Nem só de telejornalismo vive esta apresentadora! Nesses meus quase 20 anos de profissão também venho desenvolvendo uma atividade que gosto muito: Mestre de Cerimônias! Estar no palco, na frente de muitas pessoas, conduzindo diferentes solenidades. O “apresentador do evento” proporciona uma melhor organização e também oferece um certo status. Ser essa espécie de “anfitrião” de uma solenidade é uma missão importante, passa credibilidade. Trouxe hoje esse tema porque na última sexta-feira tive a missão de comandar um evento no Centro de Convenções, aqui em Maceió, com um número recorde de participantes. Foi o lançamento de um Programa do Governo Estadual ligado à Educação e por isso estavam presentes vários professores, diretores, gerentes e coordenadores regionais de educação dos 102 municípios alagoanos, além de vários servidores das secretarias municipais e autoridades nas três esferas de governo: executivo, legislativo e judiciário. Confesso aqui pra vocês: em minhas várias participações em eventos lá no Teatro Gustavo Leite (e até mesmo quando estive a lazer assistindo espetáculos) nunca tinha visto o teatro tão lotado!
1489959809994

E muita gente pergunta se dá frio na barriga. Dá sim, afinal a responsabilidade é grande. Hoje divido aqui com vocês um pouco dessa minha experiência bastante prazerosa, porém exigente! Para que a solenidade caminhe com tranquilidade é preciso que o Mestre de Cerimônias esteja suficientemente instruído sobre o tema do evento, seja ele festivo, religioso, militar ou institucional de uma empresa pública ou privada. Para quem pensa que é fácil, presta atenção! Além de conhecimento da Ordem de Precedência e Normas do Cerimonial Público, o mestre de cerimônias deverá ter um mínimo de conhecimento das regras que regem a solenidade, boa dicção, discrição e tranquilidade, senso de comando, responsabilidade, pontualidade e um visual e comportamento compatíveis com o trabalho que está realizando. Em algumas ocasiões é preciso também falar outros idiomas. Lembro quem em eventos como Congressos Internacionais, precisei pronunciar vários nomes de participantes, cargos e empresas estrangeiras e também ler textos em inglês e espanhol. Tudo isso mantendo aquela tranquilidade e simpatia no palco! É gente… uma tarefa difícil que vai muito além do microfone!

1489959962165

Lembrando sempre que o cerimonial não depende apenas do desempenho de quem o apresenta, existem uma série de regras que devem ser seguidas para garantir a ordem hierárquica, bem como detalhes que farão com que o evento, independente da dimensão, tenha o mínimo de falhas e seja bem visto pelo público participante. Mas a minha parte eu procuro sempre fazer correta evitando possíveis erros! Para que tudo dê certo, costumo checar todo o roteiro do evento com a comissão responsável, com dias de antecedência. Mesmo assim muitos imprevistos ocorrem na hora, não tem jeito! É como se fosse apresentar um jornal ao vivo, rsrs.

Falando em improvisos, lembrei agora do livro “Além do microfone”, do escritor paulista Sidney Botelho, conhecido como o “craque das cerimônias”. 1489960020003Analistas de Sistemas com Pós-graduação em Negócios e Serviços, o escritor, radialista, jornalista, apresentador, palestrante e Mestre de Cerimônia, está há 16 anos no mercado de eventos tendo feito mais de 3 mil e 500 apresentações nos mais distintos segmentos como congressos, encontros corporativos, casamentos, debutantes, formaturas.

E no livro, Sidney fala muito bem sobre esses imprevistos! E ele reforça a responsabilidade do Mestre de Cerimônias quando diz que se posicionar atrás de uma tribuna ou subir em um palco, de qualquer auditório, não é apenas ser mais um anunciador de nomes, mas um mediador de processos e gentilezas perante diversos tipos de públicos: governantes, militares, empresários, diretores de empresas, reitores de universidades, professores, formandos, noivos, debutantes e familiares. E concordo demais com ele! Para mim, aliás, esses improvisos fazem toda a diferença. Ler um texto, qualquer pessoa alfabetizada é capaz. Mas a arte de apresentar um evento se mistura à credibilidade, ao carisma, à segurança no que faz! Uma segurança que vamos aperfeiçoando com a experiência e com o tempo. Acho que já apresento eventos há pelo menos 15 anos… não tô tão velha não rsrs … é que comecei ainda menina… mas também muito cedo passei a enfrentar as câmeras no telejornal ao vivo e aprender a cada dia a ter mais senso de comando, improviso e responsabilidade.

E foi essa minha experiência como Mestre de Cerimônias que contribuiu bastante para eu ensinar a disciplina “Cerimonial e Protocolo” que venho ministrando na Pós-graduação do Cesmac. Um assunto bastante interessante e de extrema importância para os profissionais que lidam com a Assessoria de Comunicação em qualquer esfera dos poderes e do mercado de trabalho. Afinal, um assessor de comunicação nos dias de hoje, se envolve cada vez mais em diversas atividades dentro da Organização, inclusive o planejamento, supervisão e realização de eventos. E assim vamos em frente… eu sigo aprendendo, ensinando e fazendo aquilo que gosto! E ainda mais compartilhando aqui com vocês!

Beijo e até a próxima quinta!

IMG_3785