo para o racha

“Reforços” preparam o campo para o racha

 

Encontramos um tratamento “especial” no gramado antes da bola rolar. Uma equipe de cavalos transitava dentro do campo, comendo – a pouca – grama e amaciando o solo.

 

Aos poucos eles foram chegando. Uns vinham de carro, outros a pé e ainda tinha os que chegavam na magrela. A primeira pergunta que fiz a alguns foi: porque racha dos trouxas?

 

A resposta  mantinha o mistério: o trouxa chega já! O trouxa já está vindo!

 

O cara ! Zé Carlos, aos 62 anos, criador do racha

O cara ! Zé Carlos, aos 62 anos, criador do racha

 

E realmente ele iria explicar. Ao chegar e ser apresentado, Zé Carlos, 62 anos, já tirou a primeira onda: Olha só, dois trouxas que vieram de Maceió!

 

Pronto estava apresentado ao criador do racha. Zé Carlos saiu muito novo de Atalaia para morar na Vila Matilde em São Paulo. Torcedor do CSA e do São Paulo, ele sempre teve envolvimento com o futebol. Até chegou a disputar a Copa Arizona.

 

Passados 40 anos na Pauliceia, resolveu voltar para Atalaia e ao chegar mostrou espiritualidade ao nomear todos que encontrava como “trouxa”. Indo ao dicionário, identificamos que trouxa é um otário, um bobo, um mané.

 

Pois bem, trouxa para lá, trouxa para cá, a gíria pegou. Não satisfeito, Zé Carlos  – que afirma ser “um velho todo duro”-  ainda arrumou mais “confusão” ao nomear como mariquinha os colegas que encontrava  pela rua. Bote no liquidificador resenha e futebol e está feita uma grande mistura.

 

Lance com a bola rolando: cuidado para ninguém sair machucado

Lance com a bola rolando: cuidado para ninguém sair machucado

 

A brincadeira entre amigos já dura 10 anos, que serão comemorados no próximo dia 29 de novembro. Tem sempre sido assim: toda quarta-feira, uma vez na semana, eles se juntam para celebrar a amizade e o esporte.

 

Como é tradição em toda pelada, logo após o racha, tem a cervejinha, aquela cachaça, uma saborosa panelada e um apetitoso churrasco. E viva o Futebol, o racha, a amizade e o trouxa!

 

 

HISTÓRIAS, CAUSOS, RESENHAS

 

CONTRATAÇÕES

Atração á parte: cavalos preparam o campo para os trouxas

 

Seis ou sete cavalos povoam o campo onde eles batem o racha. Eles transitam livremente. Amaciam o piso, comem a grama, mas também deixam uns “presentinhos” por onde passam (Eca!). Depois do trabalho são retirados de campo com gentileza.

 

CORES

 

O azul e amarelo foram as cores escolhidas. O azul veste o time mariquinhas e o amarelo as maricotas. Não existe uma separação fixa. Os times são separados por tamanho, qualidade física e algum trato com a bola. Existe uma orientação: pegar leve para não machucar ninguém.

 

O MELHOR É …

 

Betinho é considerado um dos melhores jogadores do racha. Normalmente se destaca. Mas um detalhe faz dele um personagem diferente. Ele é dono de uma funerária na cidade e em alguns jogos, chega ao campo devidamente acompanhado pelo carro fúnebre e que ás vezes trás um caixão. Alguns entendem como agouro, outros tiram onda que “ se alguém do racha precisar, o serviço já está pronto. Graças a Deus nunca foi preciso utilizar os serviços do craque.

 

DESEMTUPIDO

 

Lulinha Vigário é Secretário de Esporte e Lazer da cidade. Ele joga. Mas esqueça a história que só joga por ser autoridade. Ele é um dos que está no racha desde sua origem. Lulinha fez uma cirurgia do coração há três anos. Os amigos dizem que ao “desemtupir” o órgão vital, o homem passou a voar dentro da campo.

 

A BUFUNFA

 

Paulinho cuida da bufunfa: ninguém joga sem passar pela prancheta

Paulinho cuida da bufunfa: ninguém joga sem passar pela prancheta

 

Paulinho foi o nosso contato para visitarmos o Racha dos Trouxas. Além da função de jogador, ele mexe com a bufunfa. Antes de começar o racha, todo mundo passa pela prancheta do Paulinho que cuidadosamente trata do dinheiro, recebe, anota, passa troco e com o arrecadado tem a ideia de quanto poderá “investir” na cachaçada após a partida.

 

CONVITE

 

Agradecer o convite para jogar no racha. Foi o segundo convite que recebi. Estou perto de aceitar em uma próxima oportunidade. Por fim agradecer a recepção carinhosa e as histórias descobertas. Lembrar a você que lê e que joga uma pelada, mesmo no interior, que mande sua história, seus contatos e sua pelada poderá aparecer na rede. Estamos aguardando!

  • Silvanio Marques da Silva

    Achei muito interessante esta materia divulgando rachas de ex-atletas de futebol,atualmente participo de um racha denominado de Senadinho Futebol Clube, aqui na Barra Nova.Este racha ja tem 16 anos.Gostaria muito se for possivel uma materia deste tipo.Muito Obrigado! contato 88388130 Silvanio.

  • Sandro Farias

    Marlon, bom dia!
    Muito interessante essa matéria sobre o racha dos trouchas, no estado tem vários rachas de finais de semana e cada um com suas histórias e personagens.
    Gostaria de saber para qual e-mail posso encaminhar a história do meu,aguardo comentários por e-mail.

    Sandro.

  • Armando Tenório

    legal, essa historia, também tenho um racha aqui no tabuleiro, na santa lucia que gostaria que fosse registrato tambémmm, rss onde começouma racha e virou rivalidade incrivel rss

  • JOEL FERREIRA

    Muito bacana a história, gostaria de participar também.. temos um Racha no Tabuleiro que existe há cinco anos, esse ano para comemorarmos nosso aniversário fizemos uma parceria com o Hemoal e realizamos uma Coleta de Sangue no local onde é realizado o Racha.. foi incrível, dentre várias resenhas… Contato: Joel – 9619-1750